Assunto da semana: Freud tenta explicar o que se passa na cabeça de Ryan King


A dramédia de psicologia de grupo de Matthew Perry em Go On

NBC/Divulgação

https://i0.wp.com/www.tvequals.com/wp-content/uploads/2013/01/Go-On-NBC-Episode-15-Pass-Interference-5.jpg

Depressiva, a premissa de Go On (Warner, 5ª, 21h30, 12 anos) inaugura uma nova modalidade de sitcom, mais comprometida com o drama do que com a comédia em si. Sem piadas diretas, a trama idealizada por Scott Silveri (Friends, coprodução executiva, Joey, Casais Perfeitos/Perfect Couples) foca-se na psicologia de um locutor esportivo (Ryan King/Matthew Perry) para superar a viuvez. Terapia de grupo.

Jordin Althaus/NBC/Divulgação

https://i0.wp.com/www.tvequals.com/wp-content/uploads/2012/08/Go-On-NBC-2.jpg

A exemplo de The New Normal e de Animal Practice (abortada da programação do Universal Channel assim que a matriz passou a sitcom à faca, em outubro passado), Go On recebeu tratamento de pré-estreia pela NBC durante as Olimpíadas de Verão de Londres, em 8 de agosto – registrou 16,10 milhões de telespectadores. Mas a história alerta: tal estratégia já fez mal à NBC após os jogos de Pequim, em 2008 – todas as séries promovidas à época foram canceladas.

Jordin Althaus/NBC/Divulgação

https://i1.wp.com/www.tvequals.com/wp-content/uploads/2012/08/Go-On-NBC-3.jpg

Primeiro piloto da atual temporada a ter sido ordenado como série, Go On tem no combinado de divã + pauta de horrores da Sônia Abrão + terapia de grupo + ambiente de trabalho (a rádio em que King/Perry, de Freinds e da fracassada Mr. Sunshine) a fórmula perfeita para agradar os críticos e, ao mesmo tempo, cansar o telespectador. Isso, após 15 episódios já transmitidos por aqui (entre 19 nos EUA).

Jordin Althaus/NBC/Divulgação

https://i1.wp.com/www.tvequals.com/wp-content/uploads/2012/08/Go-On-NBC-5.jpg

De sua aprovação no dia 20 de abril de 2012 até a queda livre recente de telespectadores, Go On parece entrar para o grupo de sitcoms da NBC que, a despeito de não conquistarem audiência nenhuma, cativam críticos. Na mão positiva, o texto de Silveri (presente em quatro episódios) e a atuação de Perry (que deve lhe dar sua quinta indicação ao Primetime Emmy). É o 30 Rock da psicologia. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (24/3)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Circo de horrores, Coluna da Semana, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s