Só hoje o Meio Norte descobriu que a General Motors é a maior montadora do mundo


Portal citou site das Organizações Globo para emperrar a divulgação da notícia, antecipada seis dias atrás pelo concorrente UOL(*), ligado ao Grupo Folha(**), sócio da Globo no jornal de negócios Valor Econômico

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

Bill Pugliano/Getty Images

https://i2.wp.com/exame.abril.com.br/assets/pictures/18470/size_590_gm-revenda-eua-nova.jpg
Na foto, o pátio americano da Canadá Veículos, conssecionária GM em Teresina

Primeiro, vamos à notícia dada pelo Carsale na última quinta-feira (5):

GM volta a ser a marca mais vendida no mundo
Fabricante norte-americana supera rival Toyota no ranking global
05/08/2011

Carsale – Com ajuda do tsunami que atingiu o Japão em março, a GM volta a ser a marca de automóveis mais vendida do mundo, de acordo com o jornal norte-americano The Detroit News. Foram 4.536.000 unidades emplacadas pela GM desde o início do ano até 30 de junho, ante 3.710.000 da Toyota, a terceira colocada na lista das vendas globais. A marca japonesa sofreu uma queda acentuada de 23% no total de unidades negociadas.
O segundo lugar passou a ser ocupado pela Volkswagen, com 4.130.000 unidades, mostrando certo vigor rumo ao grande objetivo de se tornar a marca mais vendida no mundo até 2018. Apesar da Toyota planejar uma forte recuperação a partir de setembro, não deverá ser o suficiente para deixar o terceiro lugar no ranking, já que será preciso não apenas aumentar a produção, mas vender todo o volume extra produzido e pode não haver tempo hábil para isso até o fim de 2011″.

Note, caro leitor, que o portal Meio Norte escondeu propositalmente essa notícia durante cinco dias até resolver publicar a notícia extraída do site da revista Auto Esporte, também ligada à Globo. Em respeito à inteligência do leitor deste Críticas, não iríamos publicá-la. Mas, atentem bem para a prática criminosa da esfera global:

A GM está de volta ao topo do mundo. Segundo relatório divulgado neste final de semana pela agência Bloomberg, o grupo automotivo foi o que mais vendeu carros durante o primeiro semestre deste ano, superando Volkswagen e Toyota“.

Atentem bem, senhores: a Auto Esporte trabalhou com nota da Bloomberg, que na certa deve ser uma das poucas clientes da Globo e de suas empresas-satélite espalhadas Brasil afora (entre elas, a Rede Diário, que promove o concurso de Miss Ceará[***], cedido pela TV Verdes Mares).
Globo e Bloomberg tem ligações umbilicais desde o (des)governo FHC.
Patrocinaram a privatização em massa na telefonia, na energia elétrica, no setor de saneamento e na educação, a começar das universidades federais.
A Globo e a Bloomberg patrocinam a suposta “crise” que o Brasil estaria atravessando.
Não há crise nenhuma no Brasil, a não ser no comportamento suspeito das mentes criminosas de algumas lideranças tucanas.
José Serra.
FHC.
Nayla Micherif.
Boanerges Gaeta Jr.
Eduardo Jorge.
Ricardo Teixeira.
Andrés Sanchez.
Essa escumalha toda.
Johnny Saad.
Os roteiristas do Detroit 1-8-7-1-7-1 do Jornal da Band.
Os comediantes do Chelsea Lately travestidos de editores do jornal nacional.
A Ciara Carvalho travestida da dentuça da Heather McDonald.
O David Zylberstaijn.
Os lobistas do falecido ministro Paulo Renato Souza no grupo Prisa, na Rede Globo, na Editora Abril, na Scipione, no Estadão
Quem fabrica cenário de inflação em alta no Brasil de hoje é débil mental desses que apareciam no Mentes em Choque, versão piorada da FOX colombiana para Mental, da matriz norte-americana do canal.
O Fábio Pannunzio.
A Miriam Leitão.
O Boris Casoy.
A Ticiana Villas Boas.
O Ricardo Boechat.
O Joelmir Betting.
O Fernando Mitre.
Mitre e Nayla Micherif deveriam se associar ao Ryan Seacrest para comprar a combalida TV Cultura de São Paulo.
A Cultura, em lugar dos telecursos, passaria as maluquices da Kris Jenner e os conselhos chatos do Bruce Jenner às filhas adolescentes.
E, em lugar da Inezita Barroso (lenda), passaria a colocar clipes das bandas pop vocais femininas apadrinhadas pelo Robinho Kardashian.
No lugar dos debates do Jornal da Cultura e do Roda Morta, botaria a Laurieann Gibson para falar de inflação, lutadores de sumô pelados em revista feminina (padrão Cosmopolitan/Nova), ex-BBB’s mais afogadas em processos criminais e cíveis que o porralouca do Pete Doherty.
(Não é o caso da Gyselle Soares, nem da Grazi, nem da Siri, todas inocentes e com ficha mais limpa que banheiro de rodoviária).
No lugar do Café Filosófico, botaria a Denise Richards para falar de sexo, casamento fracassado e etc.
Tudo isso numa emissora pública, parcialmente paga com o bolso do contribuinte paulista.
Só leia a notícia do Portal MN se tiver estômago para isso.
Desde a quinta-feira, o reino mineral de Michael C. Hall sabe que a GM é a maior montadora do mundo.
Só o Meio Norte e a Globo não reconheceram de imediato.
Porque se amamentam da Bloomberg.
O Seacrest também sabe disso.
O coveiro da pauta do Bocão da TV Itapoan da Bahia também.
A Jennifer Hudson também.
O Kid Rock também.
O elenco desempregado do Detroit 1-8-7 também.
O Michael Imperioli da Família Soprano idem.
A Kyra Segdwick também.

