Há radialistas que dizem que amam Roberto Carlos, mas escondem que amam a Lady GaGa, o Evanescence, o Metallica, o KoRn, o Sepultura…


Ronaldo Tiradentes, da CBN Manaus, é só um deles

Reprodução/Blog Luis Nassif

https://i1.wp.com/www.advivo.com.br/sites/default/files/imagens/mapscbn.jpg
Elliot Stabler (Chris Meloni) e os comentários ameaçadores a Luis Nassif

Texto de Luís Nassif, publicado em seu blog:

“Antes de contarmos a história do nosso personagem principal, Ronaldo Tiradentes, um rápido apanhado sobre como atua no mundo virtual.
Quando escrevi os primeiros posts sobre o caso Bianca Abinader recebi comentários virulentos de um perfil fake no Twitter, de codinome @caionunes. Depois, ele invadiu meu blog com ataques de baixo nível.
O IP é do mesmo mesmo provedor e da mesma central, em Manaus, dos ataques desfechados contra Bianca e contra o blogueiro Ismael pelo mesmo @caionunes. Na época, identificou-se Ronaldo Tiradentes como a pessoa por trás do fake, devido às informações veiculadas pelo Twitter de @caionunes, que antecipou todos os movimentos da Secretaria de Administração em um dos inquéritos movidos contra a médica.
A conta é da Vivax, provedor da Net. O equipamento encontra-se a 7 km da sede da CBN Manaus. Na Net, informam-me que a rua da CBN Manaus está na área atendida pela central identificada no IP.
Transponham essa virulência para o mundo real de Manaus. Na ponta ofensiva, uma rádio de alcance amplo, não meros comentários de baixo calão; na ponta atacada, pessoas físicas cercadas pelo poder político de Amazonino, pelas políticas de intimidação da CBN. No meio, a virulência sem limites de um personagem como Ronaldo Tiradentes.
Ele apareceu em Manaus vindo de Minas. Começou a carreira como vendedor de uma loja de CD. Depois, tornou-se apresentador do Clube do Rei, na TV local, enaltecendo Roberto Carlos. Começou aí sua popularidade. A partir dessa vitrine, elegeu-se deputado estadual nos anos 90. Não foi reeleito. Mas foi secretário de Comunicação na primeira gestão de Amazonino Mendes, quando começou a montar sua fortuna.
Aproximou-se do mundo político do estado, oferecendo a matéria prima mais valorizada por aquelas plagas: uma virulência sem limites.
Arthur Virgílio chegou a pagar para que fosse à França fotografar um suposto castelo de Amazonino Mendes. Eleito, Amazonino cooptou-o com gordas verbas publicitárias para suas rádios.
Em 1997 conseguiu a concessão da rádio Tiradentes, que colocou em nome de parentes. Quando, em 2003, o Ministério das Comunicações abriu concorrência para novas frequências no Amazonas, conseguiu a concessão da rádio que se filiou à rede CBN. Em 2004 conseguiu a Rádio Tiradentes FM (89,7), em 2005, a TV Tiradentes, de Porto Velho e a Tiradentes FM, em Parintins.

https://i2.wp.com/www.advivo.com.br/sites/default/files/imagens/cbniranduba.jpg

Valendo-se da falta de controle das autoridades do setor, passou a utilizar uma frequencia que pega a cidade toda, pagando multas irrisórias pelos abusos. No dia 21 de setembro passado, sofreu uma multa de R$ 2.400,00 por utilizar a frequência da CBN Iranduba fora da sede da cidade”.

(Os detalhes dessa História Amazônica de Horror estão aqui).

No dia 11 de agosto passado foi alvo de uma homenagem. Graças à força que lhe foi outorgada pela rede CBN, estavam presentes o governador, prefeito e vereadores.
Segundo o relato do site da CBN, “Ronaldo foi às lágrimas ao lembrar o começo de vida em Belo Horizonte, como cobrador e camelô”. E mostrou sua estreita ligação com as Organizações Globo:

“O apresentador do CBN Manaus lembrou de sua passagem pela TV Amazonas, onde foi o primeiro repórter a emplacar matéria local no Jornal Nacional. E a emissora o homenageou, com espaço destacado no Jornal do Amazonas deste começo de noite”.

