Por latinos, Donald Trump deverá ser afastado da Miss Universe Organization, dizem fontes


Controle acionário de 49% da entidade que promove o Miss Universo e outros dois concursos poderá ir para presidenta

Da redação TV em Análise

Miss Universe Organization/Divulgação


Paula Shugart, funcionária de Trump desde 1998, comanda a MUO desde 2001 e pode ganhar mais poderes com saída de patrão

A permanência do empresário e investidor Donald Trump, 68, como co-proprietário da Miss Universe Organization está seriamente ameaçada. Uma fonte ligada à direção da entidade informou ao TV em Análise Críticas na manhã desta segunda-feira (3) que os 49$ do controle acionário da empresa que promove o concurso de Miss Universo devem ir para sua presidenta, a executiva Paula Shugart. Na prática, Shugart, funcionária da MUO desde 1998, já vinha comandando a entidade desde que Trump se licenciou em função de sua pré-candidatura à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Republicano, no dia 20 de junho. Ela já comandava a presidência da MUO desde 2001, quando foi nomeada por Trump, mas a partir de agora passará a ter mais poderes na entidade.
Coube a Paula Shugart assumir sozinha a produção executiva do Miss USA 2015 depois das inúmeras defecções que o concurso sofreu em função das declarações discriminatórias proferidas por Trump contra imigrantes ilegais mexicanos, por ele chamados de “estupradores”, “criminosos” e “traficantes de drogas”, quando do lançamento de sua pré-candidatura. Como resultado, diversas celebridades como o rapper Flo Rida, o cantor country Craig Wayne Boyd (vencedor da sétima temporada do The Voice) e a ex-miss Universo Zuleyka Rivera se abstiveram de figurar no quadro de atrações musicais e jurados do evento, realizado em Baton Rouge (Luisiana), no dia 12 de julho.
Também como consequência das declarações de Trump, as redes NBC e Univisión romperam seus contratos de transmissão do Miss USA e do Miss Universo, assinados pelo agora ex-dono do concurso. Com Shugart no comando, caberá à presidenta da MUO renegociar esses contratos e, principalmente, tentar restabelecer relações com as coordenações da Costa Rica, México e Panamá, que desertaram do Miss Universo 2015 por se sentirem “ofendidas” com as declarações de Trump.
Com a Miss Universe Organization nas mãos de Paula Shugart, caberá a ela ir atrás de acordos televisivos mais decentes para as transmissões do Miss Universo e do Miss USA a partir de agora. A experiência desastrosa com o canal pago Reelz ainda não foi inteiramente digerida pela entidade, que já busca, sem Trump, acordos de transmissão que resgatem a visibilidade que os certames por ela organizados tinham até junho último. E a mantiveram a duras penas, apesar da baixíssima audiência verificada no Miss USA 2015.
O afastamento de Donald Trump do controle da Miss Universe Organization, segundo essa mesma fonte, aliviaria a barra das coordenações do México, Panamá e Costa Rica “que não teriam mais que carregar um peso nas costas [o trauma com as declarações racistas] por quem não tratou o concurso com dignidade [o pré-candidato republicano à sucessão de Barack Obama].” Com a troca de comando da MUO, a Trump Pageants, empresa que Trump formou para promover os concursos Miss Universo, Miss USA e Miss Teen USA, deve ser incorporada à nova estrutura da entidade e ter seus funcionários reaproveitados. Os 51% restantes da sociedade da Miss Universe Organization ainda pertencem à NBCUniversal, o que deverá ser um fator importantíssimo nas negociações do acordo televisivo para a geração oficial internacional em língua inglesa, que serve como base para os contratos de transmissão assinados pela distribuidora Alfred Haber.

Biografia

Filha de um sargento da Marinha, Paula Mary Shugart viveu em vários países em função do trabalho militar desempenhado pelo pai. De acordo com seu perfil oficial no site da MUO, Shugart vê o Miss Universo como “uma oportunidade para as mulheres do mundo celebrar suas diferenças culturais e reconhecer um grande entendimento mútuo”. Formada em Comunicação Social na Universidade de Ohio em 1981, Shugart começou sua carreira de produção televisiva no ano seguinte, quando de mudou para Los Angeles.
Antes de juntar-se aos quadros da Miss Universe Organization, Paula Shugart integrou as equipes de produção de eventos de premiação importantes como o American Music Awards, Oscar e Golden Globe Awards, este último da NBC sob contrato até 2018. Também produziu realities de competição como Star Search e concertos de turnês de artistas como Madonna e Rolling Stones. A produção do programa diurno dos irmãos cantores Donny e Marie Osmond rendeu-lhes um convite de Shugart para apresentar o Miss USA 2008, realizado em Las Vegas. A presidenta da MUO é filiada a dois sindicatos importantes para o ciclo dos Primetime Emmys: o Producers Guild of America e o Directors Guild of America. E foi sob a bandeira do primeiro sindicato que Shugart conseguiu o feito de submeter o Miss Universo 2014 à categoria de melhor programa de classe especial do 67º Primetime Emmy, sem no entanto conseguir a indicação desejada.
À parte de seu trabalho de produção e direção, Paula Shugart também está envolvida com a filantropia, atuando como voluntária de uma fundação de prevenção ao câncer de mama. Casada há 14 anos, divide sua residência entre Nova York (onde fica a sede mundial da MUO) e a cidade de Charleston, na Carolina do Sul, Estado que carrega um histórico de 33 classificações entre as semifinalistas do Miss USA, inclusive três títulos nacionais (entre eles o título de Miss Universo, conquistado por Shawn Weatherly, em 1980, em Seul). E que tem dado uma boa vizinhança à nova chefa da MUO: apenas durante sua presidência como funcionária de Trump, foram 11 classificações não-consecutivas, entre elas um segundo lugar conquistado em 2004 por Amanda Pennekamp.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Negócios, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Por latinos, Donald Trump deverá ser afastado da Miss Universe Organization, dizem fontes

  1. Pingback: Band e Miss Universe Organization fazem jogo de empurra por data do Miss Brasil 2015 | TV em Análise Críticas

  2. Pingback: Para ter mais tempo de captar anunciantes, Band adia Miss Brasil 2015 para outubro | TV em Análise Críticas

  3. Pingback: A uma semana do Miss Teen USA 2015, prevalece o silêncio sobre o futuro da Miss Universe Organization pós-Trump | TV em Análise Críticas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s