Na Band, não existe qualquer projeto para os concursos estaduais de 2012


Trabalhos só começam com a permissão da Globo, da CBF, do Corinthians, do Flamengo, do Cruzeiro e do PSDB, testas-de-ferro da quadrilha de Nayla Micherif, que defende a destruição do Brasil

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

Fotos Divulgação/E!, Abraham Baze/Portal Amazônia e Reprodução/Conversa Afiada

https://i2.wp.com/www.portalamazonia.com.br/cultura/files/2011/11/misses.jpghttps://i1.wp.com/www.conversaafiada.com.br/wp-content/uploads/2011/11/juliana-paes1.jpg
Nas fotos, Chelsea Handler lendo roteiro do Miss Amazonas(**) 2012, candidatas do concurso e Juliana Paes contra as hidrelétricas, com medo de faltar energia na Globo do Rio na final do BBB 12: incompetência e dissimulação da direita conservadora que governa os concursos de misses no Brasil

Apesar de estarem em andamento as produções de duas etapas estaduais (Rio Grande do Sul e Amazonas), a serem realizadas este mês (dias 6 e 22, respectivamente) por suas respectivas emissoras (Band Manaus e Band Porto Alegre), efetivamente não há a menor movimentação da Band em São Paulo com vista aos outros nove concursos estaduais que pretende televisionar em 2012 (Rio, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Pará e Minas Gerais), como parte do acordo com a Miss Universe Organization, avalizado pela Rede Globo, que, assim como no futebol da democracia corinthiana (R.I.P., doutor Sócrates) detém o monopólio dos concursos de misses no Brasil em conluio com a Abert, ecochatos como Fernando Gabeira, Maitê Proença, Juliana Paes e Zooey Deschanel e partidos da débâcle da direita reacionária como PSDB, DEM, PSD e PPS. Nenhuma pedra se movendo nesse sentido. Nem se moverá.
Essa lentidão interna na emissora paulista, sobretudo, pode custar à aspiração do Rio de Janeiro de sediar o Miss Universo(*) 2012, imediatamente após as Olimpíadas de Verão. Grosso modo, a ordem na NBC é trabalhar seja qual for a cidade escolhida (Guadalajara, a capital carioca ou Sun City) com a data de 27 de agosto para a coroação da sucessora da angolana Leila Lopes. Não vai passar disso. Para o Miss USA, o planejamento é realizá-lo no dia 27 de maio, uma semana após a final do The Celebrity Apprentice. Tudo para assegurar à candidata americana uma preparação decente para o concurso internacional.
O custo da lentidão na preparação do Miss Universo Brasil(*) 2012 é altíssimo para os cofres da Band, robustecidos ano após ano graças a um acordo sinistro de cessão de 35 minutos do horário nobre à Igreja Internacional da Graça de Deus, comandada pelo missionário Romildo Ribeiro Soares, o R.R. do Show da Fé. Fora isso, nesse período a emissora se amamentou também da parceria suspeita com a gaeta(*) promoções e eventos, firma constituída em 1999 por testas-de-ferro das Organizações Globo e colonistas(***) sociais alinhados com o monopólio da famíglia Marinho e seus respectivos governantes de plantão. Não o George Clooney do Plantão Médico, que graças à Warner se bandearia de malas e cuias para ocupar a vaga do Jô Soares no SBT. Mas sim aliados da ditabranda militar que desgraçou o Brasil por 21 anos e afundou a reputação missológica do país até hoje (quando o máximo que uma Miss Brasil[**] consegue é a mediocridade de um segundo, terceiro lugar, vaga na fedentina, no mau cheiro do aterro sanitário do Big Brother da CBS norte-americana e capa de ensaio nu na Playboy, editada pela Abril, que tem como sócios os sul-africanos da Naspers, que apoiaram o regime de segregação racial que manteve Nelson Mandela preso por 27 anos). E se o missionário sair? Quem vai pagar a conta do concurso? A Tradição, Família e Propriedade (TFP)? A Oprah Winfrey? O Ryan Seacrest? A Chelsea Handler? A própria NBC? A Discovery Communications? O Tea Party americano? A União Democrática Ruralista? As transnacionais do agronegócio que patrocinam esse escárnio (Bunge, Multymarcas, Cargill, et caterva)?
Aos fatos: em 13 de setembro, a Band assinou a expansão de seu acordo com a MUO (cobrindo inclusive sua empresa de eventos, a Enter, simulacro da Geo Eventos, da Globo e da RBS[****]), facilitando a realização de quase metade dos 27 concursos estaduais do Miss Brasil-Miss Universo. Não assinou nem com a metade deles. Para se ter uma ideia, a Enter não assinou com a direção do Miss Sergipe (que permanecerá aliada da gaeta[*], da Geo, do PSDB do coronel Albano Franco e da Globo). Nem com a do Miss Paraná. Tampouco com a do Miss Pará(**), cuja concessão também é da gaeta(*)-Globo-Geo-RBS(****)-PSDB. Assinou só com o coordenador do Miss Piauí, Nelito Marques, e mais ninguém. No Ceará, o caso é mais grave: a Book Eventos, outra aliada da Globo (tem acordo com a TV Diário, coligada da TV Verdes Mares, afiliada de Fortaleza), não deve emplacar a vencedora do concurso local no Miss Universo Brasil. A Globo não vai deixar. A TV Jangadeiro (que assume a bandeira da Band a partir do dia 1º), também não. O resultado está nos posts deste Críticas em 20 de outubro, 21 de outubro, 27 de outubro, 3 de novembro, 7 de novembro, 12 de novembro e 23 de novembro.
Tradução livre: os trabalhos para o Miss Universo Brasil por parte da Enter só devem começar atendendo ordens superiores não apenas da Comcast-NBCUniversal. Mas principalmente da Rede Globo, do PSDB, do DEM, do PPS, do Grupo Folha(*****), dos mauricinhos inimigos da hidrelétrica de Belo Monte e do direito de indígena de Santarém ver o Sunday Night Football na hora do Pânico, do Programa Sílvio Santos e do Chantástico(******), dos colonistas(***) do Estadão, dos chanceleres da TV Verdes Mares, da Unifor, da Book Eventos, da CNBB, da Pastoral da Criança e da Globonews… E por aí vai…

