Assunto da semana: Existe vida em Marte, Luís Bacci?


Uma voz uníssona no 67º Primetime Emmy de minissérie

Van Redin/ABC/Divulgação/03.03.2015

Até o fechamento deste texto, não tive oportunidade alguma de ver American Crime por causa do Gugu. De tão excelente, a trama de um roteirista de 12 Anos de Escravidão deixa de ser programa a ser assistido para acabar se enquadrando naquilo que o Luiz Bacci chamou de “programa para intelectual assistir”, quando foi defender o Gugu das críticas em função da entrevista que fizera com a carcerária Suzane von Richtofen, de revelações capazes de abalar as cúpulas da CBF e da FIFA e a agência de risco americana Standard and Poor’s.

Jojo Whilden/HBO/Divulgação/16.10.2013

Por mais que falem de Olive Kitteridge, escolha lógica de sindicatos de direção e atuação seria irresponsável falar aqui de sua produção. Não tive ainda a oportunidade de acompanhar esta trama com cara de biografia. Nem cabe aqui comentar sua qualidade artística padrão HBO. Na vez que o sinal foi aberto, este evento dramático de duas partes escapou pelas mãos de receber qualquer acolhida crítica. Foi escamoteado em meio à sonora e ensurdecedora propaganda de Game of Thrones, que nada tem a ver com este quesito.

Robert Viglasky/SundanceTV/Divulgação/13.08.2014

Em vias de estrear no obscuro TNT Séries, The Honorable Woman, com Maggie Gyllenhaal, também se enquadra no “modo Bacci” de minisséries: é feita para intelectuais pensarem e escreverem o que quiserem. Lavo as mãos para esse tipo de produção, cuja repercussão elitizada e restrita a círculos fechados de conversa passa longe das principais operadoras de TV paga, a exemplo do que vai ocorrer com a Liga dos Campeões da Europa, “escondida” pelo Esporte Interativo. Esquece que essa produção inglesa da BBC Two existe.

FX/Reprodução

À parte da também obscura Wolf Hall, a ser conferida para quem tem Netflix, American Horror Story: Freak Show é a única produção indicada ao 67º Primetime Emmy na área de minissérie da qual tive a oportunidade de assistir. Acertei na loteria ao sustentar na crítica de 22 de fevereiro que esta extensão da franquia de Ryan Murphy teria 19 indicações, o grosso por itens técnicos e de atuação. Chutei literalmente a barraca com esse acerto. Para quem tem Kathy Bates, Jessica Lange e Angela Bassett na disputa, um refresco. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (2/8)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, minisséries, Premiações e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s