Os vencedores do 73º Golden Globe Awards nas categorias de televisão e cinema, em detalhes e estatísticas


Capitaneadas por Mr. Robot, produções de TV paga básica dominam o quadro, com quatro estatuetas; entre filmes, O Regresso lidera quadro, com três estatuetas

Da redação TV em Análise

Steve Granitz/WireImage


Rachel Bloom, de Crazy Ex-Girlfriend, foi a única representante da nova safra da fall-season 2015 das redes abertas a levar estatueta

A noite do domingo, 10 de janeiro de 2016, foi altamente importante para os canais pagos básicos americanos. Liderados por Mr. Robot, da USA Network (exibido no Brasil pelo canal pago Space), esses canais abiscoitaram quatro das 11 categorias competitivas de televisão que estavam em disputa. Um pouco atrás, as redes abertas conseguiram três estatuetas distribuídas entre atriz principal de série dramática – Taraji P. Henson, 45, de Empire, atriz principal de série cômica ou musical – Rachel Bloom, 28, da novata Crazy Ex-Girlfriend (única produção da fall-season das redes abertas que conseguiu alguma acolhida por parte da Associação de Correspondentes Estrangeiros em Hollywood, HFPA, na sigla em inglês) e minissérie ou telefilme – Wolf Hall, aquisição da PBS junto à emissora inglesa BBC, cuja situação caótica foi exposta pelo produtor executivo da trama, Colin Callender, 63, ante 2 mil convidados no Beverly Hilton, em Beverly Hills (região metropolitana de Los Angeles). “Peço (ao primeiro-ministro) David Cameron e ao Governo britânico que façam tudo para proteger a BBC”, disse.
Produção do serviço de streaming Amazon Prime, Mozart in the Juingle deu a esse segmento a mesma quantidade de estatuetas que canais premium como HBO e Showtime conseguiram somados – duas. Pesou para tanto a vitória do mexicano Gael García Bernal, 37, na área de melhor ator em série cômica ou musical.
Nas categorias de cinema, o trabalho de outro mexicano, o diretor Alejandro González Iñárritu, 52, ajudou O Regresso a liderar o quadro de vencedores, com três estatuetas. Destaque também para a primeira estatueta de ponta concedida a Leonardo DiCaprio, 41, anos após ser estigmatizado como o jovem ator que protagonizara com a também vencedora da noite, Kate Winslet (atriz coadjuvante em Steve Jobs), Titanic (1997), de James Cameron. Abaixo, a lista detalhada dos vencedores das 25 categorias competitivas:

CATEGORIAS DE TELEVISÃO

Série dramática
Mr. Robot

Ator em série dramática
Jon Hamm – Mad Men

Atriz em série dramática
Taraju P. Henson – Empire

Série cômica ou musical
Mozart in the Jungle

Ator em série cômica ou musical
Gael García Bernal – Mozart in the Jungle

Atriz em série cômica ou musical
Rachel Bloom – Crazy Ex-Girlfriend

Minissérie ou telefilme
Wolf Hall

Ator em minissérie ou telefilme
Oscar Isaac – Show Me a Hero

Atriz em minissérie ou telefilme
Lady Gaga – American Horror Story: Hotel

Ator coadjuvante em série, minissérie ou telefilme
Christian Slater – Mr. Robot

Atriz coadjuvante em série, minissérie ou telefilme
Maura Tierney – The Affair

CATEGORIAS DE CINEMA

Melhor filme dramático
O Regresso

Ator em filme dramático
Leonardo DiCaprio – O Regresso

Atriz em filme dramático
Brie Larson – O Quarto de Jack

Melhor filme cômico ou musical
Perdido em Marte

Ator em filme cômico ou musical
Matt Damon – Perdido em Marte

Atriz em filme cômico ou musical
Jennifer Lawrence – Joy: O Nome do Sucesso

Ator coadjuvante em filme
Sylvester Stallone – Creed: Nascido para Lutar

Atriz coadjuvante em filme
Kate Winslet – Steve Jobs

Diretor de filme
Alejandro González Iñárritu – O Regresoo

Roteiro de filme
Aaron Sorkin – Steve Jobs

Trilha sonora original de filme
Ennio Morricone – Os Oito Odiados

Canção original de filme
Writing’s on the Wall (007 Contra Spectre) – Letra e música de Sam Smith (intérprete) e Jimmy Napes

Melhor filme estrangeiro
O Filho de Saul (HUN)

Melhor filme de animação
Divertida Mente

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Cinema, Eventos, Minisséries e telefilmes, Premiações, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s