Fracasso na TV, eleição de Marthina Brandt como Miss Brasil 2015 também empaca na imprensa gaúcha


De 20 jornais pesquisados pelo Críticas, apenas quatro deram capa sobre o assunto, sem grande destaque

Da redação TV em Análise

Reprodução/Diário Gaúcho


Capa do Diário Gaúcho que fez de tudo para não esconder o feito

Entre a quinta-feira (19) e a sexta-feira (20), dos 20 jornais gaúchos pesquisados pelo TV em Análise Críticas, apenas quatro dedicaram capas à eleição de Marthina Brandt como Miss Brasil 2015. Na capital, Porto Alegre, dos quatro principais jornais da cidade, entre versões impressas e digitais, apenas O Sul e Diário Gaúcho colocaram foto de capa da nova representante brasileira no Miss Universo, porém, sem colocar manchete. O Correio do Povo, ligado ao grupo Record, e o Zero Hora, do Grupo RBS, ligado à Rede Globo, ignoraram o feito em suas primeiras páginas nos dias citados.
Na região metropolitana da capital gaúcha, apenas o Jornal NH, da cidade de Novo Hamburgo, fez referência à vitória de Brandt no Miss Brasil 2015, colocando a notícia num canto da primeira página, sem maior importância. Na região da serra, o Pioneiro, de Caxias do Sul, também da RBS, colocou uma foto destacada de Brandt já coroada no alto de sua primeira página. Mas a manchete principal não versava sobre o concurso e sim sobre uma operação de repressão ao tráfico de entorpecentes.

Reprodução/Jornal NH


Jornal NH “escondeu” eleição de Brandt em canto de capa

Jornais de outras regiões do Rio Grande do Sul como O Alto Uruguai, de Frederico Westphalen, Diário da Manhã, de Passo Fundo/Carazinho/Erechim, Diário da Manhã e Diário Popular de Pelotas e A Razão, de Santa Maria, deixaram o feito passar em branco nas suas primeiras páginas. Até o fechamento desta reportagem, a Kantar Ibope Media não tinha liberado os números consolidados da audiência do Miss Brasil 2015 relativos à Grande Porto Alegre, que servirão de referência para apurar a que ponto chega a “popularidade” dos concursos de misses junto aos gaúchos. Na Grande São Paulo, a transmissão do certame pela Band registrou 2,3 pontos, a segunda pior média da série histórica iniciada no Miss Brasil 1982, exibido no SBT.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Imprensa, Nossas Venezuelas, Projetos especiais e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s