EXCLUSIVO: Média de audiência dos concursos do Projeto Miss da Band em 2015 é a pior de todos os tempos


Queda foi de 72% em relação ao Miss Brasil e Miss Universo 2003

Da redação TV em Análise
Com reportagem de João Eduardo Lima
(Atualizado em 21/1/2016 às 19h06)

Lucas Ismael/Band/Divulgação/18.11.2015


Pacote dps concursos de 2015 teve média de 2,1 pontos por evento

Antes motivo de orgulho para a área comercial da Rede Bandeirantes, os concursos de misses experimentaram em 2015 um verdadeiro inferno astral nos números de audiência. De acordo com cálculos feitos com exclusividade pelo TV em Análise Críticas, os três concursos mais importantes do chamado Projeto Miss – Miss São Paulo, Miss Brasil e Miss Universo fecharam 2015 com a vergonhosa média de 2,1 pontos por evento, considerando-se os números consolidados das medições que a Kantar Inope Media realiza na Grande São Paulo, principal praça de decisões para o mercado publicitário brasileiro. Nessa praça, cada ponto equivale a 67.113 domicílios e 198.162 telespectadores.
O numero, que considera todo o escopo de concursos de misses transmitidos pela Band em seu mercado mais importante para exibição em rede nacional~, é p mais baixo de toda a série histórica, iniciada em 2003, quando a emissora comprou da Gaeta, sob licenciamento da Rede Globo, o direito de transmitir o Miss Brasil e o Miss Universo. Naquele ano, o pacote dos dois concursos teve média de 7,5 – a única boa oportunidade que os concursos de misses tiveram na rede da família Saad. Depois disso, ocorreram quedas sucessivas até 2011, quando o Miss Universo foi realizado no Brasil e a Band pegou o posto de co geradora da transmissão internacional do concurso, realizado no Citibank Hall, em São Paulo.
Só com a transmissão de quatro concursos – Miss Minas Gerais, Miss São Paulo, Miss Brasil e o próprio Miss Universo – a Band teve média geral de 3,8, a melhor até agora nos anos 2010. Em 2012, houve uma queda de 21,05% na média de domicílios ligados em cada concurso. Em 2013, houve um crescimento tímido, de apenas 6,66% na média domiciliar na capital paulista. Entre o Projeto Miss 2013 e o Projeto Miss 2014, a Band teve queda de 18,75% na média. Já entre o Projeto Miss 2014 e o Projeto Miss 2015, a Band teve queda mais grave, de 19,20% na média de domicílios ligados.
Em 13 edições já realizadas do Projeto Miss, a Band teve queda de 72% no número de domicílios ligados por evento participante. Embora tenha transmitido edições do Miss Mundo em 2003, do antigo Beleza Brasil em 2004 e do Miss Minas Gerais 2009 (em setembro de 2008), as estatísticas desses eventos não contarão para esta tabulação. Os números detalhados do Miss São Paulo (2006-2015), Miss Minas Gerais (2011), Miss Brasil (2003-2015) e Miss Universo (2003-2015) estão na tabela abaixo:

MÉDIA DOMICILIAR DOS CONCURSOS, MISS SÃO PAULO, MISS MINAS GERAIS, MISS BRASIL E MISS UNIVERSO NA GRANDE SÃO PAULO
Os dados são referentes às edições de 2003 a 2015
Ano MSP MMG MB MU Média Geral
2003 * * 7 8 7,5
2004 * * 7 5 6
2005 * * 6 5 5,5
2006 4 * 6 4,5 4,8
2007 3,5 * 4,5 6 4,6
2008 5,5 * 4,3 3,6 4,4
2009 4,5 ** 5 2 3,8
2010 4 * 3,5 0,4 2,6
2011 2 2 3 8,2 3,8
2012 2 * 2 4 3
2013 2,8 * 3,9 3 3,2
2014 2,2 * 2,9 2,7 2,6
2015 2,2 * 2,3 1,8 2,1
(*)Não houve transmissão no ano indicado
(**)Sem registro
SIGLAS UTILIZADAS: MSP=Miss São Paulo, MMG=Miss Minas Gerais, MB=Miss Brasil, MU=Miss Universo

