Assunto da semana: o petróleo de J.R. Ewing, a reprise e os rapazes do Br’Oz do Popstars americano


Nova fase da clássica série Dallas é mais do mesmo

Divulgação/TNT

DALLAS (TNT)
Na foto, integrantes de uma boyband fracassada do SBT americano

A edição atual da icônica série Dallas (Warner, 2ª, 22h, legendado, e domingo, 22h, dublado, 14 anos) em muito carrega o fio motor da série original, só que numa cadeia evolutiva. A julgar pelas sobrancelhas grisalhas de J.R. Ewing (Larry Hagman, 80), que cultuam amigos no congresso americano e detratores entre a concorrência petrolífera. Como diria a música de Leo Jaime, nada mudou em J.R.

Mas existe sangue novíssimo, tanto em público quanto em elenco, para a composição da atual saga dos Ewings, interrompida com o fim da trama original em 1991, na CBS americana. Depois de dois telefilmes e um especial entre os anos 1990 e 2000, a continuação de Dallas (não remake) ganhou fôlego para uma segunda temporada, robustecida, sobretudo, pelos 6,86 milhões de telespectadores de seus dois episódios iniciais no canal pago TNT, que o exibe.

Zade Rosenthal/TNT/Divulgação

Dallas101_3_Brenda-Strong-and-Patrick-Duffy-PH-Zade-Rosenthal1
Mary Alice Young, mostra a tua cara: Desperate acabou

Entre as novas caras do rancho Southfork, destaque para Jesse Metcalfe (Desperate Housewives, Chase), Josh Henderson (cria da fracassada franquia Popstars – integrou a irrelevante banda Scene 23) e a brasileiríssima da Flórida Jordana Brewster (Velozes e Furiosos 5: Operação Rio). Isso sem contar o retorno de Brenda Strong ao vídeo, após oito temporadas como a narradora de Wisteria Lane.

Com a base do elenco original – J.R./Hagman, Bobby/Patrick Duffy e Sue Ellen/Linda Gray colocada na retaguarda dos créditos iniciais desta fase – Dallas criou um importante núcleo de apoio à nova ala da família Ewing. E criou uma base sólida de sustentação para os seguidores da trama original, ora em reapresentação no canal pago Viva, ligado à Globo (que a transmitiu de 1980 a 1988). Até domingo.

Divulgação/TNT


J.R. ao receber telefonema para nova temporada

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte, que circula no domingo (15/7)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Força da Grana, Música, Reality-shows, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s