Quatro meses depois, ninguém foi punido pelo caso das propinas no concurso Miss Universo 2012


Diretores nacionais, candidatas, jurados, todos saem ganhando com a impunidade dos responsáveis pela distribuição ilegal de cheques de ONGs, empresas jornalísticas, organizações criminosas e indústrias brasileiras, russas, francesas e americanas para classificação das 16 semifinalistas

Da redação TV em Análise
Com reportagem de João Eduardo Lima

David Becker/Getty Images/19.12.2012


Olivia Culpo, pede pra sair

Um dos maiores, senão o maior escárnio de corrupção em toda a história do tradicional concurso de Miss Universo completa quatro meses nesta quinta-feira (18). Apesar das sucessivas denúncias do TV em Análise Críticas, nem a direção da Miss Universe Organization, sediada em Nova York, tampouco o poder Judiciário do Estado americano de Rhode Island procededram qualquer investigação para punir os responsáveis diretos pela emissão de 780 cheques administrativos para beneficiar diretamente cinco dos 10 jurados da final televisionada e cinco jurados do Presentation Show.
Numa investigação exclusiva realizada para o Críticas, produtores de Homeland e Brothers & Sisters descobriram que a Associação Brasileira de Criadores de Gado Zebu (ABCZ), emitiu 14 cheques para o jogador de beisebol venezuelano Pablo Sandoval, jurado da final do fatídico dia 19 de dezembro de 2012, eleger a brasileira Gabriela Markus como Miss Universo 2012. Cópias de um cartão de Natal que esteve disponibilizado no site do Miss Universo foram usadas como “santinhos” pela ABCZ para fazer Sandoval mudar seu voto da venezuelana Irene Esser para Markus. Os documentos bancários, no valor de R$ 397.548,50 cada um, foram emitidos no dia 14 de dezembro, a tempo de entrara na conta de um dos lobistas brasileiros escalados pela Globopar (Globo Comunicações e Participações S.A.), verdadeira dona da franquia do Miss Universo no Brasil, o promotor de eventos Evandro Hazzy.
Segundo a promotoria de Rhode Island, Estado natal da vencedora do certame, Olivia Culpo, verbas federais que deveriam ir para os afetados pelo furacão Sandy foram desviadas por prefeitos da região para fazer a “caixinha” de campanha para a candidata americana ao título de Miss Universo 2012. As empreiteiras Bechtel, Blackwater e Odebrecht operaram o esquema que sugou verbas de 17 prefeituras dos Estados de Nova York e Nova Jérsei para drenar os cofres dos lobistas de Culpo, lotados na empresa D&D Investments, sediada em Potomac (Maryland).

Joe Klamar/AFP/19.12.2012


Gaby Markus: assalto aos cofres de sua cidade natal, segundo Patinkin

Organização criminosa

Em 16 de fevereiro, um ex-coordenador municipal do Miss Rhode Island USA, demitido pela D&D após denunciar desvios de contabilidade na empresa promotora da etapa local do Miss USA, revelou ao Críticas que 36 cheques administrativos do Banco Itaú em Miami foram usados pela D&D para compor o chamado “kit-propina”, que beneficiou também 57 blogueiros especializados em cobrir concursos de beleza, entre eles a brasileira Márcia Bia, editora do blog Misses in Focus.
De acordo com os documentos obtidos pelos produtores de Homeland e Brothers & Sisters, foram beneficiados pelo propinoduto da Olivia Culpo os jurados da final televisionada Scott Disck, Brad Goreski e Lisa Vanderpump e os jurados preliminares Crystle Stewart, Carlos Anaya, Michael Greenwald, Beverly Frank e Corinne Nicolas. “É uma quadrilha”, disse indignada a atriz Sally Field em entrevista, na segunda-feira (15) ao programa Roda Presa da TV Globo São Paulo ao promover a reapresentação de Brothers & Sisters no canal pago GNT, ligado à Globo (que cede à Bandeirantes os direitos de exibição dos concursos de misses em tevê aberta para o Brasil). Na semana seguinte ao Miss Universo 2012, o ator Mandy Patinkin descreveu como um “assalto” o desvio de verbas da prefeitura de Teutônia (RS) para beneficiar a brasileira Gabriela Markus, quinta colocada no certame.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Corrupção nos concursos de beleza, Nossas Venezuelas, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Quatro meses depois, ninguém foi punido pelo caso das propinas no concurso Miss Universo 2012

  1. Pingback: Miss Universe Organization, uma sociedade tão secreta quanto seus contratos | TV em Análise Críticas

  2. Pingback: EXCLUSIVO: NBC deve confirmar Dracula como pós-show do Miss Universo 2013, informam fontes | TV em Análise Críticas

  3. Pingback: Para assessoria da Miss Universe Organization, a Miss Brasil 2014 Melissa Gurgel não existe | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s