A Globo escondeu a Eva Ekvall, Miss Venezuela 2000, até onde pôde. Da mesma forma que fez com o Brizola, o Prestes, as OIimpiadas de Inverno, a Lindsey Vonn, o Scotty McCreery…


Se valendo até de uma inofensiva chamada do Globo de Ouro de 1984 para pregar o Golpe e derrubar o Lupi do Ministério do Trabalho

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

Reprodução

https://i0.wp.com/www.hispanicallyspeakingnews.com/uploads/images/article-images/eva_ekvaill_dies.jpeg
Um livro banido pela Fundação Roberto Marinho

Por 13 anos, a Rede Globo e suas empresas-satélite pagaram para não exibir o concurso de Miss Universo(*) no Brasil e, por tabela, baní-lo da mídia (essa história de que o certame foi esquecido é lorota de jornalista que odeia gari que canta no The X-Factor USA, atriz piauiense e ex-BBB que trabalha na França, estudante do ensino fundamental americano que vence o American Idol, presidente licenciado do PDT que é ministro do Trabalho do Brasil, et caterva). Jogaram para a galera a lenda de que Miss Brasil de verdade era Vera Fischer (atriz de pornochanchada da extinta Embrafilme investida como empregada do departamento de novelas da Globo), Martha Rocha, Adalgisa Galvão Bueno Bonner Ray Cyrus Colombo, Teresinha Morango (antes das famigeradas e gostosonas mulheres-fruta do presente dia), et caterva. Esqueceram de dar conta de que potência em concursos de misses era a Venezuela, enquanto a Globo alienava a povinha com Sula Miranda sendo recebida pelo FHC para atender a pauta neoliberal-destrutiva do Jornal Nacional. Isso foi em 1995.
Pois bem. Em 2001, uma jovem de nome Eva Ekvall (que a Globo fez questão, por seus princípios editoriais saídos de letra chula do Ice-T endeusando assassinos e traficantes de drogas antes de atuar no Law & Order: SVU d’A Vida da Gente, de esconder até sua morte, neste domingo [18]), ficou em terceiro lugar no concurso de Miss Universo(*), realizado em Bayamón (Porto Rico). Lembra? Não, você não lembra. Se vossa senhoria estudar a história da moda e da beleza pelos arquivos estreitos da Globo, da Band ou do SBT da neo-terrorista Rachel Sheherazade, jamais saberá que houve um concurso de Miss Universo em Porto Rico naquele ano. Nem saberá que uma local venceu a disputa, graças aos Laços de Famí(g)lia da nudez da mesmíssima Vera Fischer em revista masculina do Grupo Abril (que teria, mais tarde, como sócios os sul-africanos da Naspers, que apoiaram o regime de Apartheid que manteve Mandela preso por 27 anos) e em novela das oito reclassificada a mando do então juiz de menores do Rio, Siro Darlan.

Reprodução/Conversa Afiada

https://i0.wp.com/www.conversaafiada.com.br/wp-content/uploads/2011/11/BrizolaLupi_tvdestaques.jpg
Líderes trabalhistas satanizados pela Globo desde 1983

Passaram-se os anos até que, em 2008, vários portais da Internet (menos os da Globo) noticiaram que Ekvall tinha cancer de mama. Para a Globo e suas afiliadas e empresas-satélite, inclusive a TV Diário de Fortaleza, co-promotora do Miss Ceará(*) (segundo os critérios do ex-coronel baiano Antônio Carlos Magalhães, cuja foto ao lado de Marta Vasconcelos ficaremos devendo)(****), Eva Ekvall não existe. Assim como o Chelsea Lately, as Olimpíadas de Inverno, os Kardashians, a privatização da Petrobrás, o Rouge, o Br’Oz, o Scotty McCreery, a Lauren Alaina…
Para a Globo, pouco importa doença e morte de ex-miss venezuelana e sim doença e agonia de cantor sertanojo e ator de novela de ideário golpista que prega a destruição do Brasil e do Mercosul e a privatização da Petrobrás, dos Correios, da Caixa Econômica Federal, da Chesf, da Eletrobrás e do Banco do Brasil. De acordo com seus rigorosos “princípios editoriais”, Eva Ekvall é uma indigente de noticiário policial rastaquera de jornalismo porco do meio-dia, destinado a atacar governadores trabalhistas e a liberdade da informação (que não seja a dos donos dos órgãos de imprensa, lenientes com o derramamento de óleo da Chevron na Bacia de Campos e com a Privataria tucana, denunciada no livro do Amaury Ribeiro Jr., que vou comprar se possível).


