Glee: Um dos pais gays da Rachel Berry já atacou o Brasil


Globo, Cerra, Glee e você, tudo a ver

Da redação TV em Análise

Reprodução/Twitter

https://i1.wp.com/blog.zap2it.com/frominsidethebox/glee-rachels-dads-lea-twitter.jpg
Lea Michele, olha para o rabo do teu cabelo

A imagem está horrorosa, mas não deixaria de mercer registro, dos mais repugnantes.
Um doa atores escalados para fazer o papel dos pais homossexuais de Rachel Berry (Lea Michele, toda sorridente), o ator Jeff Goldblum, tem más impressões sobre o Brasil (o outro é Brian Stokes Mitchell).
Em 2009, em episódio infeliz de Law & Order: Criminal Intent (The Glory That Was…), Goldblum interpretava o infame detetive Zach Nichols, que deu uma de Prates, Mainardi e Mario Sabino, ao assistir Bonequinha de Luxo e debochou da candidatura do Rio às Olimpíadas de Verão de 2016 a pretexto de assacar o Eike Batista, o Sérgio Cabral Filho, a Odebrecht e a Rede Globo, principais interessadas no projeto.
Como ator, Goldblum não é lá essa Brastemp toda. Dá asco de falar de seu trabalho, especificamente depois de a NBC (detentora dos direitos das Olimpíadas nos Estados Unidos até 2020) tê-lo escalado para uma tarefa tão nojenta e asquerosa. Dá raiva de tocar nesse assunto. Dá ódio.
No frigir dos ovos, no assar dos eggs and bacon, Zach Nichols estava atuando como serviçal da pré-candidatura tucana de José Serra, que era contra a realização das Olimpíadas no Brasil. Nichols e Pade Padim Cerra queriam que os Jogos de 2016 fossem sediados em Chicago (a população local não queria), Tóquio (os japoneses estavam entusiasmados, mas estão ressabiados com essa derrota até hoje) ou Madrid (os espanhois não engolem a perda dos Jogos até hoje, a despeito de terem investido uma grana pesadíssima).
Moral da história: em termos de ficção de desespero eleitoral, Nichols/Goldblum, Cerra, Maria Melillo, Luís Carlos Prates, Diogo Mainadrdi, Sabino e Mayara Petruso foram feitos um para o outro.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Elliot Stabler da direita, Esportes, Força da Grana, Gerson Law & Order, Personalidades, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s