Assunto da semana: Um black-ish de gente


A difícil parada de Anderson no 67º Primetime Emmy de atuação cômica

Adam Taylor/ABC/Divulgação/24.09.2014

Por uma questão de concisão, evitei colocar a palavra “concorrência” para o difícil desafio do estreante Anthony Anderson, 45, em sua primeira indicação a uma edição de Primetime Emmy, como ator de uma aclamada (e desagradável aos nervos de Donald Trump) comédia chamada Black-ish (ABC, Canal Sony). Iria estourar o espaço da titulação deste texto, que estaria prestes a virar uma piada pronta. Como as que Will Forte (The Last Man on Earth, FOX/FX) construiu em sua edificante passagem pelo Saturday Night Live.

Amazon Prime/Divulgação/09.10.2014

E por que chamar essa disputa feroz de biografias de indicações que variam das sete de Matt LeBlanc (Episodes e história construída em Friends) e Jeffrey Tambor (Transparent e histórico em parte saído de Arrested Developement) à manada de 37 indicações arrebanhadas por Louis C.K. de parada? Não tem nada a ver com ponto de ônibus ou lista de músicas detrito mais pedidas de emissora de rádio FM. Nem com os 50 anos da Jovem Guarda. Mas com a competição ferrenha que se instala antes do fim das votações.

Cliff Lipson/Showtime/Divulgação/30.01.2015

Às portas de os votantes da Academia Nacional de Televisão (NATAS, na sigla em inglês) terem findado suas decisões, pensar numa vitória surpresa de Anthony Anderson como o paizão de Black-ish e seu enredo politicamente correto de uma família afro-americana para servir de lead-out de Modern Family seria um chute. Tal qual prova de cursinho vestibular, ENEM ou coisa que o valha. Ignorância posta à mesa, deve se ressaltar o feito de William H. Macy (Shameless) no SAG Awards de janeiro, onde venceu na sua categoria. Perigo à vista.

Michael Desmond/Showtime/Divulgação/29.03.2015

Por último, a quarta indicação consecutiva de Don Cheadle pelo papel de chefe inescrupuloso de House of Lies (Showtime/canais HBO) serviu apenas para acrescentar currículo ao ator, cujas primeiras indicações em Primetime Emmy vieram em 1999 por dois telefilmes da HBO, The Rat Pack e A Lesson Before Dying. Chances de vencer? Nenhuma. Na esquadra formada das indicações anunciadas em 16 de julho, Cheadle, que ultrapassou a barreira dos 50 anos em novembro passado, é o principal azarão da comédia. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (30/8)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Atuação, Coluna da Semana, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s