A grande bravata da Band sobre os concursos de misses no Brasil


Na colona(*) do Flávio Ric(c)o no UOL(**), uma importante rede nacional de mentiras e contradições formada pelo Tea Party paulista

Da redação TV em Análise

Reprodução de TV/Ópera Mundi

https://i0.wp.com/operamundi.uol.com.br/arquivos/upload/espn.jpg
…”é possível resgatar um pouco daquele glamour das décadas de 50 e 60″

Eis o texto abaixo saído da pena de um apoiador de Michelle Bachmnann travestido de lobista da Globo, rifado da abertura do Monday Night Football da ESPN americana (os comentários entre parênteses são nossos – J.E.L.):

Com empresa própria, Bandeirantes vai organizar concursos de misses

Através da Enter, empresa recentemente criada, a Bandeirantes passará a organizar os seus concursos de misses, independentemente dos que já existiam”.

(Nada disso: a Band ficou com a incumbência de organizar os concursos de misses afiliados à Miss Universe Organization. Nada de mexer com os negócios do Miss Mundo, Miss Beleza Internacional e Miss Terra. Mais: a Enter foi constutuída às pressas pelo Grupo Band, em 20 de dezembro de 2010, apenas para cuidar da organização do Miss Universo e da Fórmula Indy em São Paulo, a princípio).

Segue a ladainha:

“Depois de muito tempo esquecidos, sem se dar tanto destaque a eles, essas promoções começam a apresentar sinais de que é possível resgatar um pouco daquele glamour das décadas de 50 e 60”.

(Não tanto assim, afinal esses eventos foram afundados pelo monopólio criminoso da Globo, que se amamentou às fartas da publicidade oficial do regime militar, através de um instrumento chamado BV – Bonificação de Volume. Para se ter uma ideia, a Globo afundou o Miss Brasil[****] após a morte de Assis Chateaubriand. É desculpa esfarrapada para enganar o leitor/eleitor/contribuinte. Discurso feito para endossar a publicidade dada ao certame após o Big Brother Brasil 3, os ensaios de nudez de Joseane Oliveira, Michelle Fernandes da Costa e Adriana Sant’Anna em uma revista masculina do Grupo Abril, que tem como sócios os sul-africanos da Naspers, que apoiaram o regime de apartheid que manteve Mandela 27 anos preso e as idiotices do cantor Hank Williams Jr. ditas no Bom (?) Dia Brasil da FOX News acerca de Obama).

Mais adiante:

“A chegada da Band, uma rede nacional de televisão importante, acaba contribuindo para isso, mexendo com as pessoas e até estimulando as que se interessam em participar”

(Entenda-se rede de televisão nacional importante como sendo a Globo, que elege presidentes, misses, indica ministros e o técnico da Selecinha e divide com a Band citada acima o oligopólio das transmissões de futebol tradicional, aquele ligado à FIFA. E a Record? Não o é, cara pálida?).

Após breve leitura deste texto, conclui-se que:

1-Muito pelo contrário, a Band está isso sim é desestimulando a realização de concursos municipais e estaduais válidos pelo Miss Universo ou qualquer outro certame. O gasto astronômico de R$ 36 milhões com a organização do Miss Universo(****) 2011, cujos direitos só puderam ser negociados com a Comcast-NBCUniversal após ouvida a direção da Globo (que desde o convite à Flávia Cavalcante para participar da novela Meu Bem Meu Mal em 1990, paga para não transmitir os certames e baní-los da mídia) não justifica investimento absurdo e fora da realidade para um país subdesenvolvido e atrasado como este. Priscila Machado penou para ficar entre as 16 semifinalistas, não fosse a boa avaliação interna que recbeu dos funcionários de Donald Trump (na presença do próprio, a gaúcha estaria isso sim desclassificada – vide aqui as razões para tal);
2-99,99% do que Ric(c)o escreve é só para alimentar a publicidade oficial, mentirosa, sobre a desgraça pela qual passam os concursos de misses no Brasil (sejam eles os filiados à Miss Universe Organization, à Carrousel Productions ou à Miss Wolrld Productions). Pura enganação para os trouxas. Só um idiota acredita numa notícia dessa, aparentemente pré-fabricada e encomendada para agradar aos barões da mídia.

Mais adiante:

“Chamada a se manifestar sobre o funcionamento de tudo, a Bandeirantes informa que o controle dos 27 concursos regionais do Miss Universo Brasil será da sua empresa, como única responsável desde a seleção das candidatas à transmissão do evento”.

(Não, a Band não vai dar conta do recado. A começar dos coordenadores ligados à Globo e à gaeta[*****]).
ATUALIZAÇÃO (24/2/2012): A Enter só assinou com oito Estados – Piauí, Rio Grande do Sul, Amazonas, Pará, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso e Tocantins. Os demais ou estão com irregularidades ou não possuem coordenações montadas.

Para finalizar o festival de mentiras:

“Os organizadores municipais, contando ou não com o apoio das prefeituras locais, agora terão que se habilitar junto a Enter para participarem deste novo concurso que passa a ser único credenciado para o Miss Universo”.

(A julgar pelo caminhar do andor, nenhum irá andar com a Enter. Vão todos morrer abraçados com o monopólio da Globo e com a gaeta[***], para perpetuar o atraso missológico do Brasil ante potências como Filipinas, Venezuela, Estados Unidos, Colômbia, Suécia…).

