Para a WME/IMG, continuidade da Band como franqueada do Miss Universo no Brasil é quase nula


Empresa de Ari Emanuel quer assinar, o quanto antes, acordo com a Globo, que pretende “repopularizar” a indústria de concursos de misses no país; SBT e Record também tem chances de disputa

Da redação TV em Análise
(Arualizado em 16/9/2015, às 17h57)

Lucas Ismael/Band/Divulgação/27.09.2014


Por audiência, concurso de Miss Brasil pode ir para a Globo

Os baixos índices de audiência que o concurso de Miss Universo vem obtendo na Rede Bandeirantes, a partir de sua etapa nacional, o Miss Brasil, e de suas etapas regionais mais importantes (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Bahia e Rio Grande do Sul) devem levar a WME/IMG, nova proprietária da Miss Universe Organization, a rever seu contrato de transmissão televisiva para o Brasil a partir de 2016. Uma fonte da WME/IMG informou na manhã desta quarta-feira (16) ao TV em Análise Críticas que o contrato assinado em 2010 pela Band com o ex-proprietário da MUO, Donald Trump, que vai vencer no dia 13 de dezembro, será respeitado. Após essa data, a empresa do agente de modelos Ari Emanuel quer uma parceria de mídia mais importante que à da Band para “dar mais visibilidade e exposição” às vencedoras não apenas do Miss Brasil, mas principalmente das 27 etapas estaduais e das cerca de 350 etapas municipais existentes em 15 Estados e em parte das 31 regiões administrativas do Distrito Federal.
Para os concursos de Miss Brasil e Miss Universo, bem como os regionais, passarem para a Globo será preciso que a WME/IMG assine um acordo de parceria nos moldes dos que foram adotados pelo SBT (1979-1989) e Band (2003-2015). Há aval do diretor geral da emissora, Carlos Henrique Schroeder, mas no entanto, alguns diretores de afiliadas se mostram reticentes e relutantes em tocar o projeto. Um diretor de afiliada global da região Nordeste informou ao Críticas, sob condição de anonimato, que “os concursos de misses são a coisa mais atrasada e ultrapassada que existe no país e ainda resiste, apesar da existência maciça de supermodelos como Gisele Bündchen (agenciada pela IMG Models, uma das subdivisões da WME/IMG)”.
Caso o concurso Miss Brasil passe para a Globo a partir de 2016, será a primeira vez que o concurso nacional válido pelo Miss Universo passa a ter possibilidade de transmissão nos 26 Estados e no Distrito Federal – mesmo requisito também atendido pela Record. A Band tem emissoras próprias ou afiliadas em 25 das 27 unidades da federação que competem no Miss Brasil. Em Alagoas e Sergipe, a emissora da família Saad só possui retransmissoras, o que compromete e muito a exposição do concurso. Além disso, pesa contra a continuidade da parceria da Band com a MUO a baixa quantidade de concursos estaduais televisionados ou promovidos – 12, quando o ideal seriam 15. Além disso, a Band poderia perder para a concorrente da famíglia Marinho os profissionais que levaram o Brasil a acumular sucessos no Miss Universo desde 2012, como Evandro Hazzy, Vivian Negocia, Gabriela Fagliari e o ex-ministro do Turismo Caio Luiz de Carvalho, que também estão na mira do SBT.
Nos Estados Unidos, a nova direção da Miss Universe Organization também procura parceiras de mídia como parte do processo de revitalização dos três concursos agora sob sua propriedade – Miss USA, Miss Teen USA e o próprio Miss Universo. A restauração dos contratos com a NBC e a Univisión, rescindidos ainda em função dos comentários racistas de Trump, pré-candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, contra imigrantes ilegais mexicanos, é coisa que não está totalmente descartada. “A revitalização dos eventos da MUO sob a nova bandeira possibilitará a retomada dos velhos acordos, respeitando-se suas demandas de audiência”, informou ao Críticas uma fonte envolvida nas negociações.

