Avril Lavigne sabe quem matou o cinegrafista da Band


Comentários de internautas do Conversa Afiada demonstram tudo

Fotos Reprodução/PerezHilton/JB (Avril) e Reprodução/Conversa Afiada

https://i2.wp.com/www.jb.com.br/media/fotos/2011/11/08/627w/avril-lavigne-mostra-o-rosto-bem-machucado-depois-de-ser-agredida-por-ci.jpghttps://i0.wp.com/www.conversaafiada.com.br/wp-content/uploads/2011/11/morte-jornalista.jpg
Who is the cop? Who is the journalist???

“‘Um atentado à liberdade de imprensa’, Sandra Annenberg, Jornal Hoje (hoje).
Discordo, o jornalismo cara de pau praticado pela Globo e demais integrandes do PIG, é um atentado à Democracia.
Expor profissionais para produzir reportagens sensacionalistas em busca de míseros pontinhos de audiência”.

(Roberto Ribeiro, não o finado sambista)

“A culpa, é óbvio, é do patrão (que eles, os jornalistas, chamam de colegas). A culpa é da Band, como seria da Globo, da Record e de qual mais empresa jornalística que permitisse seus funcionários se exporem desta maneira desnecessária. Por tudo que você falou, PHA, é óbvio que a culpa é do patrão. Os riscos do negócio são do patrão e não dos empregados. Mas sabe como é, talvez os cipeiros da Band vão constatar “ato inseguro” do empregado e não “condição insegura” pelo lado do patrão. O mesmo aconteceu com Tim Lopes, que foi autorizado a voltar à favela mesmo com imagens suficientes para a matéria. Ele foi pela última vez e não deu certo. O mesmo com este pobre moço, o Gelson Domingos. E você falou tudo, qual a diferença de um tiroteio a mais ou a menos. Só poderia ser para o boquirroto do Datena, que passou a tarde desancando a segurança pública do Rio para tirar o dos seus patrões da reta, ter imagens e dizer: “põe na tela”. E o Boechat, agora à noite, também criticou. A matéria do Jornal da band “denunciou” 16 milhões de armas nas mãos da população. Fica a pergunta: de que lado a Band fcou, através de seus ácidos editoriais, nsa questão do desarmamento?”

(Sílvio Fontana)

“A única culpada é o Grupo Bandeirantes de Comunicação.
Primeiro pela total IRRESPONSABILIDADE de permitir que seus repórteres utilizem um colete que não é a prova de tiros DE GROSSO CALIBRE. Ora, até minha vovózinha, sabe que nessas intervenções na comunidades, a polícia é recebida não com arco e flexas, estilingues, ou armas de pequeno calibre ( 22 ou 3 oitão ) são recebidos sim com tiros de FUZIL, METRALHADORAS, GRANADAS, e, outros artefatos belicosos. Agora, se o grupo BAND, não pode ter a proteção devida dos coletes especiais, então NÃO ENVIASSE seus repórteres À ZONA DE CONFRONTO, aliás para que? para filmar saraivadas de balas de novo?? para que ? para alimentar o baixo nível da emissora? Porque não apanhar nos arquivos, as imagens da semana retrasada, ou do mes passado, é tudo igual…
Então se há um culpado é o Sr. João Saad e seus diretores”.

(Cid Costa)

“Quando é que o PIG vai fabricar esta manchete:

“Traficantes filiados ao PT são acusados de matar cinegrafista da Band”.

Ficamos de alerta pois logo, logo saiu uma dessas. O PIG está querendo politizar esta morte”.

(Naiara Duarte)

“Para o partido político de oposição, vulgo PIG, o fim justifica os meios e a morte do cinegrafista, para eles, representa apenas mais uma matéria a ser veiculada na campanha política que se inicia em 2012, ou ontem, hoje, sei lá.
Espero que os familiares não aceitem o uso político da morte de seus entes queridos, posto que seria de extremo mau gosto e revelaria toda a podridão do PIG, também para eles.
Mas que dizer do partido político de oposição, vulgo PIG, que promoveu a baixaria sobre a doença do ex-presidente. Para ele, o PIG, a morte do cinegrafista pode ser uma boa para a campanha.
Bolinha de papel, quase que foi.
Muito cuidado, povo, a próxima vítima do partido PIG, pode ser você”.

(Reg)

“O Que a Rede Bobo diz não se deve levar a sério. A Rede Bobo já perdeu o senso do ridículo faz tempo, ou seja, desde o dia da sua fundação. Agora, falando sobre o caso é desnecessário ao público ficar assistindo imagens de tiroteios entre policiais e bandidos. Só interessa mesmo às emissoras de TV que vivem em uma guerra de audiência. Pena que desta vez custou a vida de um inocente trabalhador. Que isso seja um ponto inicial para esses Diretores de jornalismo refletirem sobre a irresponsabilidade cometida por eles mesmos ao povo e aos seus funcionários”.

(Adilson)

“Quem matou o repórter da band foi o próprio pig. Aos expor seus funcionários a coberura de confrontos entre policiais e bandidos, quando quase sempre teem vítimas; sejam bandidos, policiais, moradores inocentes e eventualmente algum jornalista mais afoito, forçado pelos Ali Kamel e Fernados Mitres da vida, sempre à serviço dos patrões. No jornal hoje, da piglobo, a apresentadora anuncia a matéria da morte do cinegrafista, como atentado à liberdade de imprensa. No conteúdo da notícia e nas imagens apresentadas, não identificamos o anunciado na abertura, como se todos os espectadores fossem bobos, como diz Yacov. Claramente a notícia tenta induzir a população a achar que o repórter foi vítima da tentativa de calar a imprensa, quando na realidade, fomos vítimas, todos nós, ao assistirmos a um profissional no conforto das luzes e do ar-condicionado, de uma bancada de apresentação de um jornal em rede nacional, lendo num teleprompter editado para satisfazer a opinião do patrão e não para informar a verdade dos fatos. Nem a morte de um colega sensibiliza esses capachos.
“Pela democratização dos veículos de comunicação e pela queda do império da globo.”.

