Assunto da semana: Coisas para virar para a página 2


Impressões da primeira parte da temporada americana 2015-2016

CBS/Divulgação/31.08.2015

A esta altura do campeonato, neguinho fica escrevendo em outros sites e redes sociais que não comunguem de nossa pensata livre e independente julgamentos forçados e forçosos sobre isso e aquilo da grande latrina que se produziu nas redes abertas brasileiras no exercício de 2015. Não quero saber disso. Com a primeira piscina da temporada televisiva americana 2015-2016 já percorrida por algumas produções novatas de redes abertas, fica a leve impressão de que a Supergirl rebaixou o Mister Brau a baboseira de intelectual. Pode ser?

Rede Record/Reprodução/10.11.2015

É bem verdade que Cecil B. DeMille (1991-1959) trouxe ao mundo a arte de abrir o Mar Vermelho com as tecnologias arcaicas existentes em 1956, ano da feitura do filme Os Dez Mandamentos, com Charlton Heston. Mas coube a um brasileiro, Alexandre Avancini, tropicalizar a questão dos efeitos visuais especiais da passagem dos hebreus coordenada por Moisés (neste caso, Guilherme Winter) para derrotar o exército egípcio de Ramsés (Sérgio Marone). E, por tabela, o açodamento da Rede Globo em tratar um tema tabu do Catolicismo.

Neil Jacobs/CBS/Divulgação/30.09.2015

Num período de fall-season aberto pela concessão de 12 estatuetas de Primetime Emmy (oito delas de áreas técnicas) a Game of Thrones, a passagem do Mar Vermelho na novela da Record foi um grande refresco. Refresco para as almas que não entenderam patavinas do enredo de Blindspot, Code Black, The Muppets, Limitless, dentre outros ratos e urubus que o finado Joãozinho Trinta jamais pensaria jogar no Sambódromo da Marquês de Sapucaí no Carnaval carioca de 1989. A despeito da discordância da Igreja.

Virginia Sherwood/NBC/Divulgação/21.09.2015

Da leva de produções americanas elencadas neste texto, deploravelmente nenhuma se encaixou nos critérios de excelência artística do SAG-AFTRA ou da HFPA, apenas para citar os compêndios de indicações do 22º SAG Awards e do 73º Golden Globe Awards. Do único sindicato técnico cuja listagem de indicados eu pude informar até agora, o ASC (dos diretores de fotografia), Blindspot se mostrou apropriada à embalagem técnica. O trabalho do sueco Martin Ahlgren contribuiu bastante para esse esmero. Boa semana e Feliz 2016 a todos!

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (3/1)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Novelas, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s