Sem os bois do Amazonas, Bandeirantes passa a focar em misses de 2013 após a Copa das Confederações


A ordem é correr com os concursos estaduais até agosto; coroação de sucessora de Gabriela Markus depende de negociações de TV da MUO nos EUA

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

Gabriela Quintela/R7


Gabriela Markus: faixa de Miss Brasil “presa” por ordem da MUO e da Band

Após perder a chata e insossa festa de bois de Parintins para duas emissoras de Manaus, a direção da Enter, empresa de eventos da Rede Bandeirantes, passa a trabalhar com um cronograma mais acelerado para a promoção das 12 etapas estaduais do Miss Brasil(*) sob seu controle – São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Distrito Federal, Bahia, Pernambuco, Pará, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Norte, além dos concursos do Amazonas e Rio Grande do Sul, que já foram realizados. Mas tal pretensão esbarra num problema grave: o fim do contrato entre a Miss Universe Organization e a rede NBC, após 10 anos de transmissão do concurso Miss Universo para o mercado norte-americano. Segundo o Críticas apurou com exclusividade, Donald Trump orientou executivos da MUO a negociarem um contrato de oito anos com a arquirrival e líder CBS.
O impasse dos direitos de TV do Miss Universo para os Estados Unidos interfere diretamente no andamento dos trabalhos do Conselho Nacional dos Coordenadores dos Concursos de Beleza (CNCCB), entidade de fachada criada por coordenadores estaduais alinhados com a Rede Globo e com o consórcio PSDB-DEM-PPS-CIA, e da própria Enter com vistas ao Miss Brasil(*) 2013. Para a empresa de eventos, no entanto, os trabalhos de pré-produção das 10 etapas estaduais restantes só começarão após a realização da São Paulo Indy 300, no dia 5 de maio, no Sambódromo do Anhembi, e a Copa das Confederações da FIFA, entre os dias 15 e 30 de junho. Atrapalha também o processo de negociação de sede para o certame com governos estaduais e empresas interessadas – tal qual ocorreu no Miss Brasil(*) 2012. No ano passado, a Enter realizou uma licitação para escolher entre Fortaleza e Belo Horizonte qual cidade ficaria com a sede do certame – à ocasião, a capital cearense foi escolhida graças a um acordo político entre a Enter e o esquema do governador Cid Gomes (PSB), envolvendo recursos públicos da ordem de R$ 74 milhões e a construção de um novo Centro de Eventos, apenas para atender às exigências da Enter e da MUO.
Com esses dois eventos na mira (Indy no Anhembi e Confederations Cup da FIFA), a Enter tenta acalmar a ala de missólogos e coordenadores estaduais ansiosos ao extremo (incluindo supostas “especialistas” de botequim travestidas de estelionatárias e mensaleiras da Globo e da Blackwater, às custas do sofrimento dos desabrigados do furacão Sandy) em função da abertura de fichário na Internet para a inscrição desnecessária de candidatas (inclusive homicidas qualificadas e analfabetas) para Estados que não possuem coordenação local do Miss Universo Brasil – casos de Roraima e Acre, por exemplo. Atenua um problema (interno, doméstico), mas não resolve outro (externo, relativo à turma de engravatados da Trump Organization à procura de uma nova emissora para o Miss Universo).

(*)Na teoria, a Band é dona dos direitos de transmissão do concurso Miss Brasil e de seus concursos estaduais quando, na prática, estes pertencem à Globo (que desde 1990 paga para não transmití-lo). É a mesma coisa que a emissora da famíglia Marinho fez (e ainda faz) com as séries da FOX, como Glee, Bones, Burn Notice e outras (fora as animações)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Força da Grana, Globelezação, Jóia da coroa, Nossas Venezuelas, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s