Russos aumentam confusão em relação a transmissão do Miss Universo 2013 e vendem ingressos para as 21h. De Moscou


Quem deve fazer a geração internacional de imagens? a NBC ou a CTC?

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

Reprodução/Facebook


Crocus à noite: não me engana que eu não gosto

No site de vendas de ingressos do Miss Universo 2013 que a Crocus City Hall abriu para o certame, há a informação de que o certame começará às 21h (hora de Moscou) do dia 9 de novembro (o que equivaleria a 16h pelo horário de Brasília, já contando o horário brasileiro de verão, que passa a vigorar neste domingo [20]). Na costa leste dos Estados Unidos, esse horário equivaleria a 14h (pela hora de Nova York, ainda com o horário americano de verão valendo).
Diretores da NBCUniversal, da Miss Universe Organization e da CTC Media não se entendem até agora quanto a quem deve fazer a geração internacional: a NBC/Telemundo ou a própria CTC? Ninguém se entende nesse quesito, que deve ser crucial especialmente nos Estados Unidos. A MUO já está preocupada com o vazamento, por internautas em redes sociais, de resultados do concurso ainda durante a tarde do próprio dia 9, quando o certame estiver em andamento entre 14 e 16h (hora da costa leste, 16 às 18h, hora de Brasília). Quando a NBC exibir o concurso para os americanos à noite (21h), o estrago já estará feito para os lados de lá.
Com esse jogo de empurra, a Rede Bandeirantes e o canal pago TNT ficam numa verdadeira sinuca de bico em relação a uma questão: com quem transmitir o Miss Universo 2013? Com os russos (que farão a geração ao vivo)? Ou com os atrasadinhos da NBC, que vão passar um concurso gravado, cujo resultado quase todo mundo já terá sabido?
Na única vez em que uma emissora americana precisou exibir o Miss Universo gravado (Atenas 1973), a Rede Tupi exibiu o Miss Universo das 19 às 21h (horário de Brasília), a ponto de não exibir suas novelas de então – Rosa dos Ventos, Mulheres de Areia e Beto Rockfeller, no dia 21 de julho de 1973 (sábado) (Folha de S. Paulo, pág. 31, 21/7/1973, caderno Ilustrada). Valeu-se da geração feita pela estatal grega ERT, não do feed de satélite da CBS. Evitou que os torcedores da paulista Sandra Mara Ferreira caíssem no conto do gato e fossem enganados. Como corre risco de acontecer agora, em 2013.
Fica a dúvida.

Divulgação


Sandra Mara, “atriz” da Tupi

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Jóia da coroa, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s