O que saiu no jornal: Jessica Lange, secos e molhados


Ao contrário do que este Críticas anunciou, o texto publicado no Notícia da TV deste domingo (29/7) foi sobre as indicações ao Primetime Emmy 2012 de minissérie e telefilme (e não sobre as séries cômicas, já reprogramado para o dia 16 de setembro). Abaixo, o texto que acabou saindo no JMN, em respeito a nossos leitores

American Horror Story e o essencial do Emmy de minissérie e filme

Kevin Winter/Getty Images/29.01.2012

https://i0.wp.com/veja.abril.com.br/blog/temporadas/files/2012/01/JessicaLange.jpg
Ih, falha nossa!!!

Concebida como série regular, American Horror Story entrou para a corrida do Primetime Emmy de 2012 de uma forma surpreendente, inesperada. Já beneficiada pelas seis indicações ao PAAFTJ Television Award no gênero (incluindo as premiações de atuação e direção para Jessica Lange e Ryan Murphy, respectivamente), a primeira temporada da trama teve um ritmo de minissérie incomum a um drama normal.
Embora tenha sido renovada para uma segunda temporada, seu elenco principal (Connie Britton, Lange, Dylan McDermott, Taissa Farmiga, dentre outros) foi trabalhado com a mentalidade de uma minissérie. Para sua segunda temporada, 90% dos personagens originais já foram “mortos” segundo Murphy. E a próxima temporada será de Lange e mais uma penca de rostos novos – Zachary Quinto, Adam Levine do Maroon 5, Chlöe Sevigny, apenas para citar alguns, fixos e convidados.

Divulgação/HBO

https://i2.wp.com/collider.com/wp-content/uploads/game-change-image-julianne-moore-sarah-palin-01.jpg
Na foto, Moore como Collor de Mello

Com Britton já gravando Nashville para a ABC, AHS chega ao Emmy no momento certo: a transição de elencos é também sua transição para a competição como série regular de drama já a contar dos Golden Globes, em janeiro próximo. Entre as concorrentes, a HBO despachou seus dois telefilmes Game Change (com Julianne Moore como Sarah Palin) e Hemingway e Gellhorn (com Nicole Kidman).

Divulgação/HBO

https://i0.wp.com/www.jb.com.br/media/fotos/2012/05/09/627w/o-filme-tem-olive-owen-e-nicole-kidman-como-o-casal-ernest-hemingway-e-m.jpg
Kidman em sua pior forma, como mulher de intelectual

Surpresa mesmo foi o canal de documentários History emplacar, pela primeira vez, uma produção roteirizada na disputa. Redimida do fracasso da aquisição de The Kennedys (exibida fora dos Estados Unidos), a emissora investiu no talento de Kevin Costner e na escrita de Hatfields & McCoys, filmada na Romênia. A BBC vai de Luther e Sherlock. Domingo que vem, os realities de competição. Até lá.

Chris Large/History Channel/Divulgação

https://i0.wp.com/www.tvequals.com/wp-content/uploads/2012/05/Devil_Anse_Hatfield_K.Costner_13.jpg
Costner, o Guarda-Costas, caubói da Transilvânia

Errado: domingo que vem (5/8), as indicações ao Emmy de melhor série dramática

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Informes e editoriais, minisséries, Premiações e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s