Crítica? Que crítica?


Resposta àqueles que nos chamam de assassinos de reputações. Especialmente Lunus Itagiba

Divulgação/Playboy

https://i1.wp.com/www.abril.com.br/imagem/album_iris_playboy_12g.jpg
Não matei Maria Antonieta

No Revista Que Amamos:

“Íris Stefanelli também conseguiu esquivar-se do temido ostracismo. Junto com Diego Alemão e Fani Pacheco, foi protagonista de um triângulo amoroso no BBB7. Estereótipo de caipira, Íris conquistou fãs ensandecidos com seu comportamento puritano e jeitinho meigo. Fora do programa, seguiu o exemplo de Grazi ao negociar com a PLAYBOY: só disse sim quando o cachê oferecido atingiu uma generosa cifra, e para a edição de aniversário. Antes disso, foi convidada para apresentar o TV Fama, da RedeTV. Massacrada pela crítica (quem? – J.E.L.), tentou aperfeiçoar-se na tarefa e livrar-se do forte sotaque, sem progresso”.

Que críticas fizemos neste blog à Íris Stefanelli que não fossem as que já fizemos?
Onde foi que massacrei a Siri? Me respondam!
Desde que entendo por Íris a.k.a. “Siri”, nunca massacrei-a profissionalmente. Apenas fiz a minha obrigação como crítico de TV e de entretenimento: apontar seus defeitos na TV (que alem de não serem poucos, eram grosseiros e consituíam [e ainda consituem] um verdadeiro homicídio à gramática e à língua portuguesa).
Sejamos claros: não conheço Íris “Siri” Stefanelli in persona.
Mas sua agente deve saber que as críticas deste editor, construtivas ou não, servirão para o crescimento profissional da ex-sister incrustada na revista de fofocas da concorrente.
Vou ser honesto: massacre contra a Siri não foi eu quem fiz. Perguntem aos jornalistas da Veja, da Contigo!, da Caras e bella compagna.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Água oxigenada, Ética jornalística, Brothers & Sisters, Divas, Egos da mídia, Personalidades e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s