A ostentação de uma das juradas do Miss Brasil 2014 e o escândalo BNDES/Friboi – vídeo e texto


“O que V. Excia. chama de ‘frufru’?”

Paulo Henrique Amorim
Do Conversa Afiada
Com informações da redação TV em Análise

Amiga navegante diz que não gostaria que o feriadão sepultasse informações muito importantes sobre os critérios do BNDES de eleger “campeões”.
Ela envia uma relação dos “frufrus” de que a “jornalista” Ticiana Villas Boas, apresentadora do Jornal da Band e jurada do concurso Miss Brasil 2014 ao lado da Cheerio aecista Natália Guimarães, passou a desfrutar desde que casou com um dos campeões, Joesley Batista, dono da Friboi.

– um imóvel em Nova York, comprado de Nizan Guanaes;
– uma casa em Angra, adquirida do também publicitário – e fabricante de camisetas – Luciano Huck;
– um jato Legacy de treze lugares, avaliado em US$ 23 milhões;
– um barquinho ancorado na ilha caribenha de San Barth;
– cartão de crédito ILIMITADO;
– um Porsche Cayenne azul;
– eles se casaram três vezes: na Índia, em frente do Taj Mahal, ao amanhecer; numa praia de Bora-Bora; e numa festa “oficial” em São Paulo para 1.200 convidados, 1.500 orquídeas e R$ 1 milhão de cachê para Ivete Sangalo;
– o vestido de noiva, assinado por Karl Lagerfeld, ela provava em Paris aos sábados: saía de jatinho na sexta à noite depois de apresentar o jornal, e voltava no jatinho no domingo, para trabalhar na segunda.

Ufa, que esforço!

– a “jornalista” abriu uma “produtora”, em sociedade com a irmã e vai “produzir” para empresas do marido, que lhe pagará – quem sabe? – com o rico dinheirinho do BNDES, que administra o FAT, o fundo do trabalhador.

O mesmo rico dinheirinho deve pagar o cachê simbólico de Roberto Carlos, Toni Ramos e Fátima Bernardes, que se tornaram “frufrus” dos Batista.
Isso dava uma CPI e tanto: pra onde vai o dinheiro do povo?
Quando mais não fosse para convocar a “jornalista” para definir o que entende por “frufrus”.
Os implacáveis oposicionistas teriam a possibilidade de admirar a jovem com suas marcas de preferência: Chanel, Dior e Jimmy Choo.
Que chic!

Em tempo: a navegante jura que muitas dessas palpitantes informações foram extraídas do detrito sólido de maré baixa, em sua edição de 30 de abril. Como essa é a origem de tantas CPIs, por que não mais essa?
O Catão dos Pinhais, notável guardião do dinheiro público, bradaria no jornal nacional: esse cachê do Roberto (e do Emin) o povo não vai pagar!

Em tempo2: o dono do Jornal da Band é aquele que ameaçou o Haddad.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Nossa Grana, Nossas Venezuelas, Poderes ocultos, Podres poderes, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para A ostentação de uma das juradas do Miss Brasil 2014 e o escândalo BNDES/Friboi – vídeo e texto

  1. Pingback: No júri do Miss Brasil 2014, a futura mamãe Ticiana Villas Boas foi pura ostentação. Já para os trabalhadores catarinenses da Seara-Friboi… | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s