Situação de calamidade na coordenação do concurso Miss Tocantins para 2014 deveria preocupar a Band local


Sem coordenação, etapa estadual do Miss Brasil válido pelo Miss Universo corre o risco de nem acontecer por falta de patrocinadores e de apoio da emissora

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

Manuel Espitia/Miss Tocantins/Divulgação/12.06.2013

Dirigida pelo jornalista Fernando Hessel, a Band Tocantins agora se vê no olho do furacão de um dos maiores casos de incompetência administrativa de etapas estaduais do concurso Miss Brasil válido pelo título de Miss Universo. A menos de dois meses da etapa brasileira do concurso Miss Universo 2014, o terceiro maior IDH da região norte do país pede socorro. Júlio Franco, coordenador nomeado pela Enter em 2013, não deu as caras até agora nem para explicar como e de que maneira será escolhida a representante tocantinense no principal concurso de beleza do país.
E é sobre as costas de Franco (em foto de junho de 2013 com a miss que saía, Viviane Fragoso, e seus sócios na desventura malsinada, Hentony Pereira e Cagliari Castro) que recai o ônus pela não organização do Miss Tocantins 2014. NADA, eu disse, NADA foi publicado até agora de regulamento, participação de candidatas ou forma de competição na etapa tocantinense do Miss Brasil 2014. Isso a despeito de a Band possuir em seu site oficial ferramentas para inscrição de candidatas nos 26 certames estaduais e no do Distrito Federal. Onde está a Enter diante desse descalabro? Está agindo como Percival do The Walking Dead do Cidade Alerta? Posa de medida protetiva contra espancadores de mulheres (que, na prática, não funciona como a coordenação tocantinense)?
É por causa de tragédias como essa nas coordenações estaduais que o Brasil nunca fica com a coroa de Miss Universo nas mãos da Band, parceira da Rede Globo no Campeonato Brasileiro de Futebol. Exceto para o apedeuta do Evamdro Hazzy, anão da missologia nacional, pior que o porta-vos de Israel e o 7 a 1 que a Morena Baccarin tomou nas indicações de atriz coadjuvante em série dramática do 66º Primetime Emmy.

Surgiu Comunicação/26.07.2013


Hessel, o incompetente de terno que a Band importou de São Paulo, assistindo ao circo de horrores da coordenação tocantinense do Miss Brasil em Palmas, formado depois que os alemães cantaram o hino do Bahia

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Nossas Venezuelas, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Situação de calamidade na coordenação do concurso Miss Tocantins para 2014 deveria preocupar a Band local

  1. Pingback: Após a Copa, etapas estaduais do Miss Brasil 2014 sofrem sem divulgação e com boicote da Band | TV em Análise Críticas

  2. Elizabete disse:

    Mandem a Gabriela Dias, candidata a Miss TO, no ano passado! Q tal?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s