Começo de semana: cubra-se de vergonha, Nayla Micherif


Divulgação

A desclassificação de Lilian Lopes nas semi-finais do concurso Miss Beleza Internacional 2010 é a mostra bem clara de que a gaeta(*) não tem mais futuro nenhum no ramo dos concursos de beleza no Brasil. Jogar fora seis meses de preparação em nome de uma briguinha paroquial por direitos de televisão foi o fundo do poço para uma firma que dizia ser competente para, supostamente, eleger as melhores candidatas para as disputas internacionais. Fabricaram um verdadeiro lixo humano, amontoado em cirurgias plásticas.
Um simplesinho prêmio de traje típico não resolve a coisa nem adianta de nada: fazer o traje é bem diferente de colocar candidata que preste para um certame do naipe do Miss Beleza Internacional. Lilian Lopes saiu do lúmpen de candidatas estaduais eleitas para o Miss Brasil 2010. E, certamente, estava no meio desse lixo. Bem feito.
A empresária Nayla Micherif precisa se sentar no divã e aprender a ter vergonha do papel que exerceu (ou fez de conta que exerceu) como coordenadora da franquia brasileira do concurso Miss Universo a.k.a. diretora administrativa (irresponsável) dessa escória denominada gaeta(*) promoções e eventos. Em letras minúsculas mesmo, para provar que a Julia Roberts estava certíssima na conversa com a Patrícia Poeta no Chantástico(**): não interessa o Miss Brasil e sim a bunda da Lia Khey, da Natália Casassola, a vagina da Michelle Fernandes (enquanto reina como Miss Pernambuco 2008), et caterva.
Nayla precisa se mancar que o Brasil não é as Filipinas muito menos a Venezuela em termos de competência missologica e de profissionalismo. Na sua gestão, pelo contrário, Nayla e seu parceiro no crime (eleitoral) Boanerges Gaeta Jr. jogaram o país no estorvo das pontuações do site especializado GlobalBeauties. Se já não valíamos porcaria nenhuma no Miss Universo, no Miss Beleza Internacional a coisa ficou no mezzotermo entre o Brasil Urgente, a gritaria da Siobhan Magnus do American Idol camuflada em um editorial sórdido de O Globo sobre o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e o embrulho de peixe que fede. Aliás, a preparação da gaeta(*) fede mais que o embrulho descrito pelo jornalista Marco Antônio Araújo sobre as porcarias do jornal da famíglia Marinho (cuja TV aberta faz de conta que tem interesse em transmitir concurso de Miss Brasil na embalagem do Big Brother da Julie Chen[***] da caravana jn).
Deveria isso sim, cubrir-se de sua própria vergonha em ser ex-Miss Brasil aventureira em coordenar o certame no qual concorreu. E se envergonhar também das empulhações que fizeram o Miss Brasil da era gaeta(*) ir literalmente para a lata do lixo. A Band e a Rede TV! endossam o que digo.
O Brasil é o país das modelos mais exuberantes do planeta, já disse a Tyra Banks. E, ao mesmo tempo, exporta para os concursos internacionais de beleza as misses mais medíocres, medianas e mal-preparadas que produz. A Miss Brasil que foi para o Miss Universo é da gaeta(*). A que foi para o Miss Beleza Internacional também. Publicamente, Nayla e Gaeta nunca se orgulharam de suas misses. Pelo contrário: trataram-nas como modelos de segunda classe, impróprias para as grandes campanhas publicitárias do mass-media brasiliensis. Uma vara de porcos no meio de angels tipo Ambrósio, Lima, Fontana et caterva e übermodels tipo Bündchen. Traduzindo: em nível de misses, estamos muito abaixo da Gâmbia ou de Antígua e Barbuda, por exemplo. A tzarina(****) Nayla que se lixe e se cubra de vergonha. E fique sozinha no seu mundinho pré-fabricado de enganações e mentiras, como sempre sonhou.

(*)gaeta é o modo como a Gaeta Promoções e Eventos deve ser sempre escrita: em minúsculas, para provar o quanto o Brasil é uma sub-Venezuela, um sub-Porto Rico, uma sub-Colômbia (tipo um Whooper Jr.) ou uma Guatemala tamanho-família (tipo esses sanduíches Whooper do Burger King, Sub do Subway, Big Bob, Big Mac e afins) em termos de concursos de misses
(**)Combinação da chantagem jornalística do padrão global para dar Ibope e vender jornal e revista com a estética ultrapassada e retrógada do Fantástico, capenga na audiência
(***)Em 2006, Pedro Bial estava no interior do Maranhão fazendo reportagens para o jn quando Geraldo Alckmin se valeu da presença do apresentador do BB na região para gravar externas para seu programa partidário. No fundo, Bial estava fazendo, digamos, “panfletagem” político-partidária travestida de matéria jornalística. Queria, com isso, mostrar que o Maranhão é o Haiti missológico brasileiro (Atirou no próprio pé: hoje, o concurso de Miss Maranhão-Universo é patrocinado pela Rede Mirante, afiliada da famíglia Marinho no Estado)
(****)Como o líder russo, Nayla Micherif conseguiu, com a eleição da capixaba Débora Lyra como Miss Brasil 2010, transformar Minas Gerais (e o país) numa Rússia missológica: sem oposição, sem vozes divergentes e com uma mídia curvada a seus pés, doa a quem doer. Quem discordar, pode pagar até com a própria vida. E foi o que aconteceu com a jornalista Anna Politovskaya, assassinada em outubro de 2006, por suas reportagens abordando as atrocidades da Segunda Guerra da Chechênia. Esse é o preço que se paga pela liberdade de expressão em países supostamente sérios como o nosso (por mais leis ficha-limpa que se aprovem nas nossas casas legislativas). Clique aqui para entender o que o Putin da Rússia tem a ver com os Putins da gaeta(*)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Nikita da desgraça missológica brasileira, Nossas Venezuelas, Olivia Benson do tucanato da UDR, Poderes ocultos, Podres poderes, Realidade brasileira, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s