FOX assina com a WME/IMG e assume direitos de transmissão dos concursos Miss Universo e Miss USA


Acordo foi anunciado na tarde desta quarta-feira (28)

Da redação TV em Análise

NBC/Divulgação/25.01.2015


Paulina Vega fará sucessora na emissora de Empire

Enfim, acabou a novela que cercava os direitos de transmissão do concurso Miss Universo 2015 para os Estados Unidos: a FOX anunciou no começo da tarde desta quarta-feira (28) a assinatura de um acordo com a WME/IMG para transmissão do certame, marcado para o dia 20 de dezembro, no The AXIS at Planet Hollywood Resort and Casino (antigo PH Live), em Las Vegas. O contrato de transmissão, que deve vigorar até 2020, também cobre o concurso Miss USA a partir de 2016. A vigência da parceria FOX/MUO vai começar a partir deste ano, mas não vai cobrir o concurso Miss Teen USA, a princípio.
No dia 14 de setembro, a WME/IMG comprara a Miss Universe Organization de seu antigo proprietário, o pré-candidato republicano à Casa Branca Donald Trump, que se viu forçado a vender a entidade após declarações racistas contra imigrantes ilegais mexicanos, os quais, no lançamento de sua campanha, no dia 20 de junho, em Chicago, foram chamados de “criminosos”, “traficantes de drogas”, “contrabandistas” e estupradores”. O teor das declarações fez com que as coordenações do México, Panamá e Costa Rica rompessem com a então administração da MUO. Destes países, o Panamá retornou à disputa mediante acordo com Trump. Já a Costa Rica retornou à disputa assim que a empresa do agente de modelos Ari Emanuel e de seu sócio, Patrick Whitesell, assumiu os ativos da MUO.

História e perspectivas de dias melhores

Desde que o concurso começou a ser televisionado para os Estados Unidos, em 1960, pela CBS, o Miss Universo passou também pelas mãos da NBC, Telemundo e Univisión. Neste último caso, o acordo que a emissora assinara em janeiro último perdeu a validade após os ataques do então gestor Trump aos imigrantes mexicanos. No caso do Miss USA, etapa americana do Miss Universo, as transmissões televisivas começaram apenas em 1965, também na CBS, seguindo, em 2003, o mesmo caminho do concurso internacional para a NBC. Com a crise de Trump com os imigrantes mexicanos, o Miss USA 2015 foi para o irrelevante canal pago Reelz, conhecido apenas por ter comprado os direitos da controversa minissérie The Kennedys, que conseguiu 10 indicações ao 63º Primetime Emmy e saiu com quatro estatuetas, inclusive a de melhor ator em minissérie ou telefilme, para Barry Pepper, que interpretou o senador Robert Kennedy (1925-1968), ausente na premiação realizada em 18 de setembro de 2011.
A passagem do Miss USA pelo ReelzChannel, no dia 12 de julho, foi um capítulo negro na história da Miss Universe Organization: sem apoio da grande mídia e com as famílias das candidatas estaduais e até mesmo a miss que saía, Nia Sanchez, terem de pagar com as próprias despesas com vestuário, alimentação e estadia em Baton Rouge (Luisiana), o certame amargou sua pior audiência em território americano: 925 mil telespectadores, ficando fora da relação dos 100 programas mais vistos em toda aquela data. A mudança do Miss USA e também do Miss Universo para a FOX do fenômeno dramático familiar de hip-hop Empire (ironicamente exibido no Brasil pelo canal pago Fox Life) deve abrir novas portas para a principal organização de concursos de beleza do mundo. Segundo especialistas de mercado ouvidos pelo TV em Análise Críticas, estima-se que a FOX deva pagar à WME/IMG os mesmos US$ 13,5 milhões que eram cobrados tanto da NBC quanto da Univisión. Na certa, deverá ser um importante retorno de mercado, pois o Miss USA já poderá contar com uma importante janela de visibilidade e exposição de mídia a partir de 2016. E, com isso, recuperar o público que perdeu.

Para a torcida de Olivia Jordan, acabou o drama

A definição da nova emissora do concurso Miss Universo 2015 também encerra um drama pelo qual já estava passando a torcida da Miss USA 2015, a oklahomana Olivia Jordan, 27: se o concurso passasse no ReelzChannel, pelo menos 42% dos domicílios com TV paga nos Estados Unidos ficariam privados de torcer pela candidata do próprio país, ainda mais com o concurso tendo Las Vegas como cidade-sede. Com a negativa do Reelz em transmitir o Miss Universo 2015, assinalada ainda no TCA Summer Press Tour de agosto, restou à WME/IMG assinar com uma rede aberta, de penetração maior. NBC e Univisión chegaram a apresentar propostas para refazer os contratos antigos, mas foram derrotadas. A CBS também chegou a se interessar em voltar a transmitir o certame, mas a empresa de talentos que revelou nomes como Tyra Banks, Gisele Bündchen e Hillary Duff queria algo novo em termos de direitos televisivos de concursos de beleza. O acordo com a FOX abre a quarta janela em língua inglesa pela qual o Miss Universo e o Miss USA passam em suas respectivas histórias. Em língua espanhola, a MUO ainda não encontrou uma emissora para as transmissões para o público hispânico dos Estados Unidos dos concursos Miss Universo e Miss USA, para tentar substituir a Univisión.

Mudança de emissora vai atingir horário do concurso no Brasil

Com o contrato entre a MUO e a FOX, a Rede Bandeirantes e o canal pago TNT serão forçados a fazer adaptações nas suas respectivas grades para acomodar o Miss Universo 2015, que vai começar às 19h da costa leste americana (22h pelo horário de Brasília, 21h nos Estados sem horário de verão). O humorístico Pânico na Band terá de terminar mais cedo para acomodar a transmissão do certame.
Já na TNT, que é um canal de filmes e eventos especiais como o próprio Miss Universo, o impacto é menor. Em anos anteriores, o Miss Universo começou às 22h pelo horário de Brasília. A exceção ocorreu em 2013, quando o concurso, realizado em Moscou, teve de ser transmitido às 16h (horário de verão), por exigência dos organizadores locais. Com isso, a Band, que tinha à época os direitos do Campeonato Brasileiro da Série B, se viu obrigada a passar um VT do certame à noite.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Concursos de beleza, Eventos, Negócios, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para FOX assina com a WME/IMG e assume direitos de transmissão dos concursos Miss Universo e Miss USA

  1. Pingback: Ao assinar com a Miss Universe Organization, FOX pode estar pagando mais do que a entidade vale ao longo de cinco anos | TV em Análise Críticas

  2. Pingback: Band e FOX copiam Globo e vetam ‘naming rights’ em sedes do Miss Brasil 2015 e Miss Universo 2015 | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s