A capa e as primeiras fotos de divulgação de Clara Aguilar na Sexy de novembro de 2014


Ensaio comemorativo de 22 anos da publicação chega às bancas na segunda-feira (3/11)

Fotos Terry Richardson/Revista Sexy/Divulgação

““Na cama sou meio escandalosa. Minha vizinha é minha amiga e já me falou: ‘Clara, o que você faz (risos)?'”

Publicado em Divas, Reality-shows, Revistas | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

PHA: Como a Veja surrupiou oito pontos da Dilma em SP


O jornal nacional conferiu veracidade ao que o eleitor tinha visto nas redes sociais

Paulo Henrique Amorim
Do Conversa Afiada

Bessinha

A situação da Dilma não era boa na cidade de São Paulo.
Mas, como observa o prefeito Haddad, o resultado não precisava ser tão ruim: poderia ser parecido com o de 2010.
E, como diziam a Vox e o DataCaf, ela, nacionalmente, poderia ter uma vantagem de um a três pontos percentuais a mais.
O que aconteceu ?
O que aconteceu na cidade de São Paulo reflete, em maior escala, talvez, o que pode ter acontecido pelo Brasil afora.
O ambiente político na cidade de São Paulo estava, em 2014, muito mais radicalizado.
Os blocos PT e PSDB se fecharam, digamos assim, em fortalezas muito mais “concretados”, impermeáveis.
Havia um grupo de oito a dez pontos percentuais que podia ir pra lá como prá cá.
Um grupo que não rejeitava os dois candidatos e não tinha se decidido.
Aí, pesavam contra a Dilma dois pontos: a “corrupção” e o temor de que ela fosse capaz de dar o salto na Economia.
Uma semana antes da eleição, porém, do debate da Record em diante, ela subiu, cresceu nesse grupo indeciso.
Porque ela pode ser mais programática e o eleitor desconfiou não do que o Aécio Never falava, mas do que não falava.
Quer dizer, do programa que não apresentava.
Ela pode ter conseguido, entre segunda e terça da semana da eleição, algo entre nove e dez pontos desse grupo.
Aí, saiu a Veja na quinta à noite, nas redes sociais.
Logo em seguida, o boato de que o doleiro tinha sido envenenado, que partiu de deputado da bancada de Beto Richa, na Assembleia do Paraná.
O impacto da Veja começou a ser relevante nas redes sociais.
E se consolidou com a matéria do jornal nacional.
De quinta a domingo, Dilma perdeu oito pontos em São Paulo.
Votos que não tinham ido para ele, e foram.
Foi um impacto brutal – oito pontos – não pelos oito pontos, em si.
Mas, porque eram oito pontos decisivos.
O eleitor da Dilma sabia das denúncias de corrupção, mas votava nela apesar disso.
Mas, os indecisos, não.
Aí, para esses, a denúncia de Veja se tornou realidade no jornal nacional e nas redes sociais.
A penetração pelas redes sociais não foi só dos setores médios e pra cima.
Mas, na Classe C e na base da pirâmide de renda também.
Mas, aí, há uma diferença.
A informação que o leitor recebe na rede social está na fase do “pode ser ou não ser”, porque não houve tempo ainda de ele formar aquele núcleo de sites em que confia.
O jornal nacional, não, o jornal nacional “oficializou a verdade”.
A desconfiança em relação à Globo é altíssima.
O eleitor sabe que a Globo tem lado – é contra a Dilma e o Lula.
Ele sabe de tudo isso.
Mas, isso não significa que o jornal não noticie algumas verdades.
E aquilo que ele viu nas redes sociais pareceu verdadeiro.
E, quando o jornal nacional mostrou, a reação foi: “eu sei que o Bonner é contra a Dilma, mas isso aí é verdade” – pensou a maioria absoluta dos indecisos na cidade de São Paulo.
O jornal nacional não tem credibilidade, mas a corrupção na Petrobrás e a seca em São Paulo – isso fato, é notícia, é verdade …
As redes sociais – aí incluídos os blogs – tiveram muita relevância em 2010, 2014 – é o que demonstra a audiência record do Conversa Afiada – e vão ter mais ainda.
Por enquanto, além de noticiar, os blogs e as redes sociais tem o papel de confirmar o que o navegante já acha.
É uma câmara de eco, um espelho – está vendo ? eu sabia …
O blog é um reforço.
Mas, em 2014, em São Paulo, o blog operou num espaço muito apertado, porque o eleitor já se tinha definido e não queria ouvir o outro lado.
E os indecisos eram poucos.
Qual é a saída?
Processar a Veja, como fez a Dilma, e os criminosos que operaram com ela, como demonstra o Globo, na Carta Capital.
Outra saída óbvia é tirar poder da Globo – e viva a Ley de Medios que a Dilma anunciou ontem (28/10).
E criar alternativa à Globo.
Na televisão e/ou nas redes sociais.
(Essas observações foram extraídas de longa conversa com quem trabalha com o eleitor de São Paulo há muito tempo).

