Assim caiu a máscara da Miss Mundo 1980 Gabriella Brum, que renunciou menos de 24 horas após a sua coroação


Nas páginas da Playboy americana, em maio de 1981

Fotos Sebastian Giefer Bustel/Playboy EUA/Reprodução

https://i2.wp.com/www.celebset.net/pics/G/2866Gabriella%20Brum.jpghttps://i0.wp.com/www.celebset.net/pics/G/1527Gabriella%20Brum.jpghttps://i0.wp.com/www.celebset.net/pics/G/114Gabriella%20Brum.jpghttps://i2.wp.com/www.celebset.net/pics/G/4283Gabriella%20Brum.jpgloadingloadingloadingloadingloading

Fenômeno semelhante ocorreu no Brasil, em março de 2009, quando a então Miss Pernambuco Universo, Michelle Fernandes da Costa, posara para a mesma publicação camulfada sob o rótulo de ex-Big Brother (o qual Paulo Henrique Amorim prefere chamar de Big Brothel Brasilaqui, aqui e aqui). Assim se tornou o Miss Brasil(*) da coligação Globo/Band/PSDB/DEM/PPS/CCC/Senhoras de Santana/Instituto Millenium/Tea Party/Clube dos 13/Arena/PDS/PFL/UDN/Partido Republicano/Ação Integralista/Cheerios do Glee do jn do Jornal das 10 da Globonews e do mensalão mineiro da gaeta(**).

(*)Na teoria, a Band é dona dos direitos de transmissão do concurso Miss Brasil e de seus concursos estaduais quando, na prática, estes pertencem à Globo (que desde 1990 paga para não transmití-lo). É a mesma coisa que a emissora da famíglia Marinho fez (e ainda faz) com as séries da FOX, como Glee, Bones, Burn Notice e outras (fora as animações)
(**)gaeta é o modo como a Gaeta Promoções e Eventos deve ser sempre escrita: em minúsculas, para provar o quanto o Brasil é uma sub-Venezuela, um sub-Porto Rico, uma sub-Colômbia (tipo um Whooper Jr.) ou uma Guatemala tamanho-família (tipo esses sanduíches Whooper do Burger King, Sub do Subway, Big Bob, Big Mac e afins) em termos de concursos de misses

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Ética nos concursos de beleza, Revistas e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s