Em poucas palavras: Trump não irá ver a aberração da ‘ponte da ditabranda’ que a Band construiu para o Miss Universo(*) 2011


Fugindo da realidade

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

Reprodução/Beleza Sergipana

https://tvemanalisecriticas.files.wordpress.com/2011/09/projeto252cpalco252cmissuniverso2011.jpg?w=300
Atrás do Andy Cohen das Real Housewives, à direita, a ETEC da Rede Globo São Paulo, doutrinando Marjories Estianos, Luans Santanas e Elliots Stablers do tucanato privatista da Petrobras

https://i0.wp.com/tvbythenumbers.zap2it.com/wp-content/uploads/2011/08/Miss-Universe-2011.pngNa colona(**) de Flávio Ric(c)o no UOL(***):

Trump não vem mais

Um compromisso na Escócia, com altos valores envolvidos, acaba por cancelar a viagem do empresário Donald Trump ao Brasil. Ele vinha para o Miss Universo(*).
Profissionais da Comcast-NBCUniversal disseram na Bandeirantes que ele lamentou muito. Mas negócios são negócios”.

Desculpa esfarrapada. Ou Trump é covarde ou esconde que a organização brasileira do certame (Band-Globo-Enter-Geo-Grupo RBS[*****]) é uma porcaria.
Coisa que este Críticas vem denunciando desde janeiro de 2011.
Para se ter uma ideia, a Enter-Entertainment Experience, empresa formada às pressas pela Band para organizar a esbórnia que se transformou a festa já melada de irregularidades dos 60 anos do concurso Miss Universo(*), teve SEIS meses para cuidar de toda logística do concurso, inclusive com participação de emissoras regionais (Rio, Salvador, Curitiba) e afiliadas (Recife).
Não fez o prometido porque não quis ou porque Johnny Saad é um ogro incompetente.
Sozinho, Saad deixou a turma da Enter se concentrar na Fórmula Indy, nos bois do Amazonas e no Miss Brasil(*) em detrimento da mega-produção que deixou de ser o Miss Universo(*) 2011.
Canais pagos e abertos internacionais como TNT, Venevisión e Televisa compraram banana de feira já murcha, quase podre.
Retrato de uma incompetência escabrosa que vem desde 2003, quando a Band (após consultar a dona Marluce Dias, a Carmela Soprano da Globo) tomou da Rede TV! os direitos de exibição do concurso de Miss Brasil(*) ainda na UTI.
No coma induzido.
Entubado, não vendo a hora da morte.
A negociação do Miss Brasil(*) com a Rede Globo e a gaeta(******), empresa testa-de-ferro de políticos ligados ao governador mineiro Aécio Neves e ao censor-deputado Eduardo Azeredo (ambos do PSDB) vinha desde a privatização da Telebrás, em 1998.
(Não veio antes porque a Marlene Brito do SBT barrou).
Para se ter uma ideia, o cenário do Miss Universo(*) 2011 é uma das maiores aberrações da engenharia tanto civil quanto televisiva.
Merece um Emmy de incompetência técnica dado o seu mau-gosto grotesco e escabroso.
Pura apologia ao monopólio da Globo, que comprou da Talpa (e não da NBCUniversal) o The Voice do Cerra.
Vai se chamar Brazil: A Voz da Destruição do Patrimônio Nacional encomendada pelo Ipea e pelo PSDB.
Brasil com s, nem a pau.
Nem nas bundas das dançarinas dos Avioes do Forró.
Nem no Bones da hagiografia do publisher do Grupo Folha(****), Octavio Frias, pai do Otavinho Ditabranda.
Nem no coque da Emily Deschanel.
Nem na pasta de dente usada pelo David Boreanaz nos intervalos do jornal da band.
A Paola Oliveira, empregada da Globo que vende o sabonete Lux para a Band, que se cuide.
Ponha a cabeleira de molho na mesma água que a Jennifer Hudson usa para manter sua aparência pós-Oscar, pós-American Idol, pós-Super Bowl, pós-funeral do Michael Jackson, pós-parto, pós-Vigilantes do Peso.
Trump fugiu para a Irlanda, Escócia, whatever, porque tem medo da Regina Duarte (vídeo abaixo):

E especialmente dos pobres do Prates (vídeo abaixo):

O link para a grosseeria arquitetônica é este.
Antes que reclamem: o irresponsável por essa aberração cenográfica é o escritório americano Shaffner Stewart, que trabalha para a Miss Universe Organization desde 2003, quando começou o acordo com a NBC/Telemundo.

Fotomontagem/Blog de Márcio Lacerda PB

http://marciolacerdapb.files.wordpress.com/2009/02/torturado.jpg
Ivan Seixas, uma vítima inocente da “ditabranda” apadrinhada por Frias, homenageado com o cenário tosco do concurso Miss Universo(*) 2011: nisso, Andy Cohen e Natalie Morales não prestaram atenção

Reprodução/CMI/Folha da Tarde

https://i0.wp.com/brasil.indymedia.org/images/2009/12/460309.jpg
Guerrelheiro Bacuri, “assassinado” na Folha(****) um dia antes de sua morte oficial: desclassificação de Priscila Machado será “catástrofe” anunciada (basta olhar para o carro destroçado na Via Dutra); para o PIG(*******), será coisa normal

(*)Na teoria, a Band é dona dos direitos de transmissão do concurso Miss Brasil e de seus concursos estaduais quando, na prática, estes pertencem à Globo (que desde 1990 paga para não transmití-lo). É a mesma coisa que a emissora da famíglia Marinho fez (e ainda faz) com as séries da FOX, como Glee, Bones, Burn Notice e outras (fora as animações)
(**)Convém lembrar que colona não tem nada a ver com cólon da Gyselle Soares. Tratam-se de colonistas que, na visão de Paulo Henrique Amorim, “…tratam o Brasil da perspectiva do que imaginam que a Metrópole imaginaria o Brasil. No caso específico de Gaspari, ele trata o Brasil da perspectiva do que imagina que os professores de Harvard pensariam do Brasil e dele…”. Para o Críticas, tratam-se de colonistas sociais que tratam o Brasil como um combinado de Venezuela em termos missológicos com um Sudão em termos econômicos, sociais, de infra-estrutura (vide a campanha que a Globo e a Band fazem contra a Copa de 2014 e as Olimpíadas de Verão de 2016 por causa dos aeroportos) e de educação. Mais: tratam-se de colonistas sociais, calunistas de sites de celebridades, de jornais facistóides e de revistas de entretenimento que jamais reconhecerão Haley Reinhart, James Durbin, Scotty McCreery e Lauren Alaina, finalistas do American Idol em 2011, como promessas da indústria fonográfica. Preferem a Paula Fernandes e a Mariana Rios, namorada do Di do NXZero e empregada da Rede Globo, à Pia Toscano…
(***)UOL é o braço de Internet do Grupo Folha(****) em associação com a Abril-Naspers, que, quando governou a África do Sul, apoiou o regime de apartheid que manteve Nelson Mandela na cadeia por 27 anos. E, durante os 15 anos de governos tucanos em São Paulo, ofereceu assinaturas de suas revistas sem licitação (inclusive livros pornográficos e revistas de mulher pelada) às escolas públicas do Estado.
(****)Folha é o jornal que não se deve deixar a sua tataravó ler porque publica palavrões e mostra sem censura os seios, os pêlos pubianos, a vagina e a bunda da miss Pernambuco 2008, Michelle Fernandes da Costa, em revista masculina publicada a poucos dias de passar a faixa à sua sucessora, em março de 2009. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Cássio Cunha Lima DEPOIS de cassado e pergunta o que ele achou do processo no TSE, da ditabranda, do câncer de Fidel, da ficha falsa da Dilma, das mulheres-fruta, das ancas da cantora Jôsy, do ódio a piauienses encampado pelo Rafinha do Emocore, da Carla Perez lecionando “i” de iscola, da Rayanne Morais “eleita” Miss Brasil 2009 pelo site EGO, ligado à Globo (sócia da mesma Folha no jornal de negócios Valor Econômico), que vestiu FHC com o manto de “bom caráter”, porque levou dezoito anos para reconhecer um filho seu fora do casamento (com uma jornalista empregada da Globo), que mandou a Diane Sawyer da Globo News avacalhar o cantor itainopolense Frank Aguiar por causa de um filme e de uma entrevista sórdida com uma aspirante a aspirante a aspirante de celebridade paulista a uma aprendiz de Oprah do Primetime da Rede TV!, que publicou texto sórdido de um professor de comunicação da USP sobre o Miss Universo 2007, que ainda fala mal do Saulo Roston (vencedor do Ídolos 2009), que matou o senador paulista Romeu Tuma e depois o ressucitou, mandou a Mariska Hargitay falar mal do Piauí e a Tamara Tunie, o Ice-T e o Christopher Meloni bancarem o Sérgio Ricardo quebrando o violão no Festival da Record de 1967 em Law & Order: Special Victims Unit , deixou o elenco de Law & Order: Criminal Intent e o Robin Williams avacalharem o Brasil em seriado da USA Network e programa de entrevista da CBS, é o que é porque o dono é o que é e que, quando a mineira Elaine Parreira Guimarães ficou em quinto lugar no Miss Universo 1971, emprestava os carros de reportagem aos torturadores.
(*****)Não é Rede Brasil Sul e sim Rede Bunda Suja (da Natália Casassola), afiliada global em Santa Catarina que tem entre seus diretores o pai de um dos estupradores juvenis de Florianópolis denunciado pelo Tijoladas do Mosquito e pelo Jornal da Record
(******)gaeta é o modo como a Gaeta Promoções e Eventos deve ser sempre escrita: em minúsculas, para provar o quanto o Brasil é uma sub-Venezuela, um sub-Porto Rico, uma sub-Colômbia (tipo um Whooper Jr.) ou uma Guatemala tamanho-família (tipo esses sanduíches Whooper do Burger King, Sub do Subway, Big Bob, Big Mac e afins) em termos de concursos de misses
(*******)In none serious democracy in the world, conservative, low-quality and even sensationalistic newspapers and only one television network matter as much influence as they do in Brazil. They have become a political party, the PIG (Pro-Coup Press Party). These are their stories

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em American Idol da incompetência missológica brasileira, Nossas Venezuelas, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Em poucas palavras: Trump não irá ver a aberração da ‘ponte da ditabranda’ que a Band construiu para o Miss Universo(*) 2011

  1. Pingback: Há cinco anos, o Brasil sediava o concurso de Miss Universo. E pouco se aprendeu desse legado importante | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s