(*)gaeta é o modo como a Gaeta Promoções e Eventos deve ser sempre escrita: em minúsculas, para provar o quanto o Brasil é uma sub-Venezuela, um sub-Porto Rico, uma sub-Colômbia (tipo um Whooper Jr.) ou uma Guatemala tamanho-família (tipo esses sanduíches Whooper do Burger King, Sub do Subway, Big Bob, Big Mac e afins) em termos de concursos de misses
(**)Na teoria, a Band é dona dos direitos de transmissão do concurso Miss Brasil e de seus concursos estaduais quando, na prática, estes pertencem à Globo (que desde 1990 paga para não transmití-lo). É a mesma coisa que a emissora da famíglia Marinho fez (e ainda faz) com as séries da FOX, como Glee, Bones, Burn Notice e outras (fora as animações)
(***)Convém lembrar que colona não tem nada a ver com cólon da Gyselle Soares. Tratam-se de colonistas que, na visão de Paulo Henrique Amorim, “…tratam o Brasil da perspectiva do que imaginam que a Metrópole imaginaria o Brasil. No caso específico de Gaspari, ele trata o Brasil da perspectiva do que imagina que os professores de Harvard pensariam do Brasil e dele…”. Para o Críticas, tratam-se de colonistas sociais que tratam o Brasil como um combinado de Venezuela em termos missológicos com um Sudão em termos econômicos, sociais, de infra-estrutura (vide a campanha que a Globo e a Band fazem contra a Copa de 2014 e as Olimpíadas de Verão de 2016 por causa dos aeroportos) e de educação. Mais: tratam-se de colonistas sociais, calunistas de sites de celebridades, de jornais facistóides e de revistas de entretenimento que jamais reconhecerão Haley Reinhart, James Durbin, Scotty McCreery e Lauren Alaina, finalistas do American Idol em 2011, como promessas da indústria fonográfica. Preferem a Paula Fernandes, o Neymar, o Elano, o Luan Santana, a Nayla Micherif, a Mariana Rios, namorada do Di do NXZero e a Giovanna Lancelotti, namorada do Pê Lanza do Restart, ambas empregadas da Rede Globo, à Pia Toscano, ao Paul MacDonald, ao Ruben Studdard, à Lindsey Vonn, ao Johnny Weir, ao Clay Aiken, ao Francis Lopes, ao saudoso Raimundo Soldado, ao Israel Lucero, ao LeeDewyze, ao Goffredo da Silva Telles Jr., autor da Carta aos Brasileiros de 1977, à Sarah Michelle Gellar….
(****)Não é Rede Brasil Sul e sim Rede Bunda Suja (da Natália Casassola), afiliada global em Santa Catarina que tem entre seus diretores o pai de um dos estupradores juvenis de Florianópolis denunciado pelo Tijoladas do Mosquito e pelo Jornal da Record
(*****)Folha é o jornal que não se deve deixar a sua tataravó ler porque publica palavrões e mostra sem censura os seios, os pêlos pubianos, a vagina e a bunda da miss Pernambuco 2008, Michelle Fernandes da Costa, em revista masculina publicada a poucos dias de passar a faixa à sua sucessora, em março de 2009. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Cássio Cunha Lima DEPOIS de cassado e pergunta o que ele achou do processo no TSE, da ditabranda, do câncer de Fidel, da ficha falsa da Dilma, das mulheres-fruta, das ancas da cantora Jôsy, do ódio a piauienses encampado pelo Rafinha do Emocore, da Carla Perez lecionando “i” de iscola, da Rayanne Morais “eleita” Miss Brasil 2009 pelo site EGO, ligado à Globo (sócia da mesma Folha no jornal de negócios Valor Econômico), que vestiu FHC com o manto de “bom caráter”, porque levou dezoito anos para reconhecer um filho seu fora do casamento (com uma jornalista empregada da Globo), que mandou a Diane Sawyer da Globo News avacalhar o cantor itainopolense Frank Aguiar por causa de um filme e de uma entrevista sórdida com uma aspirante a aspirante a aspirante de celebridade paulista a uma aprendiz de Oprah do Primetime da Rede TV!, que publicou texto sórdido de um professor de comunicação da USP sobre o Miss Universo 2007, que ainda fala mal do Saulo Roston (vencedor do Ídolos 2009), que matou o senador paulista Romeu Tuma e depois o ressucitou, mandou a Mariska Hargitay falar mal do Piauí e a Tamara Tunie, o Ice-T e o Christopher Meloni bancarem o Sérgio Ricardo quebrando o violão no Festival da Record de 1967 em Law & Order: Special Victims Unit , deixou o elenco de Law & Order: Criminal Intent e o Robin Williams avacalharem o Brasil em seriado da USA Network e programa de entrevista da CBS, é o que é porque o dono é o que é e que, quando a mineira Elaine Parreira Guimarães ficou em quinto lugar no Miss Universo 1971, emprestava os carros de reportagem aos torturadores.
(******)Combinação da chantagem jornalística do padrão global para dar Ibope e vender jornal e revista com a estética ultrapassada e retrógada do Fantástico, capenga na audiência

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em American Idol da incompetência missológica brasileira, Jóia da coroa, Mídia regional, Nossas Venezuelas, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s