A asneira toda está aqui.
E, abaixo, via Everaldo Marques, a razão pela qual os concursos de misses no Brasil estão definitivamente indo para o lodo:

“Em tempo: nesta quinta pela manhã, a matriz da ESPN nos Estados Unidos anunciou que as aberturas do Monday Night Football não terão mais a presença de Hank Williams Jr e seu clássico tema Are You Ready for Some Football?. A separação é consequência de declarações do cantor em entrevista à Fox na última segunda-feira, quando ele disse que ver o presidente Barack Obama (democrata) jogando golfe com o presidente da Câmara dos Deputados (republicano) era o mesmo que ver Adolf Hitler jogando golfe com o primeiro ministro israelense, Benjamin Netanyahu. A entrevista já tinha feito a ESPN cortar a abertura do último MNF, Bucs x Colts. Agora veio a notícia do rompimento definitivo. A música era usada como tema do Monday Night Football desde 1991″.

(*)Convém lembrar que colona não tem nada a ver com cólon da Gyselle Soares. Tratam-se de colonistas que, na visão de Paulo Henrique Amorim, “…tratam o Brasil da perspectiva do que imaginam que a Metrópole imaginaria o Brasil. No caso específico de Gaspari, ele trata o Brasil da perspectiva do que imagina que os professores de Harvard pensariam do Brasil e dele…”. Para o Críticas, tratam-se de colonistas sociais que tratam o Brasil como um combinado de Venezuela em termos missológicos com um Sudão em termos econômicos, sociais, de infra-estrutura (vide a campanha que a Globo e a Band fazem contra a Copa de 2014 e as Olimpíadas de Verão de 2016 por causa dos aeroportos) e de educação. Mais: tratam-se de colonistas sociais, calunistas de sites de celebridades, de jornais facistóides e de revistas de entretenimento que jamais reconhecerão Haley Reinhart, James Durbin, Scotty McCreery e Lauren Alaina, finalistas do American Idol em 2011, como promessas da indústria fonográfica. Preferem a Paula Fernandes, o Neymar, o Elano, o Luan Santana, a Nayla Micherif, a Mariana Rios, namorada do Di do NXZero e a Giovanna Lancelotti, namorada do Pê Lanza do Restart, ambas empregadas da Rede Globo, à Pia Toscano, ao Paul MacDonald, ao Ruben Studdard, à Lindsey Vonn, ao Johnny Weir, ao Clay Aiken, ao Francis Lopes, ao saudoso Raimundo Soldado, ao Israel Lucero, ao LeeDewyze, ao Goffredo da Silva Telles Jr., autor da Carta aos Brasileiros de 1977, à Sarah Michelle Gellar….
(**)UOL é o braço de Internet do Grupo Folha(***) em associação com a Abril-Naspers, que, quando governou a África do Sul, apoiou o regime de apartheid que manteve Nelson Mandela na cadeia por 27 anos. E, durante os 15 anos de governos tucanos em São Paulo, ofereceu assinaturas de suas revistas sem licitação (inclusive livros pornográficos e revistas de mulher pelada) às escolas públicas do Estado.
(***)Folha é o jornal que não se deve deixar a sua tataravó ler porque publica palavrões e mostra sem censura os seios, os pêlos pubianos, a vagina e a bunda da miss Pernambuco 2008, Michelle Fernandes da Costa, em revista masculina publicada a poucos dias de passar a faixa à sua sucessora, em março de 2009. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Cássio Cunha Lima DEPOIS de cassado e pergunta o que ele achou do processo no TSE, da ditabranda, do câncer de Fidel, da ficha falsa da Dilma, das mulheres-fruta, das ancas da cantora Jôsy, do ódio a piauienses encampado pelo Rafinha do Emocore, da Carla Perez lecionando “i” de iscola, da Rayanne Morais “eleita” Miss Brasil 2009 pelo site EGO, ligado à Globo (sócia da mesma Folha no jornal de negócios Valor Econômico), que vestiu FHC com o manto de “bom caráter”, porque levou dezoito anos para reconhecer um filho seu fora do casamento (com uma jornalista empregada da Globo), que mandou a Diane Sawyer da Globo News avacalhar o cantor itainopolense Frank Aguiar por causa de um filme e de uma entrevista sórdida com uma aspirante a aspirante a aspirante de celebridade paulista a uma aprendiz de Oprah do Primetime da Rede TV!, que publicou texto sórdido de um professor de comunicação da USP sobre o Miss Universo 2007, que ainda fala mal do Saulo Roston (vencedor do Ídolos 2009), que matou o senador paulista Romeu Tuma e depois o ressucitou, mandou a Mariska Hargitay falar mal do Piauí e a Tamara Tunie, o Ice-T e o Christopher Meloni bancarem o Sérgio Ricardo quebrando o violão no Festival da Record de 1967 em Law & Order: Special Victims Unit , deixou o elenco de Law & Order: Criminal Intent e o Robin Williams avacalharem o Brasil em seriado da USA Network e programa de entrevista da CBS, é o que é porque o dono é o que é e que, quando a mineira Elaine Parreira Guimarães ficou em quinto lugar no Miss Universo 1971, emprestava os carros de reportagem aos torturadores.
(****)Na teoria, a Band é dona dos direitos de transmissão do concurso Miss Brasil e de seus concursos estaduais quando, na prática, estes pertencem à Globo (que desde 1990 paga para não transmití-lo). É a mesma coisa que a emissora da famíglia Marinho fez (e ainda faz) com as séries da FOX, como Glee, Bones, Burn Notice e outras (fora as animações)
(*****)gaeta é o modo como a Gaeta Promoções e Eventos deve ser sempre escrita: em minúsculas, para provar o quanto o Brasil é uma sub-Venezuela, um sub-Porto Rico, uma sub-Colômbia (tipo um Whooper Jr.) ou uma Guatemala tamanho-família (tipo esses sanduíches Whooper do Burger King, Sub do Subway, Big Bob, Big Mac e afins) em termos de concursos de misses

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em American Idol da incompetência missológica brasileira, Água oxigenada, Nossas Venezuelas, Projetos especiais e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s