Assunto da semana: Música para os olhos, cotonetes para os ouvidos


A marchinha de Pitbull à frente do 41º American Music Awards

Fotos Reprodução/Jovem Pan e Kevin Winter/Getty Images/24.11.2013

Sem fazer alusão ao nome do compositor Blecaute (nome de registro: Otávio Henrique de Oliveira, 1919-1983), o rapper cubano-americano Pitbull (nome de registro: Armando Christian Perez, 32) comportou-se como um autêntico “general da banda” ao comandar a movimentadíssima 41ª edição dos American Music Awards, realizada no último domingo (24), no Teatro Nokia, em Los Angeles. Embora nada lembre marchinha de carnaval, a presença de Pitbull trouxe de volta um componente do qual a premiação carecia desde 2008.

Michael Tran/FilmMagic/24.11.2013

Iniciando o ciclo de programações de classe especial que as redes abertas americanas veiculam com vistas seja ao feriado de Ação de Graças, celebrado na quinta-feira (28), ou ao período natalino, esta edição dos AMA’s foi marcada pelo espetáculo de cores proporcionado tanto na abertura de Katy Perry como gueixa oriental falsificada como no encerramento padrão meme de Internet protagonizado por Miley Cyrus. Coitado do gatinho usado no telão. Qualquer que tenha sido o gosto, o AMA 2013 ainda deixa a desejar aos Grammys.

Kevin Mazur/AMA2013/WireImage/24.11.2013

À parte da dominação de Taylor Swift no escopo de estatuetas de cristal (quatro no total), o soneto dos American Music Awards de 2013 como programa de classe especial para efeito de uma possível indicação ao Primetime Emmy específico desandou um pouco. Não fossem Pitbull e o abraço de mãe que a Rihanna recebeu ao aceitar o Prêmio Ícone, apresentado por Bill Maher (Real Time with Bill Maher, HBO), a premiação se resumiria a um saco de vaidades. Em 90% do tempo do programa, não apresentou nada de novo.

Jim Ruymen/UPI/24.11.2013

Em resumo, a 41ª edição dos American Music Awards, televisionada no Brasil pelo canal pago TNT, soou como música para os olhos e sujeira para os ouvidos. Que o diga o acústico improvisado do One Direction para Story of My Life, apresentado três dias antes no programa de resultados do The X-Factor. Soou como coisa velha, vendida antecipadamente no feirão de talentos de Simon Cowell. E não de automóveis. Por fim, o próprio Pitbull cantou ao lado de uma Ke$ha de cara limpa. Como em comercial de sabonete. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (1º/12)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Especiais, Premiações e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s