É assim que São Paulo se candidata a sediar o Miss Universo(*) 2012 ao lado de Guadalajara, Cap Cana, Oranjestad, Rustenburgo e Seul?


A “noite dos cristais” que a repórter Natalie Morales não testemunhou na Cracolândia, seguida de textos do advogado, escritor e jurista Wálter Maierovitch e de Paulo Henrique Amorim

Reprodução/Conversa Afiada

https://i2.wp.com/www.conversaafiada.com.br/wp-content/uploads/2012/01/folha00.jpg
Na foto de Félix Lima, da Folhapress, a noite de São Paulo que a NBC se recusou a mostrar no concurso Miss Universo(*) 2011. Por pressão da Globo (que cede os direitos dos concursos de misses à Band desde 2003), do PSDB (que governa autoritariamente o Estado paulista desde 1995), do DEM (FKA Arena, PDS e PFL, partidos da ditabranda militar) ou do PPS (pseudobulbo do original PCB, Partido Comunista Brasileiro, mantido pelo forasteiro pernambucano Roberto Freire, que transferiu o título de eleitor para Lausanne). Essa imagem bruta vai pesar contra a capital paulista na escolha da cidade-sede do Miss Universo(*) 2012, que acontece nesta segunda-feira, em Nova York

O pau de arara da dupla Kassab-Alckmin na Cracolândia

É inacreditável. Em tempos de Tribunal Penal Internacional e de luta sem fronteiras por respeito aos direitos humanos e contra a tortura, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e o governador do estado paulista, Geraldo Alckmin, adotam, na conhecida Cracolândia, violência contra dependentes de crack. A dupla de governantes acaba de oficializar a tortura.
Na quarta-feira (4), por determinação do prefeito da cidade de São Paulo e do governador do Estado, iniciou-se o denominado “Plano de Ação Integrada Centro Legal”. Esse plano, consoante anunciado, terá duração indeterminada.
O plano, como explicou o coordenador de políticas de drogas da Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania, Luiz Alberto Chaves de Oliveira, consiste em obrigar os dependentes que vivem na Cracolândia a buscar ajuda, “pela dor e sofrimento” decorrentes da abstinência, junto às autoridades sanitárias ou redes de saúde.
Ao tempo do DOI-CODI, a tortura, como regra mestra, foi largamente empregada. A regra era torturar, física ou psicologicamente, para obter o resultado esperado.
Nos campos nazistas, a fome e o abandono levavam à morte. Auxiliavam na vazão, pois, eram insuficientes em número os fornos crematórios.
A tortura indireta posta em prática pela dupla Kassab-Alckmin tem o mesmo fundamento dos campos de concentração nazista. E a tortura imperava no DOI-CODI, de triste memória.
Em nenhum país civilizado emprega-se essa estratégia desumana a dependentes. Ao contrário, investe-se no convencimento ao tratamento e até nas salas seguras para uso de drogas.
As federações do comércio e da indústria da Alemanha apoiam os programas de narcossalas com 1 milhão de euros. E ninguém esquece a lição do professor Uwe Kemmesies, da Universidade de Frankfurt: “Podemos reconhecer que a oferta de salas seguras para o consumo de drogas melhorou a expectativa e a qualidade de vida de muitos toxicodependentes que não desejam ou não conseguem abandonar as substâncias”:

http://maierovitch.blog.terra.com.br/2011/12/12/novo-perfil-no-ministerio-publico-do-tribunal-penal-internacional-nao-agrada-defensores-de-direitos-humanos/

Desde os anos 90, a cidade convive com a Cracolândia e os governos são incapazes de adotar políticas adequadas. Nem as delegacias especializadas, tipo Denarc (delegacia de narcóticos), nem a polícia militar identificaram, até hoje, a origem do crack que é ofertado. Agora, numa ação policialesca, busca-se o cerco ao usuário para se chegar ao vendedor da droga. Vendedor que, evidentemente, não é o operador da rede de abastecimento de crack para as cracolândias brasileiras.
Uma questão sócio-sanitária, de saúde pública, não pode mais ser enfrentada com soluções torturantes, como pretendem Alckmin-Kassab.

Pano Rápido. Aguarda-se que a ministra responsável pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos, Maria do Rosário, tome medidas adequadas para suspender as torturas em São Paulo e o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, inicie apurações criminais. E espera-se que a nova procuradora junto ao Tribunal Penal Internacional, Fatou Bensouda, natural de Gâmbia (África Ocidental), levante o que acontece na Cracolândia e enquadre as irresponsabilidades e desumanidades.

Wálter Fanganiello Maierovitch
Kyra Segdwick
Kevin Bacon
Ratinho
Alvarenga e Ranchinho (in memoriam)
Alborghetti (in memoriam)
Lennie Briscoe (in memoriam)
Datena
Ruben Studdard
Clay Aiken
O elenco de
NCIS
Os Originais do Samba
Rob Kardashian
Robinho
Robgol
Melanie Amaro
Simon Cowell
Paula Abdul
L.A. Reid
Nicole Scherzinger
Steve Jones
Ryan Seacrest
Jennifer Lopez
Steven Tyler
Randy Jackson
Paulinho da Viola
Paulinho da Força
Whitney Cummings
Michael Patrick King
O elenco original de
O Sexo e a Cidade
Beth Behrs
Kat Dennings
Ice-T
Danny Pino
O ortopedista da Miss Brasil(*) 2010, Déb(o)ra Lyra
Kelli Giddish
Mariska Hargitay
Richard Melzer
B.D. Wong (pediu pra sair do
Entre Caspas da Globonews)
Diane Neal (outra que saiu da Globo)
Chris Meloni (Elliot Stabler não aguentou ser chamado de golpista por este Críticas e conseguiu emprego de vampiro do
True Blood da HBO – que o SBT esconde até hoje)
Os roteiristas de
Law & Order: SVU
Adriane Galisteu
Dicró
Kelly Clarkson
Maury Povich
Luís Nassif
Maura Tierney
Parminder Nagra
Afonso Nigro
O resto dos ex-integrantes do grupo Dominó
Charlie Sheen
RZA
Scotty McCreery
Lauren Alaina
Leci Brandão
Beth Carvalho
Alcione Nazaré
Sally Field
Calista Flockhart
Gilles Marini
Eduardo Marini
O provocador do portal da Record que acha concurso de Miss Universo ‘um show de horrores’
Chelsea Handler
Common
“.

Navalha

O que faz a Ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário?
Foi a pergunta que se fez, aqui, o Wálter Maierovitch.
São Paulo já se separou da Federação e tem uma política de Direitos Humanos própria?
Uma Constituição própria, redigida por Alfredo Buzaid (e Lennie Briscoe – J.E.L.)?
Se fosse num estado do Nordeste, no Rio, em que a Polícia tratasse doentes como se fossem ciganos, aleijados e homossexuais do III Reich – o que faria a Ministra?
Ou São Paulo ganhou a Guerra da Secessão em 1932?”.

(*)Na teoria, a Band é dona dos direitos de transmissão do concurso Miss Brasil e de seus concursos estaduais quando, na prática, estes pertencem à Globo (que desde 1990 paga para não transmití-lo). É a mesma coisa que a emissora da famíglia Marinho fez (e ainda faz) com as séries da FOX, como Glee, Bones, Burn Notice e outras (fora as animações)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Amanda Rollins do Globo de Ouro, American Idol da incompetência missológica brasileira, Eventos, Globelezação, Imperialsmo midiático, Nossa Grana, Nossas Venezuelas, Olivia Benson do tucanato, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s