(Paulo Erivan)

“Nessa verdadeira guerra midiática entre São Paulo e o Rio, quem perde é a vida.
Isso porque, emissoras como a Globo, não possuem nenhum escrúpulo para fazerem um verdadeiro tiroteio contra um alvo que não existe, para proteger seus interesses políticos. A Globo, como se pode comprovar todos os dias, quer arruinar o Governo do Rio, Isso é fato. Só cego não vê, e surdo não houve. A Band, logo após a tragédia, tratou de “tirar o seu da reta”, com uma “nota” sem pé nem cabeça. Um verdadeiro absurdo. Espero que os profissionais dessas emissoras, reflitam bastante sobre o que cada uma pensa dêles.
Band e Globo. Tudo a ver !
Plim, plim”.

(O Juiz)

“Rídiculo foi ver a Patricia Poeta indignada reclamando que a liberdade de imprensa levou mais um golpe…”

(Flávio)

“Hoje no Bom (?) dia Brasil a Renata Vasconcelos estava tão atordoada com a morte do cinegrafista da BAND que ao fazer uma análise do que estar ocorrendo em um município de Alagoas onde o prefeito, nora e sogro fazem uma verdadeira “arruaça” com o dinheiro público, ela disse que neste município houve uma verdadeira PRIVATIZAÇÃO, pela primeira vez a rede “porco” usa uma porta voz e faz um questionamento verdadeiro do que foram as PRIVATARIAS do DEMos/PSDB/ÇERRA/FHC. Adorei esse comentário.

(Lenilton)

“E o Chico Pinheiro falou com ênfase: “É um atentado à liberdade de imprensa”. Acham que o telespectador é besta.

Concordo que, se existe atentado, foi praticado pela própria empresa contra os jornalistas, por colocá-los em situação de extemo risco, desnecessariamente”.

(Luiz Fernando)

“A lamentável morte de um profissional no exercício da sua função é só isso, um acidente de trabalho e como tal deve ser tratado inclusive com a devida aplicação da legislação trabalhista que prevê indenização aos familiares/dependentes, ridículo é ver um membro ligado a uma entidade de classe dizer que em nome da instituição exige que o assassino seja exemplarmente punido, ora, não era isso que a polícia estava fazendo lá?, tentando prendê-los para que sejam punidos por vários crimes, será diferente agora porquê um cinegrafista morreu no combate?, então se não fosse isso deveria ser tratado somente como uma brincadeira de “bang-bang” como dizíamos na minha infância?.
Fico perplexo com tanta besteira dita principalmente por representante de uma classe profissional que na minha adolescência aprendi a admirar pela inteligência.”

(Leônidas Costa Andrade)

“Também achei muito esquisito usar o termo “atentado à liberdade de imprensa”. Um despropósito. São os risocs da profissão. Quem está na chuva é para se molhar. O jornalista, a empresa, os órgãos e agentes de segurança sabem muito bem dos riscos. Porquer permitiram que o rapaz ficasse na linha de tiro… Isso me parece mais incompetência e ganância em querer dar um furo a todo o custo. Penso também que uma filmagem dessas no currículo deve dar ao profissional maiores possibilidades financeiras, mas tudo tem custos. Agora, do jeito que o Fu-Chico falou, parece que é o governo, que não acaba com o tráfico, que impede os profissionais de exercerem o seu metiêr. Me poupe… Daqui a pouco vão dizer que se o jornalista morrer de dengue, isso é cerceamento da liberdade de imprensa. Isso está virando uma obsessão do PIG… É ridículo!!”

“O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS”

(Yacov)

“Quem matou o jornalista da Band foi a promiscuidade entre as Polícias e a grande Mídia.
Alguém já se perguntou porque a Globo tem prioridade nas investigações da Polícia Federal?
Toda semana a Globo divulga no Fantástico e no Jornal Nacional reportagens exclusivas mostrando depoimentos, documentos, etc sobre investigações da Polícia Federal, na maioria sob segredo de Justiça.
O que a Globo oferece em troca, reportagens elogiosas sobre as operações da PF?
Esse “uma mão lava a outra”, é mais que evidente.
Esse sistema de troca deve funcionar para todas as polícias e quem furar, vai sofrer uma campanha feroz contra.
Até o Exérito americano já adotou esse sistema, como assistimos na invasão do Iraque.
O Exército americano levava os “jornalistas” para documentarem suas operações, montando cuidadosamente os cenários para que a Mídia mostrassem a opinião pública suas ações de modo favorável a invasão, principalmente sobre as tais armas de destruição em massa.
O problema é que as vezes não dá para combinar com o inimigo e alguns desavisados morrem.
Aí, entra em cena o velho e bom corporativismo”.

(Leônidas de Souza)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em American Horror Story do JPB, Globelezação, Imprensa monopolista, Lilly Rush do Alborghetti, Música, Realidade brasileira, Robert Goren do Datena do Brasil Urgente, Se gritar pega ladrão... e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s