2011 em revista: Myrian Rios do Globo de Ouro, CNBB, PSD, Amanda Rollins e o ódio a homossexuais


Olha para o teu rabo

Will Hart/NBC/Divulgação

https://i0.wp.com/www.daemonstv.com/wp-content/uploads/2011/11/LAW-ORDER-SVU-Lost-Traveler-Season-13-Episode-9.jpg
Na foto, uma aspirante a aspirante a apresentadora da parada musical da Rede Globo e futura deputada estadual carioca pelo PDT do Briziola para se filiar depois ao PSD do prefeito paulistano Gilberto Kassab (que pagou R$ 36 milhões, do seu bolso, para organizar com a Band, a Geo Eventos, multinacionais do setor de cosméticos, o Governo do Distrito Federal, o Palácio dos Bandeirantes e a NBC o Miss Universo[*] 2011)

No blog da professora Marilda Campos:

Myrian Rios envergonha o PDT!!!

Na condição de filiada ao Partido Democrático Trabalhista há quase três décadas, indago à direção partidária se não cabe processo, pela Comissão de Ética, contra a deputada estadual Myrian Rios, do Rio de Janeiro, por desconhecimento do Estatuto e do Programa do PDT.
O infeliz pronunciamento da deputada contra os homossexuais no dia 21/6/2011, dia da votação da PEC 23/2007, de autoria do deputado Gilberto Palmares, associando homossexualidade a pedofilia, afronta a lógica, peca pela generalização e envergonha o partido fundado por Leonel Brizola, que sempre primou pela defesa dos trabalhadores, das minorias e das liberdades democráticas, incluída aí a orientação sexual de cidadãos pagantes de seus impostos tanto quanto a deputada.
O PDT não pode aceitar pronunciamento tão retrógrado de uma parlamentar de sua bancada, contaminado por fundamentalismo religioso e tão distante do preconizado pela Constituição Federal e do conteúdo programático do partido.
O discurso de Myrian Rios – maldoso, perverso e intencionalmente ofensivo aos homossexuais – atribui a eles prática de pedofilia, unicamente por serem homossexuais.
De maneira debochada, a deputada faz ilações sobre possíveis ataques pedófilos a seus filhos, caso lésbicas e travestis fossem trabalhar em sua casa, ao mesmo tempo em que diz que, como religiosa, ama e respeita e ora e clama a Deus pelos homossexuais, mas afirma e reafirma que “homossexualismo é opção, é escolha”.
De maneira cínica, a deputada deturpa o objetivo da PEC 23/2007, atribuindo ao projeto de emenda da Constituição Estadual o cerceamento dos direitos dos heterossexuais. Ora, que falácia, deputada!
Ao contrário do que prega, Myrian Rios mente deslavadamente e deturpa o projeto de emenda constitucional para defender seu ponto de vista. Myrian Rios diz que “ora” pelos homossexuais, mas quer continuar a ter o direito de discriminá-los e não quer ser criminalizada por isso. A PEC 23/2007 visava incluir a orientação sexual no rol de direitos e garantias fundamentais na Constituição do Estado do Rio de Janeiro. A PEC 23/2007 obteve 38 votos a favor e 39 contra. Para ser aprovada, precisaria de 42 votos favoráveis. Essa é uma luta da cidadania, que um dia voltará a plenário e, no futuro, será aprovada. É questão de tempo.
Lamentavelmente, tem sido cada vez mais comum vermos pessoas que no passado nortearam sua vida por uma moral bem mais flexível, um belo dia se “converterem” a uma denominação religiosa fundamentalista qualquer e passarem a se dar o direito de ditar regras para quem não as pediu.
O grave neste caso é que Myrian Rios detém hoje um mandato parlamentar pelo PDT de Leonel Brizola. Não poderia haver discurso mais estapafúrdio e distante do que pregou Leonel Brizola e tão em desacordo com o Estatuto e o Programa partidário. Ela e seus seguidores são tão desconhecedores da prática democrática que sempre caracterizou o PDT que não permitem que comentários sejam postados em seu vídeo. Ela diz o que quer, mas, de maneira autoritária e antidemocrática, cerceia o direito daqueles que ela diz representar de dizerem a ela que discordam dessa representação.
Não poderia haver ofensa maior à memória de Leonel Brizola, que esteve sempre à frente do seu tempo – e justo na passagem do sétimo ano de seu falecimento – do que o discurso retrógrado e obscurantista de Myrian Rios. Comissão de Ética, já!

Marilda Campos”.

Reprodução/A Capa

https://i1.wp.com/acapa.virgula.uol.com.br/site/images/noticia/814028.jpg
Kelli Giddish em 1976

(*)Na teoria, a Band é dona dos direitos de transmissão do concurso Miss Brasil e de seus concursos estaduais quando, na prática, estes pertencem à Globo (que desde 1990 paga para não transmití-lo). É a mesma coisa que a emissora da famíglia Marinho fez (e ainda faz) com as séries da FOX, como Glee, Bones, Burn Notice e outras (fora as animações)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Amanda Rollins do Globo de Ouro, Globelezação, Imprensa monopolista, Olivia Benson do tucanato e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para 2011 em revista: Myrian Rios do Globo de Ouro, CNBB, PSD, Amanda Rollins e o ódio a homossexuais

  1. rogerio de souza borba disse:

    eu acho certo e correto as formas citada por ela isto faz diminuir o crime contra aos homossexuais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s