Depois do sucesso do “Clube do Rei”, Ronaldo estreitou as relações com as Organizações Globo. Tornou-se repórter da TV Amazonas, afiliada da Globo e, depois, apresentador do Jornal da Amazônia, que antecedia o Jornal Nacional. Foi o que lhe abriu as portas para ser o homem da CBN em Manaus.
Parte de sua história é narrada no livro “O ronco da pororoca: histórias de um repórter da Amazônia”, de Marcos Losekann. Nos anos 90 enviou capangas a Niterói para espancar um cronista de Manaus que o criticou.
Sob seu comando, a CBN tornou-se defensora das piores causas de Manaus.
Abriu microfones para o vereador Sabino Castelo Branco, acusado de agredir a própria esposa. Depois, para o irmão do governador Omar Aziz, que invadiu a UFAM (Universidade Federal de Manaus) para espancar um professor, que comentara em sala de aula as acusações contra o governador na CPI da Exploração Sexual, anos antes.
Abriu espaço para Omar se defender das acusações de pedofilia. Depois, para Carlos Souza, quando foi acusado de comandar o crime organizado em Manaus; para Antonio Cordeiro, flagrado pela Operação Albatroz por desviar R$ 500 milhões do governo do Estado.
Defendeu Adail Pinheiro, o ex-prefeito de Coari, acusado pela Polícia Federal de desvios de mais de R$ 30 milhões e de envolvimento na escabrosa rede de pedofilia que envolvia políticos do estado. Em seus programas, Ronaldo Tiradentes fazia apelos para que a Justiça desbloqueasse os recursos da prefeitura de Coari. A cidade vive de royalties de petróleo.
Em 2009, um dos escândalos da esquema Adail, através de seu sucessor Rodrigo Alves da Costa (posteriormente cassado por corrupção) consistiu na contratação, por R$ 4,3 milhões, de trios elétricos pelo período de cinco meses. Os trios pertenciam à AMZ Produções, de Robson Tiradentes, irmão de Ronaldo. Cassado o homem de Adail, Ronaldo fez sua defesa imediatamente iniciou campanha contra seu sucessor.
O prefeito cassado foi acusado pela Operação Vorax da Polícia Federal de envolvimento em organização criminosa. Na CBN se veiculava a falsa informação de que sua culpa teria sido participar de uma festa política com distribuição de prêmios.
A parte mais obscura da carreira de Tiradentes veio à tona em 2009, quando seu ex-sócio, o advogado Afonso Luciano Gomes foi a Brasilia entregar ao presidente da CPI documentos que supostamente comprovariam que Tiradentes abusou de uma sobrinha de 13 anos. A menina teria engravidado de um menino, então com 14 anos – a mãe já com 27.
A agência Senado noticiou assim:

“O advogado Afonso Luciano Gomes Amâncio entregou nesta terça-feira (1º), ao presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia, senador Magno Malta (PR-ES), denúncia de abuso sexual praticado por Ronaldo Lázaro Tiradentes, em Manaus (AM), contra sua sobrinha Keyla Roberta Gregório da Silva. O advogado entregou cópia de depoimento da vítima à Polícia Federal no amazonas e pediu à CPI apuração do caso em que sua cliente foi vítima. Segundo o depoimento de Keyla, Ronaldo Tiradentes a criou depois que ela ficou órfã de pai, aos 4 anos de idade. Keyla, hoje com 27 anos, afirma que, no período em que vivia na casa do tio, foi abusada sexualmente por ele, o que a fez decidir sair de casa aos 13 anos. Em seu depoimento ela também relata que, mesmo depois de sair de casa, Ronaldo Tiradentes continuou a assediá-la até que teve uma filha, que está com 11 anos, não reconhecida por ele. Magno Malta afirmou que vai levar a denúncia à CPI da Pedofilia e, se necessário, serão convocados o acusado e sua esposa, Maria José, bem como a vítima”.

A sobrinha chegou a conceder entrevista confirmando a versão. Ronaldo atribuiu as denúncias ao seu adversário político, ex-Ministro Alfredo Nascimento.
Tempos depois, a sobrinha voltou atrás e Tiradentes apresentou um exame de DNA que supostamente o inocentaria da acusação de gravidez.
Mensalmente, a prefeitura de Manaus joga mais de R$ 1 milhão de publicidade nas duas emissoras de Ronaldo, a CBN Manaus e a rádio Tiradentes.
Foi nesse pantanal que a médica tuiteira Bianca Abinader se meteu, quando resolveu, com mais 150 tuiteiros da cidade, inaugurar a Primavera de Manaus, criando o movimento pelo twitter”.

Divulgação/FX

https://i1.wp.com/seriesnews.com.br/wp-content/uploads/2011/10/AHS_S1_Poster_04.jpg
Na foto, contribuintes de Los Angeles que pagam para a Prefeitura de Manaus anunciar na rádio globelezada de Ronaldo Tiradentes que troca notícia

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Axé-besteirol, Mídia regional, Monopólio da informação e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Há radialistas que dizem que amam Roberto Carlos, mas escondem que amam a Lady GaGa, o Evanescence, o Metallica, o KoRn, o Sepultura…

  1. Pingback: Parada das Nações fora da pauta: música esquecida do comercial de Rexona de 2008 pode servir para o American Horror Story do Ronaldo Tiradentes | TV em Análise Críticas

  2. MAURA disse:

    MEU DEUS O CARA É UM SAFADO… É SIM… RONALDO TIRADENTES VOCEÊ NAO VALE NADA… UM PEDÓFILO FILHO DA P*** QUE DEVIA MORRER COM TODAS AS DOENÇAS OPORTUNISTAS DA SIDA… PRA VOCE ISSO É POUCO… EU FUI VIOLENTADA PELO MEU PAI E SEI O QUE ESSA VITIMA HJ COM 27 ANOS SENTE QDO OLHA PARA SEU ALGOZ…. UM MONSTRO QUE DEVERIA SER LINCHADO PUBLICAMENTE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s