Assunto da semana: As belas de Miami e as infiéis de Los Angeles


Entre misses e Mistresses o calor de dois verões atrás

Richard Cartwright/ABC/Divulgação/21.06.2013

Quando a versão americana de Mistresses estreou em 3 de julho de 2013 na ABC, já se faziam 25 anos e meio que Marina Lima lançara Uma Noite e Meia para trilhar o conturbado verão brasileiro de 1987. Na lata, a primeira temporada de Mistresses (Sony, 4ª, 20h30, 14 anos) consegue ser pior que a premissa. Mesmo sem ser infiel ao plot do original inglês (não me peçam comparações!), a trama então estrelada por Alyssa Milano (Charmed) não se mostra a última pérola do Pacífico em termos de atuação e concepção artística.

Richard Cartwright/ABC/Divulgação/21.06.2013

Com meu tempo quase todo tomado por estatísticas sobre as principais candidatas ao título de Miss Universo 2014, que tem seu desfecho neste domingo de SAG Awards e de Pro Bowl, ficou quase impossível tecer uma análise acerca do quinto episódio, Decisions, Decisions. Mas, vamos lá: Savi (personagem de Milano) esconde a gravidez do namorado, Harry (Brett Tucker, Neighbours, The Saddle Club, As Filhas de McLeod) enquanto espera resultado do teste de paternidade. Passa para o Ratinho e congêneres.

Richard Cartwright/ABC/Divulgação/21.06.2013

Pensada para a fall-season de 2012 (de cujo copyright de produção vem os episódios em exibição), Mistresses em sua edição americana tem toda cara e jeito de trama de verão. Então ambientada em Los Angeles (vai se mudar para Vancouver), Mistresses carregava consigo o sol californiano da mesma forma que carregava a superficialidade de seu enredo. Centrada nas quatro amigas lideradas por Milano, Mistresses foca na intriga entre elas de uma forma um tanto quanto pueril, indigna de tentar Primetime Emmy. Fica a desejar.

ABC/Divulgação/24.09.2014

Em Payback, há uma pobreza ainda maior de espírito no enredo da trama. O enredo escrito por Josh Reims não ajuda e em nada acrescenta. É um drama romântico de mistério cheio dos piores clichês possíveis. Não oferece conteúdo palatável para submissão ao Primetime Emmy nem de série dramática, tampouco para a atuação de Milano, que passou longe de ser inscrita em 2013. Repito: Mistresses, do jeito que foi apresentada, não era a última pérola do Pacífico, já com as correções devidas. É tosca e não atrai. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (25/1)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Séries e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s