Chamada de A Gifted Man: M(in)istérios Além da Medicina, feita em 1984, para boicotar a inauguração do Sambódromo carioca, feita pela extinta Rede Manchete

Como demonstrado acima, a Rede Globo e suas empresas-satélite esconderam a Eva Ekvall até onde puderam. Mesmo que fosse numa chamadinha do Roubo de Ouro da Ana Mariska Hargitay Braga do Mais Sangue Pra Você das paradas de fracassos musicais dos anos 1980. A saber:

-Clay Aiken
-98 Degrees
-Marcelo Geneci
-Lee DeWyze
-Eduardo Suplicy

Falta agora a mesma Globo, com a cumplicidade dos grupos Folha(**), Abril, RBS(***) e Estadão esconderem a recuperação da Giuliana Rancic. Essa, meus senhores (graças à base de assinantes da NET, que carrega o E! em seus pacotes de TV paga), vocês não vão esconder. Tão cedo.

Reprodução/People Magazine

https://i0.wp.com/extratv.warnerbros.com/images/news/1207/giuliana-rancic.jpg
Na foto, outra corajosa sobrevivente do cancer de mama que a Globo quer esconder de seus sites, telejornais comunintários, novelas, programas de variedades, jornais, et caterva

(*)Na teoria, a Band é dona dos direitos de transmissão do concurso Miss Brasil e de seus concursos estaduais quando, na prática, estes pertencem à Globo (que desde 1990 paga para não transmití-lo). É a mesma coisa que a emissora da famíglia Marinho fez (e ainda faz) com as séries da FOX, como Glee, Bones, Burn Notice e outras (fora as animações)
(**)Folha é o jornal que não se deve deixar a sua tataravó ler porque publica palavrões e mostra sem censura os seios, os pêlos pubianos, a vagina e a bunda da miss Pernambuco 2008, Michelle Fernandes da Costa, em revista masculina publicada a poucos dias de passar a faixa à sua sucessora, em março de 2009. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Cássio Cunha Lima DEPOIS de cassado e pergunta o que ele achou do processo no TSE, da ditabranda, do câncer de Fidel, da ficha falsa da Dilma, das mulheres-fruta, das ancas da cantora Jôsy, do ódio a piauienses encampado pelo Rafinha do Emocore, da Carla Perez lecionando “i” de iscola, da Rayanne Morais “eleita” Miss Brasil 2009 pelo site EGO, ligado à Globo (sócia da mesma Folha no jornal de negócios Valor Econômico), que vestiu FHC com o manto de “bom caráter”, porque levou dezoito anos para reconhecer um filho seu fora do casamento (com uma jornalista empregada da Globo), que mandou a Diane Sawyer da Globo News avacalhar o cantor itainopolense Frank Aguiar por causa de um filme e de uma entrevista sórdida com uma aspirante a aspirante a aspirante de celebridade paulista a uma aprendiz de Oprah do Primetime da Rede TV!, que publicou texto sórdido de um professor de comunicação da USP sobre o Miss Universo 2007, que ainda fala mal do Saulo Roston (vencedor do Ídolos 2009), que matou o senador paulista Romeu Tuma e depois o ressucitou, mandou a Mariska Hargitay falar mal do Piauí e a Tamara Tunie, o Ice-T e o Christopher Meloni bancarem o Sérgio Ricardo quebrando o violão no Festival da Record de 1967 em Law & Order: Special Victims Unit , deixou o elenco de Law & Order: Criminal Intent e o Robin Williams avacalharem o Brasil em seriado da USA Network e programa de entrevista da CBS, é o que é porque o dono é o que é e que, quando a mineira Elaine Parreira Guimarães ficou em quinto lugar no Miss Universo 1971, emprestava os carros de reportagem aos torturadores.
(***)Não é Rede Brasil Sul e sim Rede Bunda Suja (da Natália Casassola), afiliada global em Santa Catarina que tem entre seus diretores o pai de um dos estupradores juvenis de Florianópolis denunciado pelo Tijoladas do Mosquito e pelo Jornal da Record
(****)”Na Globo se atribuía a Roberto Marinho a seguinte frase: o importante não é o que eu publico, mas o que eu NÃO publico. Ou como disse o Ministro Rubens Ricúpero: o que não é bom eu não conto. E assim elegeu Fernando Hernrique, na Globo”. (Paulo Henrique Amorim)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em American Horror Story do JPB, Ética jornalística, Globelezação, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s