Número de domicílios ligados nos concursos também é o mais baixo

Observadas as respectivas equivalências de ponto, o número de domicílios ligados nos concursos do Projeto Miss oscilou bastante entre 2003 e 2015. De 352,5 mil lares ligados por evento no primeiro ano dos concursos no Morumbi, esse número despencou 17,44% para os concursos do Projeto Miss 2004, que compreenderam apenas o Miss Brasil e o Miss Universo. Na ocasião, 291 mil domicílios, em média, estavam ligados durante algum dos concursos de misses transmitidos pela Band. A euforia inicial com os números de 2003 foi desaparecendo à medida que o Ibope ia aumentando sua base de domicílios aferidos na capital paulista. Em 2010, a queda acumulada de domicílios ligados nos concursos do Projeto Miss já chegava a 56,99%.
A escolha de São Paulo para sediar o concurso Miss Universo 2011 fez a Band registrar crescimento de 45,9% no número de domicílios ligados nos eventos do Projeto Miss em relação a 2010. O recorde absoluto de domicílios ligados em um evento desse projeto foi registrado no dia do concurso internacional – 12 de setembro de 2011, com 477.240 domicílios. Um recorde que jamais se repetiria pelos anos seguintes. A pá de cal foi assentada com os concursos do Projeto Miss 2015, que tiveram uma média de 140.910 domicílios ligados por evento – a pior de todo o período. A queda acumulada é de 60,02% e pode levar a Band a rever seriamente sua política de transmissão de concursos de beleza, cortando concursos regionais da programação nacional e limitando o pacote ao Miss Brasil e Miss Universo. Caso essa medida seja adotada, eventos como o Miss São Paulo correm o risco de serem exibidos apenas nos respectivos Estados. Na tabela abaixo, os números de domicílios ligados em cada evento do Projeto Miss entre 2003 e 2015:

DOMICÍLIOS LIGADOS NOS CONCURSOS, MISS SÃO PAULO, MISS MINAS GERAIS, MISS BRASIL E MISS UNIVERSO NA GRANDE SÃO PAULO
Os dados são referentes às edições de 2003 a 2015
Ano MSP MMG MB MU Domicílios por Evento (000)
2003 * * 329 376 352,5
2004 * * 339,5 242,5 291
2005 * * 297 247,5 272,25
2006 209,2 * 313,8 224,89 251,04
2007 190,4 * 244,8 326,4 250,24
2008 305,25 * 238,63 199,8 244,2
2009 270 ** 300 120 228
2010 233,2 * 204,05 23,32 151,58
2011 116,4 116,4 174,7 477,24 221,16
2012 120,4 * 120,4 240,8 180,6
2013 173,32 * 241,63 185,85 198,08
2014 143,44 * 189,08 181,2 169,52
2015 147,64 * 154,3 120,8 140,91
(*)Não houve transmissão no ano indicado
(**)Sem registro
SIGLAS UTILIZADAS: MSP=Miss São Paulo, MMG=Miss Minas Gerais, MB=Miss Brasil, MU=Miss Universo
Equivalências de ponto:
2003: 48.489 domicílios
2004: 48.500 domicílios
2005: 47.500 domicílios
2006: 52.300 domicílios
2007: 54.400 domicílios
2008: 55.500 domicílios
2009: 58.300 domicílios
2010: 58.300 domicílios
2011: 58.235 domicílios
2012: 60.204 domicílios
2013: 61.952 domicílios
2014: 65.201 domicílios
2015: 67.113 domicílios

