O que interessa à Globo da Paraíba não é o concurso de Miss Paraíba(*), nem a Mayana Neywa em soap-opera. E sim satanizar governo socialista e fraudar licitação de publicidade oficial


Texto original do site Política PB; as ênfases são do editor deste Críticas

Reprodução/PolíticaPB

https://i0.wp.com/www.politicapb.com.br/ew3press/conteudo/2011/20110612180013/20110612180013_01.jpg
Na foto, o American Idol de 2003

Eduardo Carlos se prepara para “melar” a licitação de publicidade do Governo
Publicado em: 12/06/2011 às 17h57
MANOBRA KAMIKAZE

Em reunião realizada na última quarta-feira (8) com um famoso publicitário paraibano, o empresário Eduardo Carlos, dono do Sistema Paraíba de Comunicação, quis saber quais seriam os pontos falhos do edital de licitação da publicidade, lançado recentemente pela Secom estadual, com o firme propósito de paralisar todo o processo e impedir que o Governo do Estado faça qualquer anúncio de obras e ações em 2011.
Segundo o publicitário, que circula bem em todos os veículos de comunicação, a lógica do empresário é bastante simples: “Ele mostrou muita tranqüilidade em considerar que o Governo não vai divulgar em suas rádios, jornal, portal e TV, portanto ele não tem nada a perder. Ou seja, não divulga com ele, mas também não divulga com ninguém. E para isso é preciso protelar, suspender ou até anular o edital, em caso mais extremo”.
Em litígio com o Governo e a Prefeitura de João Pessoa, o empresário Eduardo Carlos é considerado hoje a maior voz de oposição ao projeto socialista na Paraíba. Informações de bastidores dão conta que ele já teria participado até de uma reunião com o senador Cícero Lucena e o deputado Manoel Júnior para selar uma aliança entre ambos com o único propósito de derrotar o prefeito Luciano Agra em 2012 e o governador Ricardo Coutinho em 2014. Esta reunião foi articulada pelo radialista Maurílio Batista, assessor tanto de Cícero quanto de Manoel Júnior.
De acordo com o publicitário, Eduardo Carlos não especificou os motivos que o levaram a romper com o esquema político do governador Ricardo Coutinho, embora no coletivo girassol todos entendam que o empresário sempre foi aliado de Cássio Cunha Lima, nunca do socialista. As pesquisas do Ibope e o tratamento que José Maranhão desfrutava dentro da empresa são sempre citados pelas cabeças coroadas do socialismo tabajara.
O governador Ricardo Coutinho já chegou a ganhar uma ação na justiça contra a TV Cabo Branco e o jornal da Paraíba, que na campanha de prefeito em 2004 o acusaram de defender o uso de drogas. Na campanha passada, as pesquisas do Ibope até no dia da eleição davam vitória tranqüila do ex-governador José Maranhão. E o resultado das urnas, a história mostrou.

Engrossando o caldo

Para engrossar ainda mais o caldo da desconfiança socialista com o empresário que comanda o poderoso grupo São Braz na Paraíba, ocorreu o episódio do perdão da dívida de R$ 7,5 milhões de impostos da empresa pelo Governo Maranhão, além do uso do hangar do governo pelo avião de Eduardo Carlos e as polpudas verbas publicitárias abocanhadas pelo grupo, bem superiores ao Sistema Correio, o maior conglomerado de comunicação no Estado e tido como partidário do grupo peemedebista durante o processo eleitoral.
Para mostrar que não estava para brincadeira e reafirmando a condição de empresário que não tem medo de cara feia – mesmo sendo esta cara feia a do próprio governador – Eduardo Carlos nem esperou Ricardo Coutinho esquentar a cadeira no Palácio e já foi convocando um time de primeira de jornalistas e radialistas oposicionistas, que cerraram fileiras na campanha de José Maranhão, onde muitos participavam das estratégias mais ferinas, como Gutemberg Cardoso, ou mesmo declaravam o voto na própria coluna, como foi o caso do jornalista Rubens Nóbrega.
Além destes dois pesos pesados da oposição jornalística, Eduardo Carlos escalou Marcelo José, Lenilson Guedes, Maurílio Batista e Nilvan Ferreira, que só de ouvirem o nome do Mago já sentem urticária e soltam o verbo e a pua no lombo do governador. Outro nome que teria sido convidado para integrar esse grupo denominado abertamente de talibãs pelo deputado Manoel Júnior é o do colunista do Correio da Paraíba, Helder Moura, que teria sido convidado pelo empresário, mas sofreu o veto de um político muito chegado ao Sistema Paraíba, que odeia até que se pronuncie o nome deste jornalista.
O publicitário que conversou com Eduardo Carlos disse que ele está obstinado em tentar obstacular qualquer iniciativa dos socialistas na Prefeitura e no Governo, apelando até para seu prestígio na (ex-)toda poderosa Rede Globo. “Prova disso é que ele já emplacou apenas este ano sete matérias negativas contra as duas gestões em rede nacional e não vai parar por aí.
A oposição já está preparando uma grande denúncia que só irá para a Câmara Municipal, Assembléia Legislativa e a bancada federal em Brasília depois da aprovação de Eduardo Carlos. Hoje ele é consultado em tudo e é sua a última palavra em termos de estratégia eleitoral oposicionista”, revelou”.

That’s right: a Rede Paraíba é contra o desenvolvimento da Paraíba.
Contra o Minha Casa Minha Vida.
Contra o programa Luz para Todos.
Contra o ProJovem.
Contra o ProUni.
Contra o Bolsa Família.
Contra o Empreender PB.
Contra o prefeito Luciano Agra.
Contra o programa socialista de Ricardo Coutinho, metido na cama de gato dos Cunha Lima.
De facto, são Ronaldo e Cássio Cunha Lima quem governam a Paraíba.
Coutinho só é governador de direito.
E esse direito, conquistado pelo voto, a Rede Paraíba quer confiscar.
Transformaram os analistas do Correio Debate nas Cheerios do jpb.
Do sorriso de escárnio do daytime da Patrícia Duarte.
Do terror noturno da segunda edição da Edilane Araújo.
Recomenda-se aos repórteres e pauteiros da TV Cabo Branco arrumarem um emprego de maquiadores da Christina Aguilera no The Voice da NBC americana.
Pateticamente, o The Voice é um produto da NBC, comprado junto à Talpa, nova companhia do idealizador do Big Brother.
(Como até as velhinhas do asilo e as pedras da casa dos Jenners sabem, John de Mol vendeu sua Endemol aos espanhois da Telefónica, campeoníssima de reclamações no Procon paulista).
Mas a NBC mandou o Boninho tomar satisfações com a Talpa da Holanda.
Afinal, o The Voice é formato holandês e não americano.
O povo não é bobo.
Abaixo a Rede Globo e suas afiliadas detritos de maré baixíssima.
(No Piauí não tem disso não: a TV Clube de Teresina fica a mais de 300 km da praia mais próxima).
E inclusive a Mayana Neywa, atriz empregada da Globo para atuar em dejetos de ficção de horário nobre destinados a pregar o Golpe e a destruição da Paraíba e do Brasil.
Tal qual já acontece na esfera federal desde 2003.
Não é mesmo Ruben Studdard?

The Salvation Army USA

https://i1.wp.com/blog.salvationarmyusa.org/wp-content/uploads/ruben-studdard-american-idol-2009.jpg
Acima, um telespectador “satisfeito” do jpb

Francisco Cepeda/AgNews

https://i0.wp.com/p2.trrsf.com.br/image/fget/cs/874/1164/0/0/301/401/img.terra.com.br/i/2011/08/30/2004715-1764-rec.JPG
Abaixo, uma roterista de novelas de horror apocalípctico…

Divulgação/FX

https://i1.wp.com/www.tvprime.pt/wp-content/uploads/2011/08/american-horror-story-banner.jpg
…e seu trabalho mais recente destinado ao público infantil

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

(*)Na teoria, a Band é dona dos direitos de transmissão do concurso Miss Brasil e de seus concursos estaduais quando, na prática, estes pertencem à Globo (que desde 1990 paga para não transmití-lo). É a mesma coisa que a emissora da famíglia Marinho fez (e ainda faz) com as séries da FOX, como Glee, Bones, Burn Notice e outras (fora as animações)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em American Horror Story do JPB, Elliot Stabler da direita, Força da Grana, Globelezação, Jóia da coroa, Nossas Venezuelas, Siobhan Magnus do alarmismo da RPC e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s