Mudança do Miss Brasil da Band para o SBT só vai valer a partir de 2016: por MUO, concurso de 2015 segue no Morumbi


*Jornalista do Grupo Folha nega informação já antecipada pelo Críticas, mas a realidade, dentro da Band e das coordenações estaduais, é outra: a festa acabou
*Para internauta do UOL, Globo já estaria com um pé nos concursos da Band

Da redação TV em Análise

Antares Martins/Band RS/Divulgação/29.06.2015


“IDEOLOGIA, EU QUERO UMA PRA VIVER (RICO OU MORRER TENTAMDO)”
Ex-ministro da turma de FHC, Caio Luiz de Carvalho, coordenador tucano do Miss Brasil, já é alvo da ira de coordenadores estaduais insatisfeitos com a Enter

Com gravíssimos problemas de caixa, a direção da Rede Bandeirantes já avalia que a 61ª edição do concurso Miss Brasil será a última sob sua responsabilidade. Fontes da Enter, empresa do Grupo Bandeirantes que organiza o evento, informaram ao TV em Análise Críticas que o orçamento para a realização do Miss Brasil 2015 no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo, no dia 31 de outubro, já começou a ser levantado e pode sofrer cortes em relação à edição de 2014, realizada em Fortaleza (Ceará). A informação surge imediatamente após o colunista Flávio Ricco, do UOL (empresa do Grupo Folha), publicar informação da assessoria da Band negando a transferência do concurso para o SBT já para este ano, o que realmente procede. Por obrigação contratual junto à Miss Universe Organization, cujo compromisso com a Enter acaba no dia 13 de dezembro., a Band é obrigada a realizar o Miss Brasil 2015 para poder enviar a representante brasileira ao concurso Miss Universo 2015, cuja data e cidade-sede permanecem em aberto.
Até à data, foram realizadas 24 das 27 etapas estaduais do Miss Brasil 2015, 11 delas organizadas ou transmitidas pela Band e suas afiliadas. Antes de eclodir o rumor de mudança imediata do Miss Brasil 2015 da Band para o SBT, restavam três Estados para eleger suas candidatas: Rio de Janeiro, Espírito Santo e Tocantins. O primeiro Estado já marcou seu concurso para o dia 19 de setembro, na Cidade do Samba (zona portuária da capital fluminense). Um internauta do UOL chegou a sugerir a transferência do Miss Brasil para a Rede Globo “por questões de visibilidade”. Desde que desembarcou na Band em 2003, o concurso nacional só capenga em termos de audiência: dos 7 pontos registrados naquele ano na medição do Ibope realizada na Grande São Paulo, o evento despencou para 2,9 em 2014, a segunda pior média da série histórica, iniciada em 1982, ainda no SBT. À ocasião, o concurso realizado no mesmo Anhembi que poderá acolher o concurso da Band registrara média de 38,4 pontos. À exceção de Natália Guimarães (2007), nenhuma das misses Brasil eleitas pela Band conseguiu seguir na carreira artística.
Em off, um coordenador estadual informou ao Críticas sua insatisfação com a direção da Enter na condução do concurso Miss Brasil, tida como “calamitosa” e “desastrosa”, citando inclusive o período em que a Band transmitiu o concurso sob licença da Gaeta Promoções e Eventos, que tinha contrato com a Globo para transmitir o Miss Brasil e o Miss Universo, avalizado pela MUO. Fez ainda duras críticas ao tucano Caio Luiz de Carvalho, ex-ministro do Turismo do (des)governo FHC, por ter “afundado ainda mais” a credibilidade do Miss Brasil ante outras etapas nacionais do Miss Universo, como Holanda, Vietnã, Rússia, Venezuela, Colômbia e França, por exemplo, sem contar os Estados Unidos, país-sede da administração central do concurso. No entanto, a fonte poupou o coordenador técnico do Miss Brasil, Evandrio Hazzy, e as diretoras da Enter, Gabriela Fagliari e Vivian Negocia, de ataques pessoais, temendo represálias e processos.
No dia 25 de julho, o Críticas publicou em matéria que o contrato da Band com a MUO para promover o Miss Brasil e os concursos locais e transmitir em TV aberta o concurso de Miss Universo, assinado em 13 de dezembro de 2010, estaria prestes a expirar. Uma fonte ligada ao mundo dos concursos de beleza procurou o Críticas para informar de uma suposta negociação entre o SBT e a Enter para a compra da marca Miss Brasil, patenteada pela Band em 2012. A presença de misses no Programa Sílvio Santos causou constrangimento em diretores da Enter, que viram nas idas de Renata Fan (apresentadora da Band e Miss Brasil eleita em 1999, sem televisão) e Natália Guimarães (Miss Brasil 2007 eleita na própria Band e segunda colocada do Miss Universo do mesmo ano) ao canal de Senor Abravanel uma clara provocação do Grupo Sílvio Santos à família Saad, dona da Band, de emissoras de rádio, de dois jornais, de cinco canais pagos e de 16 fazendas no interior de São Paulo. Alguns desavisados de plantão interpretaram erradamente em redes sociais e fóruns especializados que a Band tentaria passar o Miss Brasil 2015 para o SBT, ainda que fosse a preço de banana. Pensaram errado: a Band vai sim promover e transmitir o Miss Brasil 2015, como a matéria do Críticas sustentou e ainda sustenta. Mas a troca de bandeira televisiva do Miss Brasil, para a direção da MUO, só vai acontecer para 2016. Coincidentemente, já houve uma mudança forçada de afiliação do Miss USA 2015 da NBC para o apagadíssimo canal pago Reelz, que resultou desastrosa em audiência. Negociações para a troca de controle do concurso Miss Universo, forçadas em função das declarações discriminatórias de seu co proprietário, Donald Trump, contra imigrantes ilegais mexicanos durante o lançamento de sua pré-candidatura à Presidência dos Estados Unidos. já estariam em andamento, envolvendo os grupos Televisa, Univisión e NBCUniversal (este último, dono de 51% das ações da MUO).

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Negócios, Nossas Venezuelas, Projetos especiais e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Mudança do Miss Brasil da Band para o SBT só vai valer a partir de 2016: por MUO, concurso de 2015 segue no Morumbi

  1. Pingback: SBT também pode tirar da Band profissionais da organização do Miss Brasil responsáveis por seu sucesso recente | TV em Análise Críticas

  2. Pingback: Imprensa mitômana e udenista insiste na cantilena de segurar o Miss Brasil na Band na base do desespero | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s