DESDE 2003, AUDIÊNCIA DO MISS BRASIL NA BAND SÓ DESABOU
Certame perdeu 58,57% de média de domicílios ligados no evento nas medições realizadas na Grande São Paulo. Fonte: Ibope
Ano Rede Média
2003 Band 7
2004 Band 7
2005 Band 6
2006 Band 6
2007 Band 4,5
2008 Band 4,3
2009 Band 5
2010 Band 3,5
2011 Band 3
2012 Band 2
2013 Band 3,9
2014 Band 2,9

“Concurso Miss Brasil não é nenhum MasterChef“, diz executivo da WME

Na mão totalmente oposta do mega sucesso do reality culinário MasterChef Brasil, cuja final de sua segunda temporada ocorreu na noite desta terça-feira (15), os concursos do projeto de misses da Band televisionados na Grande São Paulo (principal praça de decisões para o mercado publicitário brasileiro) agonizam. Em comparação aos 10,2 pontos registrados pela competição culinária, a média dos concursos do Projeto Miss 2014 não passou de 2,6, como atestou reportagem do Críticas publicada em 28 de julho. Desde 2006, os concursos de misses transmitidos pela Band perderam 45,83% de média de público. “A julgar pelos números apresentados por vocês do TV em Análise Críticas, podemos aferir que o concurso de Miss Brasil, na Band, não é nenhum MasterChef de audiência. Teve seu bom ciclo, mas com a saturação do público e a oferta de outras opções pelas redes concorrentes (Sabrina Sato e Marcos Mion ma Record, Serginho Groisman migrado da madrugada da Globo e Celso Portioli ressucitando o velho Sabadão do SBT), foi perdendo fôlego. É possível que com uma eventual mudança para a Globo ou para a Record, o Miss Brasil, os estaduais e até o próprio Miss Universo recuperem o fôlego perdido junto ao público brasileiro”, salientou um alto executivo da WME/IMG, que pediu para não ser identificado.
Em total de telespectadores, a final da segunda temporada do MasterChef Brasil, vencida pela competidora Izabel Alvares, conseguiu bater até mesmo a edição do concurso Miss Universo de maior audiência registrada na Band: 2,3 milhões contra 1,5 milhão na 60ª edição do certame, realizada em São Paulo, no então Credicard Hall, em 12 de setembro de 2011.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Força da Grana, Globelezação, Negócios, Nossas Venezuelas, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

13 respostas para Para a WME/IMG, continuidade da Band como franqueada do Miss Universo no Brasil é quase nula

  1. Pingback: Saída de Donald Trump da Miss Universe Organization divide internautas do Críticas | TV em Análise Críticas

  2. Pingback: Coordenadores estaduais cobram da Band uma solução para o caso do concurso Miss Brasil 2015 | TV em Análise Críticas

  3. Pingback: Entre estaduais do Miss Brasil 2015, Miss Ceará teve mais audiência que Miss São Paulo | TV em Análise Críticas

  4. Pingback: Vices da Band vão a NY e Beverly Hills para tentarem ‘salvar’ concurso Miss Brasil das mãos da Globo | TV em Análise Críticas

  5. Pingback: CNCCB, Enter e Band não chegam a acordo e concurso Miss Brasil 2015 é adiado mais uma vez. Coordenadores ameaçam ir à Justiça por perdas e danos morais | TV em Análise Críticas

  6. Pingback: Negociações com o Anhembi fracassam e Miss Brasil 2015 será mesmo em casa de espetáculos particular de SP | TV em Análise Críticas

  7. Pingback: Com data definida para o Miss Brasil 2015, Band volta a negociar patrocínios para o concurso | TV em Análise Críticas

  8. Pingback: Em horário de verão, concurso Miss Brasil 2015 pode ter menos audiência que edições anteriores | TV em Análise Críticas

  9. Pingback: Na calada da noite, Band vende direitos do concurso Miss Brasil 2015 para a Polishop e abre caminho para ficar sem o certame em 2016 | TV em Análise Críticas

  10. Pingback: Começa a programação do Miss Brasil 2015. E com ela, o risco da Band tomar uma surra helênica | TV em Análise Críticas

  11. Pingback: Por humoristas do Pânico, Band vai passar o concurso Miss Universo 2015 gravado. E vai tomar recibo da TNT | TV em Análise Críticas

  12. Pingback: Após Marthina Brandt e a Polishop, como vão ficar os concursos estaduais do Miss Brasil 2016? | TV em Análise Críticas

  13. Pingback: Jornalista Mirian Dutra diz que emissora que pretende tirar Miss Brasil da Band (e na qual trabalhou) foi beneficiada com dinheiro do BNDES para colocá-la no exílio | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s