Assunto da semana: O show de Slater ‘Mr. Robot Safadão’


TV paga básica dita rumo do 73º Golden Globe Awards

Getty Images/10.01.2016

As quatro estatuetas recebidas por canais de TV paga básica na 73ª edição dos Golden Globe Awards, realizada na noite do domingo (10) em um hotel de Beverly Hills (região metropolitana de Los Angeles) reforçaram o poder desse nicho de emissora para as áreas televisivas da premiação organizada pela Associação de Correspondentes Estrangeiros em Hollywood (HFPA, na sigla em inglês). Contribuíram para essa balança as duas recebidas por Mr. Robot, com ênfase à dada para o ex-pé-frio Christian Slater, 46. Benção.

Lucy Nicholson/Reuters/10.01.2016

Em meio ao festival de baboseiras etílicas ditas pelo apresentador Ricky Gervais, 54, durante parte de suas quase três horas de tempo de arte (descontados intervalos comerciais cujo anúncio de 30 segundos chega a US$ 1,5 milhão), a redenção de Slater após quatro fracassos de horário nobre – My Own Worst Enemy, The Forgotten, Breaking In (esta sobreviveu a duas temporadas) e Mind Games (passada a faca após cinco episódios) – é um bom sinal de uma possível indicação sua ao 68º Primetime Emmy. Está bem na faixa.

Fotomontagem/Captura de tela/PTI/The Indian Times/10.01.2016

A parte da premiação coadjuvante em série, minissérie ou telefilme dada a Slater, Lady Gaga, 29, e Jon Hamm, 44, completaram o quinhão dos poucos canais pagos básicos americanos que amanheceram o dia 10 de dezembro com ao menos uma indicação na porta, em meio a trabalhos de serviços de streaming como Netflix e Amazon. As vitórias destes nas categorias de atriz principal em minissérie ou telefilme e ator principal em série dramática (esta, repetição do 67º Primetime Emmy) foram um refresco em tempos de House of Cards.

Netflix/Divulgação

Para não meter a Miss Universo 2015 Pia Wurtzbach, 26, e o povo filipino no meio desta discussão, mas já metendo para um outro propósito, cabe condenar o patriotismo sádico, cretino e irresponsável de determinados colegas da imprensa paulista em usar o método Verde e Amarelo (o da música do Roberto Carlos lançada há 30 anos ao calor da redemocratização, do Plano Cruzado e da euforia pré-Copa) para endeusar Wagner Moura ao modus operandi Neymar da Bola de Ouro da FIFA. Foi a coisa mais deplorável. Boa semana.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (17/1)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Eventos, Premiações e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s