Assunto da semana: Os Golden Globes 2014 e o futebol baiano segundo Saldanha


O triplo empate televisivo no 71º Golden Globe Awards

HFPA/Divulgação/12.01.2014

Em plena loucura de temporada de premiações de sindicatos técnicos e associações de jornalistas internacionais que povoam o início da mid-season, surpresas podem não faltar. Já dizia certa vez o finado João Saldanha que “se macumba ganhasse jogo, o campeonato (de futebol) da Bahia terminaria empatado”. E, na 71ª edição dos Golden Globe Awards, realizada no domingo (12) não foi precisa macumba alguma para Brooklyn Nine-Nine, Breaking Bad e o telefilme Behind the Candelabra terem repartido a igualdade de estatuetas.

HFPA/Divulgação/12.01.2014

Contemplada com dois Globos (assim como BB e Candelabra), Brookyn Nine-Nine (de exibição já assegurada no Brasil pelo canal pago TBS) calou aqueles que acreditavam num bicampeonato de Girls. Quebraram a cara. A atuação de Andy Samberg (ex-Saturday Night Live) pesou para balancear a distribuição de Globos tanto para séries cômicas, quanto para as dramáticas e minisséries ou telefilmes. À parte dessa balança, deu-se um “jeitinho” de contemplar a co-apresentadora Amy Poehler com alguma coisa. Assim foi feito.

Fotos Getty Images e HFPA/Divulgação/12.01.2014

Entre a matilha de contemplados com ao menos uma estatueta, o destaque vai para a tentativa de Jacqueline Bisset, 69, de se recompor psicologicamente para o discurso de aceitação de atriz coadjuvante em série, minissérie ou telefilme, por seu trabalho em Dancing on the Edge, da BBC, exibida nos Estados Unidos pelo canal pago Starz. Outro membro da velha guarda contemplado com Globo de atuação coadjuvante foi Jon Voight, pelo seu trabalho impecável em Ray Donovan. Eclipsou o protagonista, Liev Schreiber.

HFPA/Divulgação/12.01.2014

As vitórias de Michael Douglas e da produção de Candelabra, cinebiografia do pianista Liberace (1919-1987), nos Globes 2014 eram pedras cantadas deste o 65º Primetime Emmy. São resultado de uma campanha agressiva de marketing empreendida pela HBO ainda no Festival de Cinema de Cannes (França), em maio último. Em relação a Breaking Bad, que começou sua jornada de TV aberta na Record na última terça-feira (14), deve se dizer a mesmíssima coisa. Mas por um conjunto de anos de investimento e dedicação. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (19/1)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Minisséries e telefilmes, Premiações, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s