Publicado em Globelezação, Imprensa, Poderes ocultos, Podres poderes | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

Assunto da semana: As primeiras contas do outono 2014 da Nielsen Ratings


A mensuração dos números iniciais da fall season americana 2014

Craig Blankenhorn/CBS/Divulgação

Depois de 22 noites de estreias, a primeira porção da temporada televisiva americana 2014-2015, chamada de fall-season, revelou uma constatação: três dos quatro novos dramas que a CBS emplacou para terem temporadas completas conseguiram se converter em verdadeiros êxitos de público. Mas, e de crítica? Nada. A exceção fica para os “crimes” cometidos por Madam Secretary e Scorpion que, a exemplo da Casa dos Artistas do SBT, derrotaram o Fantástico da Globo, no caso, o Sunday Night Football e The Voice, da NBC.

Quantrell Colbert/NBC/Divulgação/11.05.2014

Nos lados da NBC, aliás, coisa boa não deve vir a julgar pela recepção fria que Constantine, estrelada por Matt Ryan, teve ao encarar a coça de um jogo da World Series do beisebol da MLB entre San Francisco Giants e Kansas City Royals. Registrar 4,3 milhões de telespectadores, para os padrões rígidos da CBS, seria uma humilhação. Humilhação essa que a própria emissora já provou na temporada retrasada, ao colocar outro fracasso nas noites de sexta-feira, Made in Jersey, apeada após três episódios. Essa é a lição a se aprender.

Jack Rowand/The CW/Divulgação/15.05.2014

Na The CW, a estreia de The Flash impressionou pelo número estratosférico de 4,5 milhões de telespectadores – prova de que a emissora acerta em cheio ao explorar as propriedades da DC Comics, ligada à Warner Bros, empresa parenta da rede ao lado da CBS e da Tribune. Foi coisa para comprometer a sobrevida das comédias novatas da ABC Selfie (ainda na corda-bamba) e Manhattan Love Story (passada à faca após quatro episódios). Mesmo expediente a FOX usa em Gotham, porém sem o mesmo sucesso.

Paul Drinkwater/NBC/Divulgação/16.10.2014

Ainda não dá para mensurar as duas noites restantes de estreias da CBS – segunda-feira (27) e quinta-feira (30). Mas o compêndio inicial de números aponta para uma hegemonia contínua da emissora em total de telespectadores, de acordo com o dia útil (domingo a sexta-feira). Porém, na disputa ponto a ponto entre telespectadores na faixa de 18 a 49 anos, realities como The Voice e Shark Tank contribuem para desequilibrar o domínio. Nos Estados Unidos, a concorrência de TV aberta e canais pagos agradecem. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (2/11)

Publicado em Coluna da Semana, Numb3rs, Séries | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

EXCLUSIVO: Sai 22ª avaliação parcial do Críticas para o concurso Miss Universo 2014


*Certames de cinco países decidem futuro de candidatas no Trump Card e top 15 não sofre mudanças em relação à rodada anterior
*Candidata da Índia se aproxima das 20 primeiras colocações e Guiana deve seguir sina de desclassificações
*Eslovênia, Espanha e Guam tem chances remotas de emplacar semifinalistas; Bélgica substitui candidata e se dá mal