Concursos do Projeto Miss perderam 30% de telespectadores desde 2003

Embora tenham tido seu maior pico de popularidade em 2004, os concursos do Projeto Miss da Band foram experimentando altos e baixos no quadro de telespectadores. Tomando como base as médias consolidadas de cada evento e suas equivalências de ponto, os concursos de misses renderam para a emissora em 2015 uma queda de 30,64% ante o Projeto Miss 2003, então composto apenas pelo Miss Brasil e pelo Miss Universo – contando apenas os eventos ativos de grade. Por evento, o maior público foi registrado no Miss Universo 2011, visto na capital paulista por 1,5 milhão de telespectadores, seguido do Miss Brasil 2009, visto por 1,1 milhão de telespectadores. O menor público foi registrado no concurso Miss Universo 2010, visto por apenas 65.994 telespectadores.
Entre 2003 e 2004, o Projeto Miss teve crescimento de 68,65% no número de telespectadores. Já no período 2004-2005, a queda foi de 7,32%. Em 2005-2006, a queda foi maior: 9,91%. No período 2006-2007, graças ao vice-campeonato de Natália Guimarães no Miss Universo, a perca de público foi estancada para 2,91%. No período 2007-2008, apesar do mau resultado brasileiro na disputa internacional, a Band teve crescimento de 18,02% com os concursos. Entre 2008-2009, a derrapagem foi de 13,63%. No período 2009-2010, a queda foi ainda maior – 48,68%. Entre 2010 e 2011, a Band teve crescimento de 62,71% com a realização do Miss Universo no Brasil. Após o concurso, só más notícias: queda de 20,48% entre 2011 e 2012, um crescimento tímido de 7,13% entre 2012 e 2013 e quedas de 14,74% entre 2013 e 2014 e 17,90% entre 2014 e 2015. Na tabela abaixo, o quadro detalhado de telespectadores de cada edição dos concursos de misses já realizados ou transmitidos pela Band:

EVOLUTIVO DE TELESPECTADORES NOS CONCURSOS, MISS SÃO PAULO, MISS MINAS GERAIS, MISS BRASIL E MISS UNIVERSO NA GRANDE SÃO PAULO
Os dados são referentes às edições de 2003 a 2015
Ano MSP MMG MB MU Telespectadores por Evento
2003 * * 560.000 640.000 600.000
2004 * * 1.180.564 843.260 1.011.912
2005 * * 1.023.000 852.500 937.750
2006 704.000 * 1.056.000 792.000 844.800
2007 624.050 * 802.350 1.069.800 820.180
2008 1.210.000 * 946.000 792.000 968.000
2009 990.000 ** 1.100.000 440.000 836.000
2010 659.944 * 577.451 65.994 428.963
2011 367.040 367.040 550.560 1,504.864 697.976
2012 370.000 * 370.000 740.000 555.000
2013 520.279 * 724.674 557.442 594.604
2014 425.218 * 560.514 535.037 506.923
2015 435.956 * 435.956 356.691 416.140
(*)Não houve transmissão no ano indicado
(**)Sem registro
SIGLAS UTILIZADAS: MSP=Miss São Paulo, MMG=Miss Minas Gerais, MB=Miss Brasil, MU=Miss Universo
Equivalências de ponto:
2003: 80.000 telespectadores
2004: 168.652 telespectadores
2005: 170.000 telespectadores
2006: 176.000 telespectadores
2007: 178.300 telespectadores
2008: 220.000 telespectadores
2009: 220.000 telespectadores
2010: 164.986 telespectadores
2011: 183.520 telespectadores
2012: 185.000 telespectadores
2013: 185.814 telespectadores
2014: 193.281 telespectadores
2015: 198.162 telespectadores

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Ibopes da vida, Nossas Venezuelas, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

7 respostas para EXCLUSIVO: Média de audiência dos concursos do Projeto Miss da Band em 2015 é a pior de todos os tempos

  1. Pingback: Após Marthina Brandt e a Polishop, como vão ficar os concursos estaduais do Miss Brasil 2016? | TV em Análise Críticas

  2. Pingback: Presidenta da MUO barrou negócio da WME/IMG com a Rede Globo para ter Miss Universo na TV aberta brasileira | TV em Análise Críticas

  3. Pingback: Número de leitores do TV em Análise Críticas cresce 69,64% em comparação a 2012 e 106 mil% em relação a 2010 | TV em Análise Críticas

  4. Pingback: Transmissão de concursos de misses é um atentado contra a biografia da Band | TV em Análise Críticas

  5. Pingback: Endividada e respirando com empréstimo da Caixa, Band ameaça parar a transmissão do Miss Brasil e do Miss Universo e outra emissora pode assumir concursos a partir de 2017 | TV em Análise Críticas

  6. Pingback: Com prejuízo de quase R$ 500 milhões noticiado no jornal Metro, Band promete transmissão nacional de dois concursos estaduais, do Miss Brasil e do Miss Universo 2016. A Polishop vai ficar como credora dessa aventura? | TV em Análise Críticas

  7. Pingback: Além de audiência, Band também perde receita com o concurso Miss Brasil 2015 | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s