É oficial: ESPN ‘matou’ a machadadas o futebol americano do Bandsports


Press-release: direitos internacionais da NFL valem até 2021

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

Mike Roemer/AP Photo


Jogo entre Packers e Saints, já exclusivo da ESPN no Brasil

Em 25 de agosto, este Críticas revelara, com base em informações superficiais, que o Bandsports tomou uma portada na cabeça em relação aos direitos televisivos dos jogos da NFL (National Football League, a liga de futebol americano profissional dos Estados Unidos), que expiraram no Super Bowl XLV, realizado em 6 de fevereiro deste ano e transmitido pelo canal de esportes do Grupo Band.
Agora, a realidade nua, crua e peladona vem no comunicado abaixo, em inglês, assinado pela ESPN americana:

ESPN, NFL Reach Eight-Year Extension for Monday Night Football
Broad Studio, Multimedia and International Rights Included

Monday Night Football, the most successful series in sports media history, will remain on ESPN through the 2021 NFL season under a new eight-year agreement between ESPN and the National Football League, it was announced today by ESPN and ABC Sports President George Bodenheimer and NFL Commissioner Roger Goodell. The broad multiplatform agreement, which begins in 2014, includes eight full seasons of MNF telecasts, expanded NFL studio programming (beginning this week), highlight rights for TV and ESPN.com, the Pro Bowl, the NFL Draft, 3D rights, and enhanced international rights”.

Preste atenção para a paulada abaixo:

“The extensive package of NFL rights will fuel the continued growth of ESPN year-round, boosting its core television business while at the same time supporting the company’s “best available screen” strategy with NFL programs on TV, online and on mobile devices via authentication and digital rights. Outside the U.S., ESPN will televise MNF and other regular season games, playoffs, and the Super Bowl in 30 million households in 144 countries and territories across five continents, including Brazil, the Caribbean, Africa, Middle East, Israel, Australia-New Zealand, and Continental Europe. The agreement also provides the NFL with an option to air a postseason Wild Card playoff game on ESPN should the NFL decide to do so”.

“…including Brazil” é para o Paulo Mancha parar de falar besteira em seu Twitter.
For the record, para os calções borrados do Bandsports: o acordo da ESPN com a NFL é em nível internacional, não apenas para o quintal da granja do senhor Johnny Saad, incompetente que trouxe uma edição do Miss Universo(*), cedida pela Globo, a São Paulo e que, segundo Mancha, em suas palavras cínicas, “não foi ouvido pela NFL”. Mentira: a ESPN foi lá, fez a melhor proposta e deixou o Ivan Zimmermann rindolitros à toa, em Nova York, de bobeira, achando que iria pegar a NFL para o canal desportivo dos ruralistas da Band.
Roger Goodell, o poderoso comissário da NFL, sabe muito bem que a Band quer é golpe de Estado no Brasil para reinstalar uma ditadura militar de direita, que afundou a economia deste país por 26 anos, jogando-o ao FMI por quatro, cinco, seis vezes, nas indesejáveis viagens ao Clube de Paris, amplamente repercutidas pelo jornal nacional da Globo, parceira da Band na tragédia que é o soccer administrado por gângsteres que implodiram o Clube dos 13.
Curiosamente, o Corinthians, parceiro da Rede Globo e da Band no soccer da máfia de Ricardo Teixeira, mantém um programa de futebol americano com equipe formada e tudo mais. Palmeiras??? Flamengo??? Vasco??? Sport Club Recife??? Santos do mercenário Neymar??? Are they ready for some football? Nunca. Never. Nem no Unforgettable do forevis da Lia Khey.
Prestem atenção no tamanho da facada:

“ESPN’s significantly-enhanced NFL rights package for the extension will include:

Telecast rights to 17 Monday Night Football games per season for eight additional seasons (2014-2021).
Rights to more than 500 new hours of NFL-branded studio programming per year, starting this week. Popular programs such as ESPN’s Emmy Award-winning Sunday NFL Countdown pre-game show (expands to three hours), NFL Live (expands to one hour year-round), Monday Night Countdown, NFL PrimeTime, and NFL Matchup will continue, and ESPN will create more NFL-branded studio programming, including NFL 32 and NFL Kickoff, both debuting this week. More on these programs;
Expanded highlight rights across ESPN’s television and ESPN.com;
Pro Bowl;
NFL Draft, which ESPN has covered since 1980;
3D distribution rights;
Rights to simulcast network coverage of ESPN’s MNF and NFL studio programs on tablet devices through ESPN’s WatchESPN App;
Continued Spanish-language rights to MNF on ESPN Deportes;
International rights, including distribution of MNF on ESPN International networks in select markets in Brazil, the Caribbean, Africa, Middle East, Israel, Europe and Australia-New Zealand through 2021; regular season, playoffs and Super Bowl in select markets, totaling 30 million households in 144 countries and territories across five continents; and the ability to utilize NFL programming on all platforms as part of a linear stream of ESPN network programming”.

“…in select markets in Brazil” é filme já reprisado à farta na Tela Congelada da Globo.
Desde 1990, a ESPN exibe o MNF na cara dos filhos do Roberto Marinho – eles não tem nome próprio -, do Sílvio Santos, do Adolpho Bloch (que morreu sem ver sua Rede Manchete ir à lona) e do próprio João Saad, cuja Band já tinha paixonite aguda pelas transmissões da NFL. Não à toa, escalou o Luciano do Valle para narrar o Super Bowl daquele ano, com hino nacional brasileiro cantado pela Whitney Houston e tudo mais.
Em 1993, a Band já colocava boletins da NFL em sua grade vespertina para desespero dos editores do jornal nacional da turma do Alberico Souza Cruz (que indicou todos os ministros do [des]governo Collor). Sabe o que aconteceu, prezado leitor???

-A Band escondeu de você os Super Bowls de 1993 a 2008;
-A Globo preferiu fabricar uma versão Bolsa Família do Mike Tyson, o deputado baiano Acelino Popó Freitas;
-O SBT fez Carla Perez sua artista. A ponto de assassinar o idioma de Camões num programinha dominical babaca denominado Fantasia;
-A Record… Essa preferiu contratar o Jerry Springer do Maury Povich do Cadeia da Rede OM do Paraná, um sujeito nominado Ratinho;
-Já a Manchete seguia entubada, rumo à cova, a um passo de entregar seus sinais para o Amilcare Dallevo e o Marcelo de Carvalho, introdutores dos serviços telefônicos 0800 (Você Decide) e o famigerado 0900.

Viu? Não é só a Globo que esconde eventos esportivos do público brasileiro. O resto de suas concorrentes, ao largo dos anos 1990, ao largo de todo (des)governo FHC agiu assim.
E deixou a ESPN norte-americana fazer a festa para poucos assinantes.
Hoje, felizmente, essa atmosfera corresponde a 30 milhões de telespectadores.
Algo como fazer a Faith Hill matar a pauta agonizante do Chantástico(**) da Globo.
Por asfixia.

(*)Na teoria, a Band é dona dos direitos de transmissão do concurso Miss Brasil e de seus concursos estaduais quando, na prática, estes pertencem à Globo (que desde 1990 paga para não transmití-lo). É a mesma coisa que a emissora da famíglia Marinho fez (e ainda faz) com as séries da FOX, como Glee, Bones, Burn Notice e outras (fora as animações)
(**)Combinação da chantagem jornalística do padrão global para dar Ibope e vender jornal e revista com a estética ultrapassada e retrógada do Fantástico, capenga na audiência

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Esportes, Força da Grana, Globelezação, Mondo cane, Monopólio da informação, Poderes ocultos, Podres poderes, Samba de uma nota só e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s