Da redação TV em Análise

Reprodução/Facebook/Miss Diva India/14.10.2014


Noyonita Lodh: indiana ‘encosta’ no grupo das 20 primeiras

A rodada de concursos nacionais realizada entre os dias 14 e 28 de outubro não produziu mudanças no quadro das 15 favoritas ao título de Miss Universo 2014, mas fez com que ao menos uma candidata, a indiana Noyonita Lodh, entrasse na zona do Trump Card – espaço reservado para que a Miss Universe Organization escolha parte das 15 semifinalistas preliminares. Na 22ª rodada de avaliações parciais que o TV em Análise Críticas divulga com vistas ao certame, Lodh aparece na 21ª colocação.
Mais atrás, na 27ª colocação, aparece a eslovena Urska Bracko. A espanhola Desiré Cordero, embora favorecida com uma nota 10 em traje de banho, foi prejudicada no quesito de aparições de mídia e está na 28ª colocação. Um pouco atrás, a guamense Brittany Bell ocupa a 31ª colocação, com chances ainda mais remotas de classificação, a despeito do histórico de duas classificações (incluindo um segundo lugar em 1982). Substituta de Laurence Langen para representar a Bélgica, Anissa Blondin ocupa a 39ª colocação e tem chances muito remotas de classificação via Trump Card.
Eleita para representar a Guiana na disputa no domingo (26), Niketa Barker ocupa a 43ª colocação nesta rodada e tem chances praticamente nulas de classificação, a começar do histórico no Miss Universo. Em 20 participações no certame (1956, 1958, 1963-1966, 1988-1989, 1999, 2002-2007, 2009-2013), o país sul-americano jamais emplacou uma candidata entre as semifinalistas. E talvez nem deva emplacar. Abaixo, a relação das notas, em ordem decrescente, das 85 candidatas nacionais já confirmadas para a 63ª edição do concurso Miss Universo, marcada para o dia 25 de janeiro, em Miami:

NOTAS DAS CANDIDATAS EM ORDEM DECRESCENTE
Foram consideradas as notas dos quesitos de traje de banho e traje de gala, além das aparições em noticiários
Candidata Traje de Banho Traje de Gala Aparições de Mídia Média Geral
Tegan Martin (AUS) 9,991 10 9,854 9,948
Mary Jean Lastimosa (PHI) 10 10 9,836 9,945
Melissa Gurgel (BRA) 10 9,950 9,865 9,938
Josselyn Garciglia (MEX) 9,983 10 9,831 9,938
Gabriela Berrios (PUR) 10 9,973 9,832 9,935
Bea Toivonen (FIN) 10 9,831 9,975 9,935
Nadine Stroitz (AUT) 9,985 9,877 9,938 9,933
Laurien Angelista (CUR) 10 9,895 9,899 9,931
Sally Greige (LIB) 10 9,953 9,836 9,929
Gabriela Franková (CZE) 10 9,995 9,789 9,928
Yasmin Verheijen (NED) 9,973 9,997 9,783 9,917
Silvia Prochádzková (SVK) 10 9,985 9,755 9,913
Nia Sanchez (USA) 9,951 9,985 9,797 9,911
Johanna Riva (URU) 10 9,952 9,780 9,910
Sally Jara (PAR) 10 9,995 9,734 9,909
Migbelis Castellanos (VEN) 10 10 9,725 9,908
Magalie Nguema (GAB) 9,980 9,952 9,792 9,908
Kimberly Castillo (DOM) 10 9,967 9,756 9,907
Yomatzy Hazlewood (PAN) 10 9,967 9,754 9,907
Marcela Chmielowska (POL) 9,989 9,951 9,778 9,906
Noyonita Lodh (IND) 9,984 9,951 9,784 9,906
Dilan Çiçek Deniz (TUR) 9,897 9,835 9,969 9,900
Paulina Vega (COL) 10 9,970 9,727 9,899
Claudia Tavel (BOL) 9,989 9,975 9,727 9,897
Sharr Htut Eaindra (MYA) 10 9,958 9,732 9,896
Zuleica Wilson (ANG) 9,899 10 9,790 9,896
Urska Bracko (SLO) 9,995 10 9,681 9,892
Desiré Cordero (ESP) 10 9,951 9,723 9,891
Henrietta Kalemen (HUN) 9,953 9,974 9,734 9,887
Sabrina Bennett (MAS) 9,952 9,833 9,850 9,878
Brittany Bell (GUM) 9,968 9,899 9,755 9,874
Tomacina Culmer (BAH) 9,958 9,936 9,730 9,874
Camilla Hansson (SWE) 10 9,985 9,635 9,873
Artnesa Krasniqi (KOS) 9,985 9,967 9,658 9,870
Ana Luisa Montufar (GUA) 9,985 9,983 9,641 9,869
Pallavi Gungaram (MRI) 10 9,753 9,853 9,868
Doron Matalon (ISR) 10 10 9,589 9,863
Ye-Bin Yoo (KOR) 9,984 9,883 9,711 9,859
Anissa Blondin (BEL) 10 9,835 9,739 9,858
Yulia Alipova (RUS) 10 9,920 9,644 9,854
Elise Dalby (NOR) 9,985 9,854 9,719 9,852
Elvira Devinamira (INA) 9,581 9,970 9,995 9,848
Niketa Barker (GUY) 9,987 9,895 9,659 9,847
Karina Ramos (CRC) 9,804 9,835 9,899 9,846
Digene Zimmerman (ARU) 10 9,954 9,580 9,844
Valentina Ferrer (ARG) 9,961 9,831 9,738 9,843
Alejandra Argudo (ECU) 9,970 9,861 9,679 9,836
Nora Xu (CHN) 9,977 9,854 9,653 9,828
Josefin Donat (GER) 9,951 9,899 9,634 9,828
Ivana Misura (CRO) 9,850 9,950 9,680 9,826
Rathi Menon (SIN) 9,953 9,853 9,659 9,821
Jennifer Yéo (CIV) 9,894 9,863 9,691 9,816
Andjelka Tomasevic (SER) 10 9,780 9,651 9,810
Jevon King (TTO) 9,991 9,763 9,648 9,800
Lisa Madden (IRL) 9,855 9,789 9,735 9,793
Avanti Marianne (SRI) 9,895 9,835 9,638 9,789
Kaci Fennell (JAM) 9,838 9,878 9,653 9,789
Abena Appiah (GHA) 9,834 9,835 9,697 9,788
Anna Andres (UKR) 9,985 9,834 9,540 9,786
Zhibek Nukeeva (KGZ) 9,853 9,727 9,775 9,785
Rachel Millns (NZL) 9,855 9,831 9,654 9,780
Rolene Strauss (RSA) 9,968 9,737 9,633 9,779
Roxanne Nicholas (LCA) 9,859 9,854 9,625 9,779
Gabriela Ordoñez (HON) 9,767 9,853 9,697 9,772
Patricija Belousova (LTU) 9,954 9,735 9,625 9,771
Aurore Mutesi (RWA) 9,865 9,851 9,584 9,766
Grace Levy (GBR) 9,934 9,715 9,640 9,763
Marline Barberena (NIC) 9,890 9,731 9,661 9,760
Xhaneta Byberi (ALB) 9,895 9,719 9,654 9,756
Rosanna Chichester (IVB) 9,654 9,732 9,879 9,755
Queen Celestine (NGR) 9,853 9,789 9,614 9,752
Jimena Espinoza (PER) 9,893 9,627 9,730 9,750
Chanel Beckenlehner (CAN) 9,715 9,804 9,730 9,749
Shanice Williams (TCA) 9,750 9,814 9,680 9,748
Keiko Tsuji (JPN) 9,730 9,860 9,655 9,748
Pimbongkod Chankaew (THA) 9,843 9,758 9,639 9,746
Elisa Georgiou (CYP) 9,877 9,840 9,519 9,745
Patricia Murillo (ESA) 9,976 9,653 9,584 9,737
Patrícia da Silva (POR) 9,840 9,733 9,595 9,722
Ismini Dafopolou (GRE) 9,684 9,808 9,647 9,713
Cavidan Qurbanova (AZE) 9,781 9,749 9,597 9,709
Nikoleta Jovanovic (MNE) 9,859 9,651 9,583 9,697
Zhazira Nurimbetova (KAZ) 9,832 9,972 9,251 9,685
Lara Debbana (EGY) 9,659 9,684 9,625 9,656
Brumhilda Ochs (NAM) 9,734 9,650 9,534 9,639
NOTAS DAS CANDIDATAS EM ORDEM ALFABÉTICA
Foram consideradas as notas dos quesitos de traje de banho e traje de gala, além das aparições em noticiários
Candidata Traje de Banho Traje de Gala Aparições de Mídia Média Geral
Xhaneta Byberi (ALB) 9,895 9,719 9,654 9,756
Zuleica Wilson (ANG) 9,899 10 9,790 9,896
Valentina Ferrer (ARG) 9,961 9,831 9,738 9,843
Digene Zimmerman (ARU) 10 9,954 9,580 9,844
Tegan Martin (AUS) 9,991 10 9,854 9,948
Nadine Stroitz (AUT) 9,985 9,877 9,938 9,933
Cavidan Qurbanova (AZE) 9,781 9,749 9,597 9,709
Tomacina Culmer (BAH) 9,958 9,936 9,730 9,874
Anissa Blondin (BEL) 10 9,835 9,739 9,858
Claudia Tavel (BOL) 9,989 9,975 9,727 9,897
Melissa Gurgel (BRA) 10 9,950 9,865 9,938
Rosanna Chichester (IVB) 9,654 9,732 9,879 9,755
Chanel Beckenlehner (CAN) 9,715 9,804 9,730 9,749
Nora Xu (CHN) 9,977 9,854 9,653 9,828
Paulina Vega (COL) 10 9,970 9,727 9,899
Jennifer Yéo (CIV) 9,894 9,863 9,691 9,816
Karina Ramos (CRC) 9,804 9,835 9,899 9,846
Ivana Misura (CRO) 9,850 9,950 9,680 9,826
Laurien Angelista (CUR) 10 9,895 9,899 9,931
Elisa Georgiou (CYP) 9,877 9,840 9,519 9,745
Gabriela Franková (CZE) 10 9,995 9,789 9,928
Kimberly Castillo (DOM) 10 9,967 9,756 9,907
Alejandra Argudo (ECU) 9,970 9,861 9,679 9,836
Lara Debbana (EGY) 9,659 9,684 9,625 9,656
Patricia Murillo (ESA) 9,976 9,653 9,584 9,737
Bea Toivonen (FIN) 10 9,831 9,975 9,935
Magalie Nguema (GAB) 9,980 9,952 9,792 9,908
Josefin Donat (GER) 9,951 9,899 9,634 9,828
Abena Appiah (GHA) 9,834 9,835 9,697 9,788
Grace Levy (GBR) 9,934 9,715 9,640 9,763
Ismini Dafopolou (GRE) 9,684 9,808 9,647 9,713
Brittany Bell (GUM) 9,968 9,899 9,755 9,874
Ana Luisa Montufar (GUA) 9,985 9,983 9,641 9,869
Niketa Barker (GUY) 9,987 9,895 9,659 9,847
Gabriela Ordoñez (HON) 9,767 9,853 9,697 9,772
Henrietta Kalemen (HUN) 9,953 9,974 9,734 9,887
Noyonita Lodh (IND) 9,984 9,951 9,784 9,906
Elvira Devinamira (INA) 9,581 9,970 9,995 9,848
Lisa Madden (IRL) 9,855 9,789 9,735 9,793
Doron Matalon (ISR) 10 10 9,589 9,863
Kaci Fennell (JAM) 9,838 9,878 9,653 9,789
Keiko Tsuji (JPN) 9,730 9,860 9,655 9,748
Zhazira Nurimbetova (KAZ) 9,832 9,972 9,251 9,685
Ye-Bin Yoo (KOR) 9,984 9,883 9,711 9,859
Artnesa Krasniqi (KOS) 9,985 9,967 9,658 9,870
Zhibek Nukeeva (KGZ) 9,853 9,727 9,775 9,785
Sally Greige (LIB) 10 9,953 9,836 9,929
Patricija Belousova (LTU) 9,954 9,735 9,625 9,771
Sabrina Bennett (MAS) 9,952 9,833 9,850 9,878
Pallavi Gungaram (MRI) 10 9,753 9,853 9,868
Josselyn Garciglia (MEX) 9,983 10 9,831 9,938
Nikoleta Jovanovic (MNE) 9,859 9,651 9,583 9,697
Sharr Htut Eaindra (MYA) 10 9,958 9,732 9,896
Brumhilda Ochs (NAM) 9,734 9,650 9,534 9,639
Yasmin Verheijen (NED) 9,973 9,997 9,783 9,917
Rachel Millns (NZL) 9,855 9,831 9,654 9,780
Marline Barberena (NIC) 9,890 9,731 9,661 9,760
Queen Celestine (NGR) 9,853 9,789 9,614 9,752
Elise Dalby (NOR) 9,985 9,854 9,719 9,852
Sally Jara (PAR) 10 9,995 9,734 9,909
Yomatzy Hazlewood (PAN) 10 9,967 9,754 9,907
Jimena Espinoza (PER) 9,893 9,627 9,730 9,750
Mary Jean Lastimosa (PHI) 10 10 9,836 9,945
Marcela Chmielowska (POL) 9,989 9,951 9,778 9,906
Patrícia da Silva (POR) 9,840 9,733 9,595 9,722
Gabriela Berrios (PUR) 10 9,973 9,832 9,935
Aurore Mutesi (RWA) 9,865 9,851 9,584 9,766
Yulia Alipova (RUS) 10 9,920 9,644 9,854
Andjelka Tomasevic (SER) 10 9,780 9,651 9,810
Rathi Menon (SIN) 9,953 9,853 9,659 9,821
Silvia Prochádzková (SVK) 10 9,985 9,755 9,913
Urska Bracko (SLO) 9,995 10 9,681 9,892
Rolene Strauss (RSA) 9,968 9,737 9,633 9,779
Desiré Cordero (ESP) 10 9,951 9,723 9,891
Avanti Marianne (SRI) 9,895 9,835 9,638 9,789
Roxanne Nicholas (LCA) 9,859 9,854 9,625 9,779
Camilla Hansson (SWE) 10 9,985 9,635 9,873
Pimbongkod Chankaew (THA) 9,843 9,758 9,639 9,746
Shanice Williams (TCA) 9,750 9,814 9,680 9,748
Jevon King (TTO) 9,991 9,763 9,648 9,800
Dilan Çiçek Deniz (TUR) 9,897 9,835 9,969 9,900
Anna Andres (UKR) 9,985 9,834 9,540 9,786
Johanna Riva (URU) 10 9,952 9,780 9,910
Nia Sanchez (USA) 9,951 9,985 9,797 9,911
Migbelis Castellanos (VEN) 10 10 9,725 9,908

Após a rodada, o panorama de classificação das 15 semifinalistas (a 16ª será escolhida pelo voto popular) é este:

-Tegan Martin (AUS)-9,948
-Mary Jean Lastimosa (PHI)-9,945
-Melissa Gurgel (BRA)-9,938
-Josselyn Garciglia (MEX)-9,938
-Gabriela Berrios (PUR)-9,935
-Bea Toivonen (FIN)-9,935
-Nadine Stroitz (AUT)-9,933
-Laurien Angelista (CUR)-9,931
-Sally Greige (LIB)-9,929
-Gabriela Franková (CZE)-9,928
-Yasmin Verheijen (NED)-9,917
-Silvia Prochádzková (SVK)-9,913
-Nia Sanchez (USA)-9,911
-Johanna Riva (URU)-9,910
-Sally Jara (PAR)-9,909

-Migbelis Castellanos (VEN)-9,908
-Magalie Nguema (GAB)-9,908
-Kimberly Castillo (DOM)-9,907
-Yomatzy Hazlewood (PAN)-9,907
-Marcela Chmielowska (POL)-9,906
-Noyonita Lodh (IND)-9,906
-Dilan Çiçek Deniz (TUR)-9,900
-Paulina Vega (COL)-9,899
-Claudia Tavel (BOL)-9,897
-Sharr Htut Eaindra (MYA)-9,896
-Zuleica Wilson (ANG)-9,896
-Urska Bracko (SLO)-9,892
-Desiré Cordero (ESP)-9,891
-Henrietta Kalemen (HUN)-9,887
-Sabrina Bennett (MAS)-9,878
-Brittany Bell (GUM)-9,874
-Tomacina Culmer (BAH)-9,874
-Camilla Hansson (SWE)-9,873
-Artnesa Krasniqi (KOS)-9,870
-Ana Luisa Montufar (GUA)-9,869
-Pallavi Gungaram (MRI)-9,868
-Doron Matalon (ISR)-9,863
-Ye-Bin Yoo (KOR)-9,859
-Anissa Blondin (BEL)-9,858
-Yulia Alipova (RUS)-9,854
-Elise Dalby (NOR)-9,852
-Elvira Devinamira (INA)-9,848
-Niketa Barker (GUY)-9,847
-Karina Ramos (CRC)-9,846
-Digene Zimmerman (ARU)-9,844
-Valentina Ferrer (ARG)-9,843
-Alejandra Argudo (ECU)-9,836
-Nora Xu (CHN)-9,828
-Josefin Donat (GER)-9,828
-Ivana Misura (CRO)-9,826
-Rathi Menon (SIN)-9,821
-Jennifer Yéo (CIV)-9,816
-Andjelka Tomasevic (SER)-9,810
-Jevon King (TTO)-9,800
-Lisa Madden (IRL)-9,793
-Avanti Marianne (SRI)-9,789
-Kaci Fennell (JAM)-9,789
-Abena Appiah (GHA)-9,788
-Anna Andres (UKR)-9,786
-Zhibek Nukeeva (KGZ)-9,785
-Rachel Millns (NZL)-9,780
-Rolene Strauss (RSA)-9,779
-Roxanne Nicholas (LCA)-9,779
-Gabriela Ordoñez (HON)-9,772
-Patricija Belousova (LTU)-9,771
-Aurore Mutesi (RWA)-9,766
-Grace Levy (GBR)-9,763
-Marline Barberena (NIC)-9,760
-Xhaneta Byberi (ALB)-9,756
-Rosanna Chichester (IVB)-9,755
-Queen Celestine (NGR)-9,752
-Jimena Espinoza (PER)-9,750
-Chanel Beckenlehner (CAN)-9,749
-Shanice Williams (TCA)-9,748
-Keiko Tsuji (JPN)-9,748
-Pimbongkod Chankaew (THA)-9,746
-Elisa Georgiou (CYP)-9,741
-Patricia Murillo (ESA)-9,737
-Patrícia da Silva (POR)-9,722
-Ismini Dafopolou (GRE)-9,713
-Cavidan Qurbanova (AZE)-9,709
-Nikoleta Jovanovic (MNE)-9,697
-Zhazira Nurimbetova (KAZ)-9,685
-Lara Debbana (EGY)-9,656
-Brumhilda Ochs (NAM)-9,639

As notas de avaliação foram ponderadas a partir de comentários de internautas em fóruns especializados, combinados com a análise empírica de imagem e de noticiário das candidatas feita pela redação do Críticas entre os dias 27 e 28 de outubro de 2014. Vale ressaltar que esta sondagem não reflete, necessariamente, a classificação oficial para as semi-finais do Miss Universo 2014, bem como para suas etapas classificatórias posteriores (trajes de banho, trajes de gala e entrevista final).

Avaliações anteriores
*1ª avaliação parcial: 12 de novembro de 2013
*2ª avaliação parcial: 23 de dezembro de 2013
*3ª avaliação parcial: 29 de janeiro de 2014
*4ª avaliação parcial: 1º de março de 2014
*5ª avaliação parcial: 19 de março de 2014
*6ª avaliação parcial: 30 de março de 2014
*7ª avaliação parcial: 14 de abril de 2014
*8ª avaliação parcial: 5 de maio de 2014
*9ª avaliação parcial: 21 de maio de 2014
*10ª avaliação parcial: 3 de junho de 2014
*11ª avaliação parcial: 7 de junho de 2014
*12ª avaliação parcial: 9 de junho de 2014
*13ª avaliação parcial: 29 de junho de 2014
*14ª avaliação parcial: 7 de julho de 2014
*15ª avaliação parcial: 26 de julho de 2014
*16ª avaliação parcial: 5 de agosto de 2014
*17ª avaliação parcial: 18 de agosto de 2014
*18ª avaliação parcial: 31 de agosto de 2014
*19ª avaliação parcial: 17 de setembro de 2014
*20ª avaliação parcial: 29 de setembro de 2014
*21ª avaliação parcial: 13 de outubro de 2014

Publicado em Datamisses, Nossas Venezuelas, Numb3rs, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Boletim de temporadas completas e cancelamentos da temporada 2014-2015 – edição de 26/10/2014


ABC e The CW estão empatadas em número de temporadas completas na primeira parte da fall-season 2014; Manhattan Love Story é a primeira baixa

Da redação TV em Análise

ABC/Divulgação


Passada a faca

Depois de um mês de seu início, a temporada televisiva americana 2014-2015 já tem suas primeiras contas relacionadas a temporadas completas e cancelamentos. De episódios adicionais, apenas Selfie e Forever (ambas da ABC) estão no ar para efeito de contabilidade. No entanto, a emissora que as exibe não especificou a quantidade de roteiros ordenados. Manhattan Love Story chegou a ter esse benefício, mas sua audiência decrescente (de 4,3 milhões de telespectadores e média de 2,9 na estreia, em 30 de setembro, despencou para 3 milhões e média de 2 em 14 de outubro) contribuiu para seu cancelamento, na noite da sexta-feira (24), após a exibição de quatro episódios. Para preencher o vácuo, a ABC decidiu exibir dois episódios seguidos de Selfie, que também pena para seguir na grade, a exemplo da fraquíssima Forever.
Temporadas completas por emissora:

ABC: Black-ish (22 episódios), How to Get Away with Murder (15 episódios)
FOX: Gotham (22 episódios)
The CW: The Flash (22 episódios), Jane the Virgin (22 episódios)

Cancelamentos por emissora:

ABC: Manhattan Love Story (após quatro episódios)

Publicado em Passando a faca, Programação, Séries | Marcado com , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Terrorismo eleitoral e seca em São Paulo: A capa que a Veja escondeu


Azenha: Dilma neutralizou no último debate da Globo a “bala de prata” da famíglia Civita

Do Viomundo

Fotomontagem/Bianca Souza

A famosa “bala de prata”, que poderia modificar os votos dos indecisos, foi neutralizada de cara pela presidente Dilma Rousseff, já na abertura do debate da TV Globo.
Ela atacou a credibilidade não só da revista Veja, como também da IstoÉ, que mais uma vez neste fim de semana fez jus ao apelido jocoso de QuantoÉ.
Diríamos que este foi o debate do alprazolam, a droga que é o sossega leão dos ansiosos.
Aécio Neves cometeu algumas gafes, como quando se referiu ao inexistente Ministério do Desenvolvimento Econômico ou disse que é um orgulho ter um pedaço do Nordeste “incrustrado” em nosso território, Minas Gerais. Reproduziu, assim, o preconceito comum de uma pequena fatia dos mineiros em relação às terras cantadas por Guimarães Rosa.
Por outro lado, o senador foi bem quando disse que a melhor forma de combater a corrupção é tirando o PT do poder. Foi bem, ainda, quando disse que o governo de FHC “tirou a inflação das costas do brasileiro”. Friso: do ponto-de-vista da retórica.
Já Dilma foi muito feliz quando popularizou seu discurso e recorreu a uma frase do humorista José Simão, segundo o qual os tucanos criaram, em São Paulo, o programa “Meu banho, minha vida”.
Além disso, a candidata governista insistiu nas coisas que realmente importam não só para os indecisos, mas para os brasileiros em geral: emprego e salário. No frigir dos ovos, é isso o que conta. O grande terror de qualquer brasileiro, em qualquer tempo, é o desemprego.
No conjunto da obra, Dilma fez o necessário para impedir uma grande surpresa de última hora. Se de fato Aécio precisava de uma grande virada para vencer as eleições de domingo, não teve êxito.
Se a capa de Veja foi a bala de prata da oposição, melhor caracterizá-la como um tiro no pé.

Reprodução/Maria Frô

Publicado em Força da Grana, Imprensa, Poderes ocultos, Podres poderes | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário