Assunto da semana: As primeiras contas do outono 2014 da Nielsen Ratings


A mensuração dos números iniciais da fall season americana 2014

Craig Blankenhorn/CBS/Divulgação

Depois de 22 noites de estreias, a primeira porção da temporada televisiva americana 2014-2015, chamada de fall-season, revelou uma constatação: três dos quatro novos dramas que a CBS emplacou para terem temporadas completas conseguiram se converter em verdadeiros êxitos de público. Mas, e de crítica? Nada. A exceção fica para os “crimes” cometidos por Madam Secretary e Scorpion que, a exemplo da Casa dos Artistas do SBT, derrotaram o Fantástico da Globo, no caso, o Sunday Night Football e The Voice, da NBC.

Quantrell Colbert/NBC/Divulgação/11.05.2014

Nos lados da NBC, aliás, coisa boa não deve vir a julgar pela recepção fria que Constantine, estrelada por Matt Ryan, teve ao encarar a coça de um jogo da World Series do beisebol da MLB entre San Francisco Giants e Kansas City Royals. Registrar 4,3 milhões de telespectadores, para os padrões rígidos da CBS, seria uma humilhação. Humilhação essa que a própria emissora já provou na temporada retrasada, ao colocar outro fracasso nas noites de sexta-feira, Made in Jersey, apeada após três episódios. Essa é a lição a se aprender.

Jack Rowand/The CW/Divulgação/15.05.2014

Na The CW, a estreia de The Flash impressionou pelo número estratosférico de 4,5 milhões de telespectadores – prova de que a emissora acerta em cheio ao explorar as propriedades da DC Comics, ligada à Warner Bros, empresa parenta da rede ao lado da CBS e da Tribune. Foi coisa para comprometer a sobrevida das comédias novatas da ABC Selfie (ainda na corda-bamba) e Manhattan Love Story (passada à faca após quatro episódios). Mesmo expediente a FOX usa em Gotham, porém sem o mesmo sucesso.

Paul Drinkwater/NBC/Divulgação/16.10.2014

Ainda não dá para mensurar as duas noites restantes de estreias da CBS – segunda-feira (27) e quinta-feira (30). Mas o compêndio inicial de números aponta para uma hegemonia contínua da emissora em total de telespectadores, de acordo com o dia útil (domingo a sexta-feira). Porém, na disputa ponto a ponto entre telespectadores na faixa de 18 a 49 anos, realities como The Voice e Shark Tank contribuem para desequilibrar o domínio. Nos Estados Unidos, a concorrência de TV aberta e canais pagos agradecem. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (2/11)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Numb3rs, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s