Assunto da semana: O Natal do Carnaval de Tim Kring


Efeitos especiais e cosplay japonês são virtudes de Heroes Reborn

John Medland/NBC/Divulgação/05.10.2015

Passadas as águas do Mar Vermelho na recém-pausada novela Os Dez Mandamentos, o debate agora se concentra na apresentação da embalagem de Heroes Reborn, (TNT, 6ª, 19h, 14 anos) após a exibição de seus cinco episódios na tevê paga brasileira. Concebida pelo roteirista Tim Kring para dar extensão aos acontecimentos seguintes à quarta temporada, finalizada em fevereiro de 2010, a minissérie parece repetir mais do mesmo em 90% de sua forma e conteúdo, apesar de estar com outros atores e ares.

Christos Kalohoridis/NBC/Divulgação/08.06.2015

Querer comparar Molly Walker na versão Francesca Eastwood metendo força sobrenatural em inimigos no episódio The Lion’s Den (quinto desta extensão de Heroes) com Moisés do Guilherme Winter na abertura da passagem do Mar Vermelho aos hebreus é conceber um erro grosseiro. No episódio, a tarefa é de Malina Bennet, interpretada pela jovem atriz Danika Yarosh, 17 anos completados no último dia 1º de outubro. Estávamos prestes a fazer um gol contra o bom jornalismo, mas o reparo devido foi feito a tempo. Amém..

John Medland/NBC/Divulgação/05.06.2015

Já a parte concernente ao núcleo japonês de Heroes Reborn se mostra carnavalesca e confusa, dada à quantidade de cosplay empregado para essa fase. Dá se ao telespectador a impressão de estar lendo gibi do Maurício de Sousa, 80, ao invés de estar se assistindo à minissérie propriamente dita. Esse é o ponto ruim da trama. A reprovação do público a essa forma fez a trama desabar de 6,09 milhões de telespectadores na estreia americana, em 24 de setembro, para a exibição original do quinto episódio, em 15 de outubro. É incompreensível.

John Medland/NBC/Divulgação/02.10.2015

Aos óculos de Noah Bennet, papel de Jack Coleman, único ator mantido em relação à série propriamente dita, pode se perceber tudo, menos que Heroes Reborn fosse o grande evento de dramaturgia da fall-season 2015 na televisão americana, em todas as formas. Ante a fanfarra dada a Marvel’s Jessica Jones e à enxurrada de capas dedicadas à sexta temporada de The Walking Dead, Heroes Reborn poderia se enquadrar no mesmo patamar de outro Joãozinho Trinta de enganação televisiva chamada Minority Report. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (22/11)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Minisséries e telefilmes, Séries e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s