Juntando as provas da corrupção tucana nos concursos de misses


“Eu não tenho escrúpulo. O que é bom, a gente fatura, o que é ruim, a gente esconde”

(Rubens Ricúpero, na fatídica entrevista ao jornal da globo captada por parabólicas às portas da eleição presidencial de 1994, na qual Fernando Henrique Cardoso, apoiado pela Rede Globo, se elegeu no primeiro turno[***] – serve também para a Band, a gaeta[**] promoçõe$ e evento$ e seus franqueados estaduais no pseudo-concurso Miss Brasil[*], financiado por anunciantes e agências ligados ao projeto neo-liberal e privatizante do PSDB que atinge Petrobrás, Correios, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Banco da Amazônia, Eletrobrás, Furnas, Chesf, Cepisa, Eletrosul e universidades federais e para o boicote da mídia aliada da Globo a Lauren Alaina, James Durbin, Haley Reinhart e Scotty McCreery, finalistas da décima temporada do American Idol, em favor da farsa que se desenhará logo mais no concurso [?] Miss Minas Gerais, que a Band vai passar em cima do topete do Ryan Seacrest, para impedí-lo de anunciar os três finalistas da competição musical da FOX americana, cá exibida pelo canal pago Sony)

Após calar blogueiro, governador Beto Richa libera verba pública para compra de votos em favor da miss Paraná Gabriela Pereira, que irá disputar em julho o título de Miss Brasil 2011

Da redação TV em Analise

Divulgação/BMW Eventos

https://i0.wp.com/maringa.odiario.com/blogs/1390khz/files/2011/03/03-GOVERNADOR-MISS-PR-01-263x300.jpg
Gabriela Pereira e o aliado de Serra e FHC no Paraná

A partir de hoje, num verdadeiro esforço de reportagem, o TV em Análise Críticas começa a juntar as evidências do envolvimento de militantes e políticos do PSDB, DEM, PPS e PSD (inclusive governadores de Estado e prefeitos) com a máfia que frauda resultados do concurso Miss Brasil-Miss Universo. Hoje, começamos a série com uma visita suspeita da miss Paraná, Gabriela Pereira, ao Palácio das Araucárias, onde foi recebida pelo censor-mor do Estado, o governador Beto Richa, eleito com o apoio da RPC TV (afiliada da Globo que, no Miss Brasil[*] 2010, apoiara a candidatura fracassada de Marylia Bernardt ao título de Miss Universo).
Vários são os veículos de comunicação no Paraná que recebem verbas do governo Richa, que, por vias judiciais, mantém sob censura o blog do jornalista Esmael Morais, que vem investigando irregularidades em sua administração, denunciando o uso de caixa 2 para a sua campanha para reeleição á Prefeitura de Curitiba em 2008 e o aluguel de helicópteros, sem licitação, por um período de três meses.
Richa, que já censurara pesquisas de intenção de voto para governador realizadas pelo Ibope, Datafolha e Vox Populi, investiu contra reportagens em portais de notícias, revistas e jornais. Agora, com a liberação de R$ 350 mil a título de “promoção cultural” sem licitação, Once and Again, para apoiar a candidatura de Gabriela ao título de Miss Brasil(*) feita nas trevas, nas coxas, resta saber a quem mais o filho do falecido ex-governador José Richa (que ocupou assento no governo paranaense entre 1983 e 1987) vai censurar.
A este Críticas é que não será.

(*)Na teoria, a Band é dona dos direitos de transmissão do concurso Miss Brasil e de seus concursos estaduais quando, na prática, estes pertencem à Globo (que desde 1990 paga para não transmití-lo). É a mesma coisa que a emissora da famíglia Marinho fez (e ainda faz) com as séries da FOX, como Glee, Bones, Burn Notice e outras (fora as animações)
(**)gaeta é o modo como a Gaeta Promoções e Eventos deve ser sempre escrita: em minúsculas, para provar o quanto o Brasil é uma sub-Venezuela, um sub-Porto Rico, uma sub-Colômbia (tipo um Whooper Jr.) ou uma Guatemala tamanho-família (tipo esses sanduíches Whooper do Burger King, Sub do Subway, Big Bob, Big Mac e afins) em termos de concursos de misses
(***)In: BORGES, Altamiro, A Ditadura da Mídia. São Paulo: Anita Garibaldi/Associação Vermelho, 2009

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Corrupção na mídia, Corrupção nos concursos de beleza, Força da Grana, Nossas Venezuelas, Projetos especiais e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s