Audiência do Miss São Paulo 2012 é uma caixa de Pandora para a Bandeirantes


Números que não foram divulgados

Da redação TV em Análise
Com reportagem de João Eduardo Lima

Rodrigo Belentani/Band/Divulgação

https://i2.wp.com/imagem.band.com.br/f_119290.jpg
Galisteu aos donos do Ibope: “Olha a pamonha! Pamonha de Piracicaba!”

Acossada pelas coberturas olímpicas dos canais pagos ESPN, Bandsports e Sportv e pela concorrência cerrada de programas como Zorra Total (Globo), A Fazenda, Legendários (Record), Supernanny e Cine Belas Artes, SBT, a transmissão do concurso Miss São Paulo 2012, na noite de sábado (11), trouxe uma verdadeira dor-de-cabeça para a Rede Bandeirantes, já obrigada em função dos jogos de Londres a apear de sua grade nacional as transmissões dos concursos de Miss Minas Gerais e Miss Rio de Janeiro para 2012. Com os números do Ibope trancados num cofre (não a bunda de uma panicat), a Band tenta abafar como pode, mas não tem como esconder a sua insatisfação com os resultados do certame: um verdadeiro fiasco também nas mídias sociais – todas, é claro, dominadas pelo espírito olímpico (da concorrente Record).
Com a chama olímpica já apagada em Londres, espera-se – ao menos até o começo da tarde desta segunda-feira (13) a divulgação de algum número consolidado do Ibope acerca do pior concurso de Miss São Paulo em todos os tempos. Fracasso esse consolidado pela ampla publicidade dada à vitória histórica das meninas do vôlei de quadra, comandadas por José Roberto Guimarães, contratadas da Record e usadas como escudo pelo monopólio da Globo (também dono do Miss Brasil, repassado à Band). Como até o reino mineral de Michael C. Hall sabe, a Grande São Paulo é um mercado-chave para as decisões do mercado publicitário acerca da continuidade ou não dos concursos de misses na grade da Band. Embora sob contrato até 2015, a emissora, mais dia menos dia, corre o risco de tê-los confiscados pela ex-toda poderosa, nomeadora de ministros, prefeitos biônicos, técnicos da Selecinha de futebol masculino e eleitora de presidentes, governadores, prefeitos e misses.
Com o grosso de seus profissionais a serviço do Bandsports para a cobertura olímpica, a Band se viu obrigada a desfalcar o público mineiro da transmissão do concurso Miss Minas Gerais 2012, confinada no portal da emissora em Belo Horizonte. Reduziu drasticamente os investimentos em etapas estaduais do Miss Brasil e repassou direitos a emissoras concorrentes, inclusive ligadas a afiliadas da Globo (como a TV Diário, de Fortaleza, do Sistema Verdes Mares, e a TV Mirante, de São Luís).
Para refrescar a memória (e tentar ajudar um pouco os executivos da Band e do Ibope), o gráfico abaixo serve de ajuda. E deve dar alguma pista:

Ano Rede Média Pico
2006 Band 4 6
2007 Band 3,5 4,5
2008 Band 5,5 8
2009 Band 4,5 7
2010 Band 4 4,5
2011 Band 2 3
2012 Band 2 ?

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Ibopes da vida, Nossas Venezuelas, Numb3rs, Projetos especiais e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s