(*)UOL é o braço de Internet do Grupo Folha(**) em associação com a Abril-Naspers, que, quando governou a África do Sul, apoiou o regime de apartheid que manteve Nelson Mandela na cadeia por 27 anos. E, durante os 15 anos de governos tucanos em São Paulo, ofereceu assinaturas de suas revistas sem licitação (inclusive livros pornográficos e revistas de mulher pelada) às escolas públicas do Estado.
(**)Folha é o jornal que não se deve deixar a sua tataravó ler porque publica palavrões e mostra sem censura os seios, os pêlos pubianos, a vagina e a bunda da miss Pernambuco 2008, Michelle Fernandes da Costa, em revista masculina publicada a poucos dias de passar a faixa à sua sucessora, em março de 2009. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista o então governador da Paraíba Cássio Cunha Lima DEPOIS de cassado e pergunta o que ele achou do processo no TSE, da ditabranda, do câncer de Fidel, da ficha falsa da Dilma, das mulheres-fruta, das ancas da cantora Jôsy, do ódio a piauienses encampado pelo Rafinha do Emocore, da Carla Perez lecionando “i” de iscola, da Rayanne Morais “eleita” Miss Brasil 2009 pelo site EGO, ligado à Globo (sócia da mesma Folha no jornal de negócios Valor Econômico), que vestiu FHC com o manto de “bom caráter”, porque levou dezoito anos para reconhecer um filho seu fora do casamento (com uma jornalista empregada da Globo), que mandou a Diane Sawyer da Globo News avacalhar o cantor itainopolense Frank Aguiar por causa de um filme e de uma entrevista sórdida com uma aspirante a aspirante a aspirante de celebridade paulista a uma aprendiz de Oprah do Primetime da Rede TV!, que publicou texto sórdido de um professor de comunicação da USP sobre o Miss Universo 2007, que ainda fala mal do Saulo Roston (vencedor do Ídolos 2009), que matou o senador paulista Romeu Tuma e depois o ressucitou, mandou a Mariska Hargitay falar mal do Piauí e a Tamara Tunie, o Ice-T e o Christopher Meloni bancarem o Sérgio Ricardo quebrando o violão no Festival da Record de 1967 em Law & Order: Special Victims Unit , deixou o elenco de Law & Order: Criminal Intent e o Robin Williams avacalharem o Brasil em seriado da USA Network e programa de entrevista da CBS, é o que é porque o dono é o que é e que, quando a mineira Elaine Parreira Guimarães ficou em quinto lugar no Miss Universo 1971, emprestava os carros de reportagem aos torturadores.
(***)Na teoria, a Band é dona dos direitos de transmissão do concurso Miss Brasil quando, na prática, estes pertencem à Globo (que desde 1990 paga para não transmití-lo). É a mesma coisa que a emissora da famíglia Marinho fez (e ainda faz) com as séries da FOX, como Glee, Bones, Burn Notice e outras (fora as animações)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Axé-besteirol, Ética jornalística, Economês, Imprensa monopolista, Mondo cane e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s