Assunto da semana: Caminho aberto para a obviedade


Concorrência magra para as comédias no 67º Primetime Emmy

HBO/Divulgação/24.01.2015

Uma disputa centrada entre Modern Family e Transparent praticamente monopoliza a lista de 81 submissões ao 67º Primetime Emmy na categoria de melhor série cômica. Monopoliza porque boa parte das comédias inscritas não é lá a última essência arábica em termos de plot ou de enredo. Vai tudo na mesma marcha de 2010: umas comédias tentando aparecer mais que as outras. Caso de Girls e da mente inventiva de Lena Dunham, que escreve, atua, dirige, produz, carrega o piano e toca saxofone. Esforço inútil.

Eric McCandless/ABC Family/Divulgação/22.10.2014

Da cabecinha de Dunham para a ausência de criatividade dos produtores das comédias juvenis da ABC Family Melissa & Joey, Baby Daddy e Young & Hungry se nota um retrocesso imenso. Nenhuma das três comédias tem porte artístico para convencer associações ou sindicatos de críticos. Mais dia menos dia, estas séries cômicas levam apenas premiação de gosto popular questionável – como se sabe, o Primetime Emmy contempla a excelência artística. Não a pobreza das premissas juvenis, que beiram à babaquice.

Sonja Flemming/CBS/Divulgação/02.09.2014

Da pobreza de ideias na emissora familiar da ABC para a eterna pretensão de Chuck Lorre emplacar ao menos duas de suas três séries nota-se um progresso tremendo. Com Two and a Half Men na cédula apenas para cumprir tabela, restou a Mom e The Big Bang Theory segurar o cajado de uma possível perspectiva de indicação. Coisa essa que breca em outras cinco produções da HBO. A tapa, Veep, Togetherness, Silicon Valley, The Comeback e Looking entram na briga para tentarem uma coisa certa na mão.

Adam Taylor/ABC/Divulgação/24.09.2014

Briga de originais HBO à parte, a excelência artística de Black-ish, pós-show de Modern Family na ABC, impressiona até mesmo quem não pôde assistir a um único episódio por culpa do Gugu (até o momento em que eu fechava este texto). Anthony Anderson é um produtor e ator competente. Sabe levar o humor afro-americano num patamar digno de aceitação junto à própria Academia de Televisão, que já lhe concedeu uma honraria recente. Disputar o topo da cadeia? Essa, no entanto, é uma história mais complicada. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (28/6)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s