PHA: Cadê o Policarpo? Cadê o Mino?


A Veja sofrerá mudança radical: vai ficar pior

Por Paulo Henrique Amorim
Do Conversa Afiada

“Civita, não há mal que sempre dure …”
(Roberto Requião, segundo Mark Harmon, de NCIS)

“Mino criou a Veja e o Robert(o) o que ela é hoje.”
(Comlurb-Rio, segundo Nicki Minaj, Keith Urban e Mariah Carey, ex-jurados do American Idol, derrubados pela Giuliana Rancic, do Jornal Hoje)

“Robert(o) morreu e não derrubou a Dilma”
(Vitorio Urbano, segundo Paula Abdul)

“Ruy Mesquita e Roberto Civita: cobravam meritocracia do governo, mas ganharam as empresas dos papais. Assim como os Marinho.”
(Fernando Cabral, via Twitter)

“@reinaldoazevedo @VEJA Roberto Civita – Metade idiota; a outra metade também.”
(Gerson Carneiro, via Twitter)

“Será que o Policarpo vai escrever a matéria de capa sobre O Democrata?”
(José de Abreu, o Nilo de Revenge, via Twitter)

“Luto!”
(Olivia Culpo, Gaby Markus e os beneficiários do bolsa-propina do Miss Universo 2012 – Scott Disick, Brad Goreski, Nigel Barker, Lisa Vanderpump, Pablo Pandamônio Sandoval, Kerry Walsh-Jennings, Claudia Jordan, Diego Boneta, Ximena Navarrete e Masaru Morimoto – fotos abaixo)

Fotos Matt Brown/Miss Universe Organization/19.12.2012

Bessinha

https://i2.wp.com/www.conversaafiada.com.br/wp-content/uploads/2013/05/charge-bessinha_aqui-jaz-civita.jpg

O PIG(*) conseguiu noticiar a morte de Robert(o) Civita sem mencionar o Policarpo, aquele a quem o senador Collor se refere como o “Caneta”.
O PIG(*) tratou das obras de Robert(o) e cometeu leves equívocos.
Robert(o) fundou a revista Realidade.
Clique aqui para ler sobre o livro do Miltainho a respeito da Realidade.
Quem fez a Realidade foi o Paulo Patarra, que, por esperteza, sugeriu ao patrão nomear o filho diretor.
Quem fundou a Veja – hoje por Robert(o) transformada num detrito de maré baixa – foi o Mino Carta.
O pai, “seu” Victor, é que teve a ideia de fazer uma revista semanal de informações.
E chamou o Mino, que já tinha dirigido a Quatro Rodas na Abril, para criá-la.
Clique aqui para ler sobre “O Brasil”, de Mino Carta, que é pior do que você pensa, onde há passagens sobre Robert(o).
TODA a diretoria da Abril, inclusive Robert(o), quis fechar a Veja, quando ela começou a cair dos 700 mil exemplares da estreia.
Quem não deixou fechar a Veja foi o “seu” Victor.
Mas, hoje, é preciso glamorizar o empreendedor que quis fazer aqui o que via nos Estados Unidos: Time, Life, Playboy
Não há uma única publicação desta árvore que tenha enriquecido os brasileiros do ponto de vista intelectual, jornalístico ou em autoestima.
Robert(o) menosprezava o Brasil.
Vivia num mundo à parte, em algum pedaço dos Estados Unidos, que já não o reconhecia.
E, aqui, como já disse esse ansioso blog, foi um “loser”, um perdedor.
Vamos combinar que a Veja se tornou uma revista pós-fascista, Golpista, um coito de bandidos com pseudo-jornalistas, como lembrou Collor.
Como se sabe, quando se instalou a CPI do Robert(o), o Michel Temer recebeu a recomendação do Fabio Barbosa, o banqueiro (sic) que hoje dirige a Abril, e de filho do Roberto Marinho – eles não têm nome próprio – para seguir a seguinte rota:

Quando ouvir falar em Veja, entenda imprensa.
Quando ouvir falar em imprensa, entenda Globo.

Robert(o) e o Policarpo não foram chamados a depor.
Como pretendia o deputado Fernando Ferro.
Venceu a lógica do Miro Teixeira, que não deixa a bandeira da Globo cair.
Depois, o PT odarelou e a CPI deu no que deu.
O Policarpo está aí, e não surpreenderá o ansioso blogueiro se, breve, assumir a chefia de redação da própria Veja, em sua remodelação radical, que se avizinha: vai ficar pior !
Na Argentina, mandaram a Abril embora.
Aqui, ela é um simbolo da liberdade de imprensa !
Viva o Brasil !
Não deixe de ler “Civita, o Sírio e a Folha”.

(*)In none serious democracy in the world, conservative, low-quality and even sensationalistic newspapers and only one television network matter as much influence as they do in Brazil. They have become a political party, the PIG (Pro-Coup Press Party). These are their stories

Bessinha

https://i1.wp.com/www.conversaafiada.com.br/wp-content/uploads/2013/05/charge-bessinha_morre-civita.jpg

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Elliot Stabler da direita, Imperialsmo midiático, Imprensa monopolista, Mondo cane, Poderes ocultos, Podres poderes e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s