Assunto da semana: Os zeros que ainda restam


Três em busca de seu primeiro Primetime Emmy de ator em drama

AMC/Divulgação/18.05.2015

Chega a espantar a quantidade de zeros em estatuetas de três dos indicados ao 67º Primetime Emmy na categoria de melhor ator em série dramática. A despeito de ser o mais experiente em indicações de seu grupo, Jon Hamm fechou seu ciclo de 11 indicações por Mad Men sem ainda ter visto uma delas na sua mão. É mais ou menos aquele analogismo do Lamar Odom quando era casado com uma das irmãs Kardashian de reality: “É como Susan Lucci e os Emmys…”. Mas Hamm não está sozinho nessa cruzada maldita. Vem mais gente.

David Giesbrescht/Netflix/Divulgação/13.11.2014

Com um histórico de sete indicações, cinco delas por House of Cards (incluindo duas como produtor-executivo em série dramática), Kevin Spacey chega para esta edição do Primetime Emmy com menos poder de fogo. Perdeu a indicação como produtor da terceira temporada até porque o Netflix não lhe creditou na equipe responsável. Faltou interesse. Antes desta série, Spacey já tinha tido duas indicações na área de minissérie ou telefilme – Recount (2008) e Bernard and Doris (2011), ambas produções da HBO.

Showtime/Divulgação/02.07.2014

Muito atrás, Liev Schreiber embarca na sua segunda indicação da carreira – a primeira (enfim!) por Ray Donovan, aclamada produção de summer-season da Showtime, cá exibida pela rede de canais da HBO. O feito de Schreiber, para que os “críticos” incautos não venham escrever besteira por aí, é relativo à segunda temporada, exibida em junho do ano passado. Antes desta produção, o californiano de San Francisco de não sei quantas canções já fora indicado em 2000 pelo papel de Orson Welles (1915-1985), no telefilme RKO 281.

Lewis Jacobs/AMC/Divulgação/14.02.2015

Da turma que tem estatuetas de Primetime Emmy e foi indicada à 67ª edição na área de ator em série dramática, a maior experiência vem de Bob Odenkirk, de Better Call Saul. O intérprete de Jimmy McGill, advogado introduzido no ciclo final de Breaking Bad, possui cinco indicações como roteirista de programas de variedades ou musicais como The Ben Stiller Show e Saturday Night Live, dos quais vieram suas duas únicas vitórias até aqui. Fechando a conta, Kyle Chandler e Jeff Daniels levaram as suas em 2011 e 2013. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (16/8)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Atuação, Coluna da Semana, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s