Assunto da semana: padrão Miranda Lambert de fazer trama policial chega ao AXN


Policialesco de mãe solteira de The Protector não convence

Divulgação/Lifetime

https://i1.wp.com/www.tvequals.com/wp-content/uploads/2011/06/THE-PROTECTOR-Help-Episode-2-2.jpg
Não adianta pedir socorro: acabou chorare mesmo

Sem sal, a trama da minissérie (isso mesmo!) The Protector (AXN, 4ª, 22h) deixa a desejar do protótipo de ficção policial desejável de uma trama feita e concebida inteiramente para a TV a cabo. Projeto do canal americano Lifetime, posto na maré de estreias do verão passado, a trama de Michael Nankim (Chicago Hope) e Jeffrey Bell (Angel, Alias) desaponta logo à primeira impressão. Fica fria.

Divulgação/NBC

http://ewwatchingtv.files.wordpress.com/2012/02/miranda-lambert_320.jpg
Miranda, a cara de The Protector?

Numa primeira pensata, The Protector parecia ser a cara do projeto de drama policial ainda em desenvolvimento pela cantora country Miranda Lambert para a ABC Family. Não, não é. O plano de Miranda para a tela pequena em nada lembra a apatia de Gloria Sheppard, mãe solteira interpretada por Ally Walker (Sons of Anarchy, Soldado Universal, Enquanto Você Dormia) que combate o crime nas ruas de Los Angeles numa estética casca-grossa. Lembra Chase.
Comparação com a performance árida de Kelli Giddish (como Annie Frost) à parte, Protector se mostra mais gélida e fria que qualquer CSI da trilogia (Miami, Nova York e Las Vegas). Afugenta o telespectador, não tem um propósito firme. Desaponta até na chamada, resumida como guia de produtos da Avon, aclimatado ao teatro-barbárie da tragédia grega dos programas policiais padrão Ronda do Povão.
Sem um fio motor que convencesse o público da leve e divertida comédia jurídica Drop Dead Diva, The Protector foi sacada da grade da Lifetime em 8 de setembro do ano passado. Na contramão, a nuance agridoce de Ally Walker atenua o desequilíbrio pesado entre coerência de enredo e público-alvo a ser atingido. Nesses objetivos, Protector se firma como uma usina de erros. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (1º/4)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Mondo cane, Prime Suspect Behavior da Sônia Abrão, Séries, Se gritar